Okinawa sempre nos brinda com artistas musicais diferentes, que juntam estilos musicais inusitados, formando um novo estilo de música. Uma região que já passou por domínios chineses, americanos e japoneses, Okinawa nos brindou com artistas como Orange Range, MAX, HIGH and MIGHTY COLOR, Cocco, Namie Amuro e tantos outros artistas.

Rimi Natsukawa é mais um presente da ilha de Okinawa, trazendo para o mercado fonográfico voltado ao jpop e jrock, um gênero tão esquecido pelos artistas pelos artistas nipônicos, o gênero folclórico de Okinawa, também chamado internacionalmente de Folk. Ela misturou esse gênero tão tradicional em Okinawa com a música Enka entre outros estilos, gerando a musica única de Rimi Natsukawa que já havia tornado cantora de musica Enka nos anos 90, quando tinha 16 anos, mas foi apenas em 1999, que retornou ao mercado musical, como uma cantora pop.

Enka- A música do sentimento

Para os fãs mais novos da música japonesa, a música Enka é vista como velha, antiquada e ultrapassada, principalmente em animes e mangas são demonstrado isso. Não tem como achar ruim, musica Enka, ao ver a personagem Urd, de Ah Megami-Sama, tem o ponto fraco de dormir, ao apenas ouvir esse antigo estilo musical.

Agora, mesmo com todo esse negativismo da cultura pop atual, não se fica claro o que é música Enka e vamos dar um breve resumida, sobre o que é. A música Enka é a antiga música popular japonesa, no qual você põe todo o seu sentimento ao cantar. Declamando o que você sente, em forma de protesto, confissão, ressentimento. Normalmente as cantoras de música Enka se apresentam, vestindo quimonos.

Atualmente, a música Enka, tornou a música popular para um público mais velho, sendo que a música JPOP, tornou a música popular, para o público mais jovem.

Um pouco sobre a cantora

A cantora nasceu no dia 9 de outubro de 1973, na região de ilhas de Okinawa. Seu verdadeiro nome é Kaneku Rimi e aprendeu a gostar de música enka, com seu pai, o Shizuo Natsukawa, ainda quando era criança. Para ela, Shizuo foi seu mentor criativo e principal influencia. Numa entrevista a revista Eye-Ai, a cantora comenta: “”Foi a partir dele (Shizuo, pai da cantora) que eu aprendi a gostar de música enka, e pensar nisso agora, estou tão satisfeita que ele me ensinou não apenas o estilo de Okinawa, mas o Enka, na maneira de como posso recorrer a todas estas formas de inspiração.”

Rimi, aos 3 anos de idade, ainda aprendendo a falar, já tinha timming, para cantar musica enka, cantando principalmente as músicas da Sayuri Ishikawa, bastante famosa na época. Seu pai, percebendo o potencial, logo decidiu a treinar, para tornar-se uma grande cantora de música enka. Inicialmente, a cantora também ensaiava música de Okinawa Folk, mas acabou deixando de lado, por causa da sua ênfase em tornar-se cantora de Enka.

A cantora debutou aos 16 anos, mas acabou não alcançando uma carreira muito longa, abrindo mão da carreira, após 4 anos no mercado fonográfico.

Okinawa Folk – A música das tradições

Rimi Natsukawa é definida como uma cantora japonesa que canta estilo Okinawa Folk. Um gênero totalmente novo em nossas páginas, também fizemos um breve resumo do que é esse estilo musical,.

Folk é um estilo de musica que existe no mundo inteiro, e está musica se refere ao povo, com suas crenças, lendas e tradições. Uma música que nasceu na Idade Média, era uma forma de divulgar noticias, como fatos históricos.

Okinawa Folk como no resto do mundo, conta em suas músicas a tradição da região, sendo um estilo musical próprio, além de usar o dialeto regional de Okinawa, em suas composições.

Esse estilo musical que nasceu há séculos atrás, e existe até hoje, se casando perfeitamente com a música Enka, tornando-se marca registrada da cantora Rimi Natsukawa

O retorno

Em 1999, a cantora teria uma nova chance, e agora, num novo estilo musical, como também com mais experiência, Rimi voltou aos holofotes, pela gravadora Victor Entertainment, a mesma de SMAP, Dragon Ash e outros grandes artistas.

