Anime songs X J-pop/J-rock

            Na década seguinte, nos anos 90, as Anime songs seguiram o mesmo padrão estabelecido, até a primeira metade da primeira década, só que com a consagração do gênero new music que foi rebatizado de J-pop, pela rádio J-Wave, sendo o termo oficial até hoje, além do sucesso do gênero J-rock, fizeram mudanças drásticas a forma de se ver anime song e como alcançar seu público.

            Animes como Dragon Ball Z, ainda eram sucesso no Japão, o que realçava a fórmula tradicional de anime songs, com sucessos como We gotta power, segunda abertura da série, feita também para Hironobu Kageyama, referente a fase Majin Buu, ultima fase da série.

            Uma característica em particular da Anime Songs que já vinha ocorrendo nos anos 80, com o sucesso da dubladora e cantora Mari Iijima com as canções da personagem Lynn Minmay em Macross, se repetiu nos anos 90 com a dubladora Megumi Hashibara. Cantando diversos animes, como Neon Genesis Evangelion, Saber Marionette J, Shaman King, entre tantos outros, percebemos o sucesso da dubladora, no mercado musical, tornando-se uma das divãs desse segmento nos anos 90.

Outra série de sucesso que é exemplo dessa época é a série Yu Yu Hakusho, no qual produzida entre 1992 a 1995, a série teve uma trilha sonora de alta qualidade, em especial por causa da cantora Matsuko Mawatari, que cantou a abertura Hohoemi no Bakudan, além dos encerramentos Sayonara Bye Bye, Homework ga Owaranai e Daydream Generation.

Paralelamente já sentiríamos uma influência do j-rock, com a série DNA2, aonde o tema Blurry Eyes foi gravado pelo popular grupo L’Arc~en~Ciel.

No gênero live action, o lançamento de Ultraman Tiga, colocando cantor e ator Hiroshi Nagano como o protagonista Tiga / Daigo Modoka, uma influências direta do que já acontecia em doramas (termo que se refere a novelas e mini series japonesas), em colocar um cantor como protagonista da série e ter a música de seu grupo como trilha sonora da produção. A mudança fez bem a empresa Tsuburaya, pois colocou a trilha sonora de Ultraman Tiga em primeiro lugar na Oricon, como das mais vendidas, algo realmente inusitado para séries desse gênero.

            Para muitos, a série Rurouni Kenshin (mais conhecido no Brasil como Samurai X) foi o divisor de água oficialmente sobre o gênero de anime songs. Mais precisamente, ela começou a crise no gênero, ao trazer para os animes, uma trilha arrojada, com os cantores mais famosos do Japão, naquela época, em músicas que nada tem haver com a série, tornando assim a primeira produção a usar a série como vitrine para esses artistas, além de fazer o caminho inverso, fãs dos artistas conhecerem o anime e se tornarem fãs. Os artistas do selo musical Sony Music Japan que fizeram a trilha sonora do anime Rurouni Kenshin, destacando: Judy & Mary, Bonnie Pink, T.M. REVOLUTION, Siam Shade, L’Arc~en~Ciel entre tantos outros.

            Outro caso de sucesso de jmusic no universo de animes, foi o filme baseado no manga do grupo Clamp, X-1999, que teve seu encerramento, a canção Forever Love, lançado em 1996, por X-japan, grupo de j-rock que acabou logo depois, sendo uma referência para todos os grupos que veio depois nesse hiato de 10 anos, quando o grupo se reuniu em 2007, estreando em Jogos Mortais 4, com a canção I.V.


About Giuliano Peccilli

Editor do JWave, Podcaster e Gamer nas horas vagas. Também trabalhou na Anime Do, Anime Pró, Neo Tokyo e Nintendo World.

View all posts by Giuliano Peccilli