Aqui no Brasil, existe uma prática muito comum de colocar os problemas da sociedade em novelas. Assim tivemos seqüestro de crianças, personagens com deficiência física, homossexualidade, mais recentemente síndrome de down. No Japão, o leque de opções para temas de doramas é ainda maior, assim não seria estranho trazer para as televisões japonesas um casal no qual a protagonista usasse uma cadeira de rodas.

Beautiful Life não se trata de uma história triste, e sim de uma história de amor com doses de comédia. Num dorama semelhante as nossas novelas ao mostrar um romance aonde um dos protagonistas usa uma cadeira de rodas, sugere que seja triste, mas não é o caso.

A série sucedeu o dorama de verão “Yamada ikka no shinbou” que teve uma média inexpressiva de 11,5%. A série Beautiful Life bateu recordes de audiência no Japão, sendo sempre superior a 30%, e tendo em seu capitulo final o inesperado 41,7%. Como já disse anteriormente, uma série pode ser considerada sucesso, quando supera os 20%. Para vocês entenderem melhor isso, a série de sucesso Densha Otoko conseguiu no máximo 25% no último episódio. Essa alta audiência, muitos fãs de doramas consideram ser um fenômeno chamado “Takuya Kimura”. Sendo um dos melhores atores da atualidade, as séries que ele atua sempre são sinal de sucesso. Aqui no Brasil, a única produção que ele esteve presente foi no anime “O castelo animado” que ele atua unicamente como dublador.

A história

Tudo começa quando Kyoko coloca a mão para fora do carro, assim sentir a temperatura. Shuji que passava com a moto ali naquela hora, quase cai ao ver a mão para fora do carro. Os dois discutem, mas quando Kyoko estaciona o carro e Shuji percebe que ela está numa cadeira de rodas, ele fica pasmo, mas não muda o jeito de falar com ela. Kyoko trabalha numa biblioteca e se surpreende ao se esbarrar de novo com o encrenqueiro em seu trabalho.

Ele pede informações sobre um elemento químico, mas ela como não é nada santa, o ironiza alegando que ele deve estar querendo criar uma bomba. O que ela não sabia é que ele é um cabeleireiro em extrema ascensão no badalado Hot Lips, por isso procurava criar uma nova substância para tingimento do cabelo, sem que prejudicasse os fios.

A relação de amor e ódio de Kyoko e Shuji pode ser comparada a série dos anos 80 “A gata e o Rato” (Moonlight, no original, que revelou Bruce Willis como ator). Desde o primeiro momento, sabemos que Kyoko e Shuji se gostam e torcemos para que eles fiquem juntos no final.

E a cadeira de rodas? Como eu disse, essa história não mostra a deficiência, mas uma história de amor e é assim que acabamos aprendendo a gostar da carismática Kyoko, interpretada pela divina Takako Tokiwa.

A promoção da Hot Lips

Shuji começa a pesquisar novos desenhos de corte de cabelo, para crescer na Hot Lips. Os melhores cortes, sempre são veiculados com uma entrevista do cabeleireiro em uma revista conceituada do mercado, assim Shuji não pode deixar essa chance passar em vão. Procurando por modelos na rua, ele não consegue encontrar alguém tão especial pra a revista publicar, assim pensa logo na Kyoko.

Desde o começo, vemos que a Kyoko tem um cabelo muito estranho de tom avermelhado e Shuji sabia que era sua grande chance de transformar ela e ganhar a promoção.
Trazer uma garota numa cadeira de rodas sugere como um golpe baixo do Shuji, entre os funcionários da Hot Lips. A verdade é que as fotos da Kyoko ganham destaque na revista, mas o que os funcionários do Hot Lips especulavam, torna-se verdade no qual seria explorado a condição física da Kyoko e não o corte de cabelo.

Kyoko ao ver a revista, joga rapidamente no lixo, estando com muita raiva que ela confiou num cara que a usou. Satie, a amiga de Kyoko, ao mostrar a matéria, logo percebe que tem algo de errado com ela.

Shuji havia prometido que ambos comemorariam juntos, fica decepcionado com a revista e tenta pedir desculpas para Kyoko que não crê muito nele. Kyoko revela sobre seu temor em relação a “barreiras” a Shuji, contando que gostaria de ser “normal” e freqüentar todo tipo de lugar. Ela só pode freqüentar lugar sem “barreiras”, que são lugares que uma cadeira de rodas pode passar. Os dois não encontram com facilidade um restaurante assim, optando por comer sempre lámen num restaurante móvel de rua.

Shuji X Satoru – Rivalidade na Hot Lips

Enquanto isso, Satoru sabendo o potencial se seu rival no trabalho, não pode deixar que isso afete sua fama também crescente. A primeira medida que ele toma, é evitar que Shuji fique cada vez mais famoso. Logo quando uma pessoa da revista liga para entrevistar Shuji, por causa do sucesso do corte de cabelo da Kyoko, logo Satoru pega o telefone e fala que Shuji está de férias.

