Produzido em 2008, o filme japonês do diretor Katsuyuki Motohiro, do excelente Summer Time Machine Blues, retorna ao universo criado por Stephen Chow em Shaolin Soccer.

Chamado de Shourin Shoujo, o filme acabou ganhando internacionalmente o nome de Shaolin Girl, justamente pra divulgar como seqüência de Shaolin Soccer. Nos roteiros, temos Masashi Sogo e Rika Sogo, que tem em seu currículo filmes como Yatterman lançado esse ano baseado no anime clássico da Tatsunoko. Vendo o currículo de Masashi Sogo, para fãs de anime, ele escreveu o filme Bleach: Memories of Nobody da série Bleach, como também alguns episódios de Bleach, Gantz e os ovas da série Rurouni Kenshin (Samurai X).

Para o papel da protagonista Rin, foi chamada a atriz Kou Shibasaki que é bem conhecida tanto no Japão como internacional. Não se lembra dela? Então, ela esteve presente em Battle Royale, Dororo, Tokyo Raiders, Sekai no chuushin de, ai o sakebu, One Missed Call entre outras produções. Já atuou em alguns doramas como Sora Kara Furu Ichioku no Hoshi, Good Luck, Orange Days e Galileo. Além disso, é uma cantora bastante conceituada no Japão, assim fica difícil dizer que nunca ouviu falar nelai.

Do elenco de Shaolin Soccer regressa Kai Man Tin como Tin e Chi Chung Lam como Ram, respectivamente o terceiro e o irmão mais novo em Shaolin Soccer. Eles vieram ao Japão para divulgar seu Kung Fu, e acabaram ficando como auxiliares do restaurante do antigo sensei de Rin, o Kenji Iwai.

O filme ainda tem como produtor Stephen Chow e foi distribuído pela Toho, que tem em seu catalogo desde clássicos como Godzilla, a sucessos atuais como HERO, Gokusen entre outros que estão chegando ao cinema após sucesso de suas séries na televisão. No Brasil ela é mais associada a filmes como Godzilla e a séries de tokusatsu, como Cybercops.

A história

Vamos para a China, ver os últimos treinamentos de Rin Sakurazawa em um templo Shaolin. Mestre ao perguntar em todas as alunas presentes, o que fariam com Kung Fu, apenas Rin responde que continuará com a arte, como também deseja ensinar aos demais. Mestre que é interpretado por Akaji Maro (Kill Bill) dá um conselho a Rin que a arte do shaolin é um eterno treinamento e que ela nunca deverá deixar de treinar sua arte.

Rumo ao Japão, Rin descobre que os anos que passou China, pesou para seus antigos amigos e companheiros que largaram seu antigo Dojo. Completamente destruído e abandonado, o Dojo que Rin pretendia continuar e começar suas aulas está fechado e seus alunos já seguiram suas vidas sem ter espaço para o Kung Fu. Seu antigo sensei abriu um restaurante e não quer saber de dar aulas novamente.

Inicialmente, Rin decide procurar novos alunos, mas a busca é em vão, fazendo a desistir de dar aulas.

Shaolin Lacrosse?

Ficando amiga de Minmin, Rin decide jogar Lacrosse na faculdade, mesmo não sendo aluna, ela acaba ganhando a chance de virar membro do time.

O que é Lacrosse?

Lacrosse é um desporte criado pelos indígenas americanos no século XV, sendo bastante praticado no Canadá e nos EUA. No caso, o time feminino é formado por 12 pessoas que uma rede (crosse), uma bola de borracha, aonde o contato não é permitido, apenas o stick, assim restringindo arremesso de bola entre as redes até baliza do adversário.

Voltando ao filme, Rin demonstra uma grande habilidade com a rede, porém não consegue fazer entrar nenhuma bola na baliza.

O sensei Kenji Iwai entrar no time como treinador, assim treinando o time e dando dicas entre o kung fu e o lacrosse, utilizando-se da mesma fórmula que já conhecemos em Shaolin Soccer.
Paralelamente, vemos sempre que Kenji desmerece Rin, deixando fora do time. Durante seu primeiro jogo, Rin é obrigada a ficar no banco, sendo que exige entrar no segundo tempo. Egoísta, ela tenta roubar todas as passagens de bola para si, resultando a perda do time no jogo. Kenji revela a falha dela em não confiar em suas parceiras, fazendo ela sair cabisbaixa do jogo.

O lado negro da força

Enquanto isso vai se montando a história de Yuichiro Ohba, um dos sócios da universidade, aonde Rin é membro do time de Lacrosse. Yuichiro se sente atraído por Rin decidindo destruir tudo que ela tem, para ela ir para o lado negro da força.

Ele manda seus homens seqüestrarem Minmin, enquanto ele luta com Kenji o derrotando. Ao mesmo, seus homens põe fogo no restaurante, fazendo Ram e Tin saírem correndo de lá.
Ao mesmo tempo, Riyuji Tamura que permitiu que Rin fosse do Lacrosse e sempre comia no restaurante do Kenji, acaba fugindo do lugar.

O antigo dojo e o restaurante explodem, deixando Rin sem nada. Querendo resgatar Minmin, ela parte para universidade, para descobrir quem é o Yuichiro.

A luta final

Rin, Ram e Tin vão para a universidade, atrás de Yuichiro. Rin continua, enquanto Ram e Tin luta contra os homens de Yuichiro. Enquanto isso Riyuji revela-se ser um dos olhos de Yuichiro, lutando contra Rin, mas ele acaba levando a pior com ela.

Rin encontra Minmin, mas vai ter que aceitar o desafio de Yuichiro e não entrar no lado negro da força. Numa força sem precedentes, os dois elevam seu ki numa batalha incrível .

O grande segredo de Rin é saber perdoar e a luta se desenvolve mais como uma segunda chance para Yuichiro que é abraçado por Rin e encontra seu verdadeiro eu de volta.

O fim

Rin salva a todos e retorna em cima da hora para o jogo de Lacrosse. Vemos junto Minmin de volta ao time, sendo que todas utilizam de golpes do kung fu para vencer o campeonato.

Ao fundo do jogo toca a canção tema do filme, Giri Giri Hero, do grupo Mihimaru GT, deixando uma vontade de querer ver como continua a história.

Conclusão

O filme infelizmente para quem esperava algo voltado a esportes como em Shaolin Soccer se decepciona. Sendo um filme carismático e que chega até a brincar com cinema asiático, principalmente na cena em que Rin se veste exatamente igual como Stephen Chow em Kung Fusão, numa sucessão de homenagens a filmes chineses, Shaolin Girl é um filme mal compreendido, por não ser focado no esporte, como o filme Shaolin Soccer.

Shaolin Girl é um filme que tem um bom desenvolvimento, porém não deveria ter conexões com Shaolin Soccer, já que funciona muito bem como filme sozinho e tem personagens bastante carismáticos, sendo que a presença de Tin e Ram são mesmo que grandes, bastante dispensáveis.

Kou Shibasaki está excelente como Rin e demonstra que teve boas aulas de artes marciais, nas cenas de luta, sendo bastante convincentes.

Lembrando que para quem já viu ela em doramas e outros filmes, é interessante ver essa nova faceta da atriz.

About Giuliano Peccilli

Editor do JWave, Podcaster e Gamer nas horas vagas. Também trabalhou na Anime Do, Anime Pró, Neo Tokyo e Nintendo World.

View all posts by Giuliano Peccilli

One Comment on “Crítica | Shaolin Girl | Uma seqüência do clássico Shaolin Soccer?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.