São Paulo transformou-se em um pedaço de Okinawa no último final de semana (21 e 22/08). Os dois dias do 8º Okinawa Festival, realizado e organizado pela Associação Okinawa de Vila Carrão, trouxeram uma grande variedade de atrações, que mostraram ao público presente um pouco da rica cultura deste arquipélago, localizado bem ao sul do Japão. O Okinawa Festival vem ganhando lugar de destaque ao longo dos anos, e desde 2007 faz parte do Calendário Oficial da cidade de São Paulo.

O evento foi realizado no Clube Escola Vila Manchester, localizado no bairro de Vila Carrão, zona leste de São Paulo. Ao longo dos dois dias, vários grupos passaram pelo palco do festival, apresentando as mais diversas manifestações culturais da província.
E não foi apenas isso. Na praça de alimentação do festival, o público pôde experimentar alguns pratos típicos de Okinawa, como o Hija no Shiru (sopa de cabrito) e o Okinawa Soba (uma espécie de yakissoba à moda de Okinawa).

A praça de alimentação do evento trouxe alguns pratos típicos de Okinawa

Dentre as atrações culturais, um dos destaques vai para a música tradicional, por meio do som do sanshin (o shanisen de três cordas, típico da província). As principais escolas de minyo, o Ryukyu Minyo Kyokai e o Ryukyu Minyo Hozonkai, estiveram presentes no evento e mostraram ao público a beleza da música okinawana.

Godo Ensou – vários artistas tocaram músicas clássicas de Okinawa

Apresentação do Ryukyu Minyo Kyokai

O som alegre dos tambores também marcou presença no Okinawa Festival. Os dois principais grupos de taiko de Okinawa, o Ryukyu Koku Matsuri Daiko e o Requios Gueinou Doukoukai levantaram o público com suas apresentações.
O Matsuri Daiko ainda surpreendeu o público apresentando a dança do leão (Shishi Mai).

Concentração do Ryukyu Koku Matsuri Daiko, no sábado

Alguns momentos do Ryukyu Koku Matsuri Daiko

A dança também esteve presente no festival. Vários grupos passaram pelo palco do evento, e mostraram a beleza e a sutileza do Ryukyu Buyo (a dança tradicional de Okinawa).
Uma das apresentações mais marcantes foi “Kamigami”, uma belíssima coreografia do Saito Satoru Ryubu Dojo, realizada em conjunto com o Ryukyu Koku Matsuri Daiko.

A dançarina Sayuri Tamashiro

Vários grupos de dança passaram pelo palco do evento

Alguns momentos de “Kamigami”, coreografia conjunta do Saito Satoru Ryubu Dojo
com o Ryukyu Koku Matsuri Daiko

E, claro, não poderiam faltar as apresentações de artes marciais. Apresentações de aikidô, kung fu e principalmente de karatê (arte esta que nasceu em Okinawa e depois se espalhou pelo resto do Japão) e kobudo (arte de uso de armas, nativa de Okinawa) foram realizadas entre os dois dias do evento, e fizeram sucesso entre o público presente. Destaque para a apresentação da escola Okinawa Kobudo Jinbukai, sob o comando do sensei Flavio Vicente de Souza, no domingo, bastante aguardada pelo público no dia.

Okinawa Goju-ryu Bujutsu Kyokai

Okinawa Kobudo Jinbukai/Okinawa Shorin-ryu Karate-do Jyureikan

Alguns convidados ilustres também passaram pelo palco do Okinawa Festival. O cantor e apresentador Yudi Tamashiro, do SBT, e o ilusionista Mário Kamia, do programa “Tudo é Possível”, da Record, se apresentaram e levaram seus fãs ao delírio.

Yudi, do SBT, também marcou presença no evento

O mágico Mário Kamia impressionou a platéia com seus truques

E nem só de atraçoes tradicionais e de celebridades se fez o Okinawa Festival. Grupos que misturam o som do shamisen com o rock, como o Rocksamiyo, também trataram de levantar o público.
Ao final do último dia, o grupo Tontonmi fez uma apresentação muito especial e animada, que foi seguida de uma grande queima de fogos.

O grupo Rocksamiyo animou a galera no sábado

O Tontonmi levantou o público no domingo

Queima de fogos de artifício ao final do último dia

E assim foi o Okinawa Festival. Um evento bastante animado, com toda a alegria e a empolgação característica da província de Okinawa, e que a cada ano vêm crescendo e evoluindo cada vez mais, ganhando espaço entre a comunidade nipo-brasileira e o público paulistano.
Um evento que vale a pena conferir.

Por enquanto é só, pessoal. Até a próxima! 😉

About Daniel Ramos

Sempre presente nos eventos de cultura japonesa que saem nas páginas do JWave.

View all posts by Daniel Ramos