Depois, Kyoko vai visitar a Hot Lips, porque Shuji deixou uns desenhos de cabelo com ela, Satoru pega e os copia. Ele devolve para ela, alegando que não poderia entregar para ele os desenhos. No dia seguinte, Shuji vê seus cortes de cabelo na cabeça das freguesas do Satoru.
Vale de curiosidade que na vida real, os atores Takuya Kimura e Takanori Nishikawa, respectivamente Shuji e Satoru, podem até serem rivais, mas no mercado musical. Takuya é da banda Smap, enquanto Takanori é da banda TM Revolution.

Dois mundos diferentes

Shuji e Kyoko acabam descobrindo que realmente se gostam, mas que ambos têm que enfrentar o amargo sabor de terem vidas tão distintas. Kyoko tenta por muitas vezes fugir desse tipo de relacionamento com Shuji, levando em consideração isso. Ao encontrar um amigo de época de escola, também na cadeira de rodas, ela acredita ser uma chance de fugir de Shuji, indo para Alemanha.

Ambos são muitas populares nos seus próprios mundos, para vocês terem uma idéia o Shuji está cercado de ex-namoradas, mas Kyoko também têm vários pretendentes. Essa idéia de contra partida é muito bem trabalhada na série, que acaba gerando a relação “A Gata e o Rato” dos dois.

Um dos grandes problemas de Kyoko ser feliz com Shuji pode ser definido como Masao Michida, o irmão mais velho de Kyoko. Não acreditando no amor dos dois, Masao pede muitas vezes que Shuji se afaste de sua irmã para que não torne as coisas mais difíceis. Masao não tem sorte no amor, assim com ajuda de sua mãe procura por relacionamentos arranjados.

Em nenhum momento, Shuji reluta sobre a condição de deficiência da Kyoko. Ela não acredita que ele possa abrir mão de tantos prazeres da vida para ficar com ela.

Segredos revelados

Shuji revela seu passado a Kyoko de como ele veio a Tóquio tornando-se um cabeleireiro. Sua família é formada só por médicos, mas ele mesmo tendo começado a estudar na área, percebeu que não era sua praia, assim caindo fora.

Kyoko mesmo ouvindo a história de Shuji não revela seu maior segredo. Este será revelado por sua mãe ao Shuji. Kyoko chegou a andar quando era mais nova, mas sua doença acabou fragilizando seus movimentos e ela não tem grandes chances de vida após os 30 anos. Shuji acredita que Kyoko não está nessa porcentagem negativa e não desiste de ter uma vida a dois com ela.

Como termina a série?

Muitas pistas plantadas em toda a série acabam sendo reveladas, chegando no auge do seriado. Além de uma boa história de amor, temos outros enredos como corrupção e concorrência entre cabeleireiros de luxo, sem mencionar quais decisões Shuji e Kyoko irão tomar e quais são suas conseqüências.

Um elenco estelar

Começamos pela estrela Takuya Kimura, da banda Smap. Uma das bandas mais tocadas no Japão e conhecida no meio de animes e mangás por terem feito a adaptação teatro musical dos Cavaleiros do Zodíaco (Santuário a Poseidon), Smap segue com 16 anos de sucessos. Takuya teve sua estréia nos doramas em 1990, com a série Otouto. Com raras exceções, o efeito “Takuya Kimura” é verdadeiro e os doramas em que atua, sempre estão acima do 20% considerado sucesso. Além de popular, ele interage com o público de diversas formas, seja dançando Parapara com personagens da Disney, ou fazendo uma sátira do Kamen rider Ryuuki, Takuya conquistou esse respeito do público, depois de diversos anos de mercado, sendo assessorado e agenciado pela agência Johnny & Associates. Beatiful life, ele interpreta o cabeleireiro em ascensão Shuji Okishima.

A personagem Kyoko Machida foi interpretada pela Takako Tokiwa, que semelhante ao Takuya, também não é desconhecida nos doramas. Tendo 7 prêmios, sendo destes, seis como atriz protagonista pelo “Television Academy Awars”, inclusive sendo um destes foi graças a Beautiful Life. Ela também atuou alguns filmes em Hong Kong tendo como produtor o Andy Lay de o Clã das Adagas voadoras, como o filme ainda inédito por aqui chamado “A Fighter’s Blues”.

Beatiful Life no 24º Television Academy Awars.

Tendo em médio de 35% de audiência, não era de se espantar que seu sucesso também refletiria nos prêmios dados pela academia. Não sendo muito diferente do gosto do público, a academia ofereceu nada menos que 10 prêmios à série, sendo a favorita daquela temporada. A série foi substituída nas noites de domingo pela segunda temporada de Sarariman Kintaro.

Prêmios que Beautiful Life faturou:

Melhor Drama

Melhor Ator: Takuya Kimura (Shuji Okishima)

Melhor atriz: Takako Tokiwa (Kyoko Machida)

Melhor ator secundário: Atsuro Watabe (Masao Machida)

Melhor atriz secundária: Miki Mizuno (Satie Tamura)

Melhor antagonista: Takanori Nishikawa (Kawamura Satoru)

Melhor roteirista: Eriko Kitagawa

Melhor diretor: Jiro Shono

Melhor música tema: Konya Tsuki no Mieru oka ni da dupla B´z

Melhor abertura

About Giuliano Peccilli

Editor do JWave, Podcaster e Gamer nas horas vagas. Também trabalhou na Anime Do, Anime Pró, Neo Tokyo e Nintendo World.

View all posts by Giuliano Peccilli