Ano passado lamentávamos com o fim de Power Rangers RPM, portanto o fim de uma era de produções baseadas em séries japonesas, aonde as filmagens eram realizadas na Nova Zelândia. Agora, vemos o relançamento de Power Rangers remasterizado, ou chamado carinhosamente pelos fãs, de versão “KAI” (em referência a Dragon Ball Kai).

Tendo onomatopéias que faz Power Rangers pagar mico para Batman, a série voltou de uma forma bem diferente do que esperávamos. Melhorar era impossível, mas parece que a edição realizada pela Disney nas séries da Saban, foi atualizar o trash, transformando o velho em novo. Assim entram cenas de chute que a imagem gira na tela, Rita repulsa saindo da cápsula e a imagem sendo congelada, entre outros efeitos que quem assistiu a série original, não irá reconhecer mais.
A sensação que mexeram na nossa série de infância é sentida logo na abertura, quando Rita sai da cápsula e a imagem é congelada com raios saindo atrás dela. Depois o Jason dá um chute e a imagem treme, além disso a famosa dança do Zack também foi substituída na abertura, além disso temos um novo logo, além de um excesso de cores que realmente chama atenção.
Se por um lado, a equipe da remasterização teve bom senso, nivelando os níveis gritantes de cores, aproximando as cenas filmadas nos EUA e no Japão, parece que alguém exagerou nas cores, e os personagens fazem coreografias embalados num fundo colorido desenhado por crianças de 4 anos de idade.
Outro ponto positivo foi na apresentação dos vilões que, foi criado uma página de quadrinhos com os personagens, logo no começo, ficando de fácil entendimento, além da cena dos zords, com balões explicando os nomes deles. Isso foi bem sutil e não ficou destoado, como alguns efeitos aqui.
Logicamente, esses são os primeiros episódios e provavelmente a série deve encontrar uma média, mas é bom saber que estão sendo exibidos dois episódios, invés do tradicional um. Isso indica que a maioria dos episódios não vão ser cortados, já que está confirmado para final do ano, a estréia da fase Zeo nos mesmos moldes.
No sábado tivemos a exibição do primeiro e segundo episódio, sendo que os vídeos aqui apontam as principais mudanças realizadas na série. O público desejava o retorno da série, pode nao ter sido da maneira que imaginaram, mas Mighty Morphin Power Rangers voltou. Agora fica a critério de vocês, achar se Power Rangers remasterizado, agradou ou não agradou.
Ainda não sabemos se a série será exibida no Brasil e se será preservado a dublagem original, ou se a série sendo remasterizada, terá que ser redublada. Caso for redublada, esperamos por parte da exigência e rígida dublagem da Disney, recrute a maioria dos dubladores originais, além de manter a boa tradução e adaptação, além de gírias lançadas na época.
Que venha, Mighty Morphin Power Rangers!

Agradecimentos ao amigo Blue pelos prints.

About Giuliano Peccilli

Editor do JWave, Podcaster e Gamer nas horas vagas. Também trabalhou na Anime Do, Anime Pró, Neo Tokyo e Nintendo World.

View all posts by Giuliano Peccilli