Anime Songs – Um histórico sobre suas adaptações no Brasil


            Muitos fãs ortodoxos não gostam nem de tocar no assunto, mas a verdade que desde quando os animes começaram a embarcar no Brasil, na TV TUPI, nós temos versões brasileiras de músicas de animação japonesa.

            As primeiras versões brasileiras são de Sawamu e Fantomas que exibidos aqui pela TV TUPI. Simples e sem grande pretensões, as primeiras “songs” eram somente um curto resumo da série com créditos de dubladora e distribuição.

            Hoje temos mais de 170 musicas em português de animes e séries de tokusatsu que foram exibidos no Brasil. Muitas delas variam entre o ruim para o bom. Muitas letras delas não tem nada haver com o original, isso quando a musica foi baseada na versão japonesa, porque a maioria atualmente é baseada em inglês ou em espanhol, ou numa versão eletrônica criada pelos americanos que substituem a trilha sonora original por musica eletrônica.

            Muitas músicas ganharam versões diferentes dependendo do estúdio de dublagem ou mesmo do desempenho anterior da mesma. O tema de Dragon Ball, por exemplo, ganhou 4 versões diferentes feitas por 4 estúdios de dublagem diferente, Gota Mágica, DPN, Álamo e Parisi.

            Existem outros temas que foram feitos exclusivamente para lançamento de disco de vinil, cd e fitas cassete como as versões nacionais de Cybercop, Black Kamen Rider (chamado de Blackman na música), o cd de Cavaleiros do Zodíaco, o cd de Super Campeões e o cd de Guerreiras mágicas.

            As melhores versões traduzidas consideradas pelo publico foram feitas pela Áudio News para Yu Yu Hakusho. Muitos lamentam que suas versões não tenham ganhado uma versão em cd e muito menos foram reutilizadas quando a série foi redublada para a Cartoon Network.

            Um anime que passou despercebido nas nossas televisões, mas que ganhou uma versão nacional inesquecível é a série Patlabor. As músicas “Ai Wo Nemurasenaide”, “Midnight blue” e o tema da série ganharam versões inesquecíveis pela Master Sound.

            As falsas anime songs que as musicas foram feitas por americano, existem diversas aqui no Brasil, desde Pokemon, Monster Rancher, Kirby, Sonic X, Megaman NT Warrior, Shin Chan, Flint e tantas outras produções que já vem adaptada para o Brasil.

            Existem animes que infelizmente não migraram para a tv a cabo e por sua rápida exibição, suas musicas se perderam no limbo, como é o caso de Power Stone que teve versão brasileira feita pela Parisi Vídeo.

             Um dos estúdios que mais cuidou de versões nacionais de animes e tokusatsu, foi a Álamo. Ocupando a preferência dos estúdios, com a falência da Gota Mágica, o estúdio Álamo desde os anos 80 adapta versões nacionais de tokusatsu, desde Jaspion e Changeman até a musica de Cavaleiros do Zodíaco quando está foi redublada para ser exibida na Cartoon Network e Rede Bandeirantes.

            Falando na versão brasileira de Pegasus Fantasy, de Cavaleiros do Zodíaco, foi a partir dessa música que podemos constatar que podemos ter pessoas famosas fazendo versões que agradam o público. O cantor Edu Falaschi, da banda Angra, cantou a versão nacional que até hoje é considerada a melhor do anime entre os fãs desse anime.

           Muitos cantores “anônimos” tocam em barzinhos, ou show pelas cidade de São Paulo e Rio de Janeiro. Fred Maciel, o cantor de Jaspion, por exemplo, mudou seu nome profissional para Freddy Maciel e faz shows no Rio de Janeiro. O cantor de Black Kamen Rider, o Ghizzi, hoje tem uma banda de mesmo nome que toca em várias casas de show em São Paulo, com um repertório que vai desde Elvis até Rolling Stones. Graças ao orkut, muitos cantores de anime songs estão sendo redescobertos pelo publico que curtiu as musicas deles no passado.

            Felizmente ou infelizmente, as séries hoje em dia estão cada vez ganhando menos versões brasileiras de sua trilha sonora. O canal Animax, por exemplo, só tem Shin chan com a abertura dublada, isso porque a série foi exibida na Fox Kids antes.

            Quem define a qualidade ou a existência da musica nacional nos animes é o fã. Talvez por isso hoje não exista mais versões nacionais de musicas de anime.

Eu acho que se a adaptação for bem feita eu sou a favor. Mas ela tem que ser bem feita. Geralmente os licenciantes não se importam muito com as músicas que vaum na abertura ou encerramento dos desenhos e por isso não investem na produção bacana. Assim o resultado acaba sempre sendo muito ruim. E assim os fãs tem razão de ficarem irritados com as músicas em português. As músicas em japonês são muito legais tb, mas acho que as em português levam para o telespectador um pouco da mensagem que o anime quer passar e isso é legal.” Renato Siqueira

Sinceramente, prefiro que seja mantido no original, com tradução e letra romanizada para que a pessoa saiba o que está ouvindo ou até cantando. Para as anisongs que aparecem  não na abertura, mas durante o animê ou tokusatsu, fica mais complicado, mas ainda assim prefiro que se mantenha no original. Nada que uma legendagem caprichada e uma boa divulgação não ajudasse as pessoas a conhecer melhor. Mas confesso que algumas versões em português ficaram boas, como a do Kamen Rider Black RX e de animês antigos do SBT, como Rei Arthur e Angel.” Alexandre Nagado





Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

2 respostas a Anime Songs – Um histórico sobre suas adaptações no Brasil

  1. Lancaster disse:

    eu vou ser honesto, eu gostava do tema de sawamu, o demolidor. setentista até dizer chega, com a cara do seu tempo, mas eficiente, com bons vocais e bons músicos. acho melhor isso do que montar uma voz de dublador em cima de uma base pré-pronta.

  2. Oiac disse:

    Eu não sou dos maiores fãs em dublar músicas de animes, entretanto Yu Yu Hakusho e Patlabor ficaram igualmente boas como as originais.Essa politica da Sony de não dublar os animes do Animax as vezes pode ter seu lado negativo, o encerramento do Excel Saga merecia uma legenda (como todas as aberturas e encerramentos de músicas em outro idioma) ou dublagem. Enfim, como tudo na vida tem seus prós e contras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>