Seu retorno como cantora, aconteceu no dia 21 de maio de 1999, com o single Yuubae ni Yurete. Seu segundo single, só sairia no outro ano, em 23 de fevereiro de 2000, chamado Hana ni Naru. É verdade, que a carreira de cantora, até aqui, não havia ganhado nenhum destaque, mas tudo estava para mudar, como lançamento do seu terceiro single, o sucesso estrondoso chamado Nada Sousou.

Nada Sousou

O sucesso de Nada Sousou, deve-se não só a interpretação de Rimi, mas aos autores da música, que são do grupo BEGIN, também da região de Okinawa.

Esse encontro, entre os dois artistas, ocorreu, porque a irmã mais velha de Rimi, a Mayumi, conhecia alguns dos membros do BEGIN. O encontro gerou esse terceiro single, que é uma das mais belas canções do repertorio da cantora.

Lançado em 23 de março de 2001, o single ficou em 21º lugar entre os singles mais vendidos em 2003 e em 58º lugar em 2004, segunda à própria Oricon. O sucesso do serviço Itunes no Japão, também repercutiu no sucesso da cantora, sendo que em outubro de 2006, a canção Nada Sousou, ainda era a terceira música mais vendida pelo serviço de musicas online da Apple no Japão.

Do pub ao Kouhaku Uta Gassen

Voltando um pouco na história, quando a cantora havia se desiludido com curta carreira profissional, assim desistindo de morar em Tóquio e voltando para Okinawa. Seguindo o pedido de seu pai, Shizuo, a cantora decidiu dar um tempo em sua carreira, assim acabando trabalhar num pub, aonde sua irmã, Mayumi cuidava.

De boca a boca, o sucesso dos karaokê interpretados por Rimi, tornou-se uma atração a parte do local. Cantando principalmente música americana das divãs como: Whitney Houston, Celine Dion e Mariah Carey, a Rimi, gostava de músicas que usava sua voz ao máximo, chamando atenção também por parte da equipe da NHK, em 2000. Um dos grandes sucessos que a Rimi gostava de cantar no pub, era justamente a canção “ My heart go on” de Celine Dion, tema do filme Titanic.

Relembrando, Saburo Fujiyama da NHK, comenta que ao encontrar Rimi pela primeira vez, era uma estrela brilhante, com um futuro promissor pela frente. Assim, lógico que ela seria uma das grandes atrações musicais do festival Kouhaku Uta Gassen naquele ano. Para quem não conhece, Kouhaku Uta Gassen é um programa exibido tanto na televisão como na rádio, na véspera do ano novo, numa batalha entre cantores de diversos gêneros musicas, divididos em duas cores.

O sucesso de Rimi no festival Kouhaku Uta Gassen foi o pontapé inicial para sua volta como cantora profissional.

Natsukawa Rimi SINGLE COLLECTION Vol.1

Lançado em 16 de março de 2005, foi seu primeiro álbum da cantora a receber o prêmio Nihon Record Grand Prize, por excelência.

Dueto com Andrea Bocelli

A cantora com o sucesso de sua carreira, fez diversos duetos, mas nada se compara ao dueto com o cantor italiano, Andrea Bocelli. Rimi e Andréa cantaram em italiano, a canção Somos Novios, que saiu no Japão, pela Universal Music Japan, no cd de Andréa Bocelli.

Ano Hana no Youni

A cantora foi lançou em 23 de janeiro de 2008, o single Ano Hana no Youni
, sendo o tema do programa “Full Swing”, do canal NHK.

Tendo em sua nova carreira, 11 álbuns (6 álbuns inéditos, 2 de covers, 2 de coletâneas e um mini-album), 14 singles e 2 dvds, Rimi Natsukawa é uma das maiores cantoras do Japão, sendo até chamada como uma das rainhas da música Enka atual. Ironicamente, a cantora não obteve sucesso comercial, sendo uma cantora de enka, tornando-se uma cantora de Okinawa Folk. Deixando rótulos de lado, Rimi Natsukawa é uma grande cantora e merece a fama que obteve, por seus próprios méritos.

Casamento e novo álbum

Em 1º de janeiro de 2009, a cantora se casou com o percussionista Masaaki Tamaki. Seu trabalho mais recente foi lançado durante 2009 chamado Kokoro no Uta.

About Giuliano Peccilli

Editor do JWave, Podcaster e Gamer nas horas vagas. Também trabalhou na Anime Do, Anime Pró, Neo Tokyo e Nintendo World.

View all posts by Giuliano Peccilli