Em 1989, nascia a primeira animação ocidental baseada no universo Super Mario Bros., que era “The Super Mario Bros. Super Show!”. Mas você deve estar se perguntando “por que animação ocidental?”, não é? Em 1986, Super Mario Bros., acabou virando animação para os cinemas, gerando um mangá baseado no mesmo filme e sendo lançado logo depois do lançamento do jogo em 1985. Além disso, em 1984, existia uma animação americana chamada Saturday Supercade que misturava vários jogos de árcade, e um deles era Donkey Kong, trazendo Jumpman entre os personagens animados, uma versão ainda “rascunhada” do que seria o Mario em 1985.

Voltando ao desenho, ele foi produzido pela DIC e distribuído pela Viacom, sendo lançado no Brasil pela Rede Globo. Sendo exibido no Xou da Xuxa, a série teve 65 episódios, dos quais 52 eram do Mario e os 13 restantes sobre The Legend of Zelda.

O desenho, principalmente, trazia referências de Super Mario Bros. e de Super Mario Bros. 2, misturando personagens como o Rei Koopa com Birdo, além de outras referências que, naquela época, ainda não tinham sido vistas juntas em jogos do Mario.

Live-Action


O Live-action sempre abria o desenho, contando alguma atrapalhada, e repleta de convidados. O lutador Lou Albano fazia o papel de Mario, enquanto Danny Wells fazia o papel do Luigi. Na série tivemos as primas do Mario e Luigi, chamadas Marianne e Luigeena, entre outros personagens criados exclusivos para o Live-action.


Para fãs da série Anos Incríveis, a atriz Danica McKellar que fazia Winnie Cooper, fez a mimada Patty, no segundo episódio de “The Super Mario Bros. Super Show!”.

Outro episódio lembrado pelos fãs é quando o ator Ernie Hudson, que faz o papel de Winston no Caça- Fantasmas, aparece na série pra divulgar o segundo filme deles, em 1989. Bem antes de Luigi´s Mansion existir, nesse episódio Mario e Luigi tem que caçar fantasmas em seu escritório.


Desenho

A série abria sempre com Mario fazendo um resumo de como veio parar lá, e está tentando salvar a Princesa Toadstool das mãos de Koopa para voltar para casa. Ele, Luigi, a Princesa Toadstool e o Toad andavam pelo mundo enfrentando Koopa, que sempre aparecia com algum plano para seqüestrar a princesa.


O primeiro episódio da série é o Toad sendo confundido com o filhote do personagem Birdo, que é míope e confunde os dois. Mario e Luigi encontram o filhote e pedem que Birdo ajude a lutar contra o Koopa.

A série era basicamente assim, com episódios únicos, que poderiam ser acompanhados sem uma ordem específica e sempre traziam de maneira bem humorada o personagem Koopa, que tentava ser rei do Reino dos Cogumelos.

Dublagem

A dublagem realizada nos estúdios Herbert Richers trouxe algumas pérolas, como “Os Bombeiros Super Mario”, um termo regional para se referir a encanadores.

Mario foi dublado por Antonio Patiño, dublador que ficou famoso pela voz clássica do Tio Patinhas, enquanto o irmão Luigi ganhou a voz de Jomery Pozzoli, a voz do Coelho Abel do desenho Ursinho Pooh.


Para a princesa Toadstool, a voz dela era da dubladora Guilene Conte, a voz da Thalia em todas as novelas que passou aqui no Brasil pelo SBT, de Sabrina em Sabrina – Aprendiz de Feiticeira e da mãe do Chris em Todo Mundo Odeia o Chris.

A voz do Toad era o dublador Oberdan Jr., que fez a voz de TinTin, exibido no Brasil pela TV Cultura no começo dos anos 1990.

Por fim, o Koopa, que teve a voz de Paulo Flores, o dublador que ficou eternizado fazendo a voz de “Mufasa”, o pai de Simba em “O Rei Leão”.

Todo o elenco dublou as séries posteriores de Super Mario Bros. que a Dic produziu até Super Mario World e foram exibidas pela Rede Globo.


Publicado originalmente no Portal Nintendo World

About Giuliano Peccilli

Editor do JWave, Podcaster e Gamer nas horas vagas. Também trabalhou na Anime Do, Anime Pró, Neo Tokyo e Nintendo World.

View all posts by Giuliano Peccilli