Não é de hoje que companhias como LG e Samsung tem utilizado artistas coreanos para anunciar seus produtos no Japão. Em outros países, como Brasil, a empresa vem atuando de forma mais tímida, colocando clipes dos artistas nas lojas que vendem seus produtos.

No Japão, a explosão da música coreana entre os artistas mais vendidos em 2011, aliado a uma invasão dos artistas em séries, comerciais, ensaios, tem mudado a atitude dos consumidores japoneses.

“Eu costumava descartar produtos coreanos, mas agora eu não tenho nenhum problema com eles. Se a minha estrela favorita está anunciando uma TV sul-coreana, eu irei compra-lá. Eu quero me sentir mais perto deles, comprando os mesmos produtos que eles usam.” – Yuko Ishi, 53 anos

O resultado disso é que o telefone mais vendido do Japão no mês passado foi o Galaxy S II da Samsung, batendo candidatos pesados, como Iphone 4 (da Apple) e Aquos (da Sharp).

“A maioria dos clientes da Samsung no Japão são jovens entre 20 a 30 anos. O interesse deles por estrelas coreanas parece estar refletida nas compras de nossos produtos” – James Chung, porta-voz da Samsung em Seul.

Hoje, a Samsung está em terceiro lugar empatada com a Panasonic, em vendagem de celulares. Nunca, uma empresa sul-coreana havia conseguido passado da sexta posição no Japão, e agora com a influência da música coreana, ela obteve a terceira posição.

Mercado japonês
“O Japão é o mercado mais dificil do que qualquer outro, por causa da alta demanda dos seus clientes. Há certamente aqui, clientes que reconhecem a qualidade dos nossos produtos e o número está crescendo.” – Kyuhong Lee, presidente da LG no Japão.

As exportações sul-coreanas subiram 50%, nos primeiros seis meses desse ano pro Japão, gerando 17,75 bilhões de dólares, de acordo o Ministério da Economia do Conhecimento em Seul. Um crescimento acelerado e de 31% em relação ao ano passado.

O sucesso de artistas coreanos no Japão começou quando a NHK exibiu a série “Winter Sonata”, estrelada por Bae Joon Young, conhecido no Japão, por Yon-sama.

LG, artistas e anúncios na televisão japonesa
“Contratamos o grupo KARA porque elas são populares entre as mulheres jovens, a quem são dirigidas” – Donggun Kim, gerente geral da LG Japão

A LG contratou o grupo KARA para fazer propagandas dos amrtphones Optimus. O sucesso do grupo feminino no Japão chamou atenção de institutos, como a Oricon. O sucesso de KARA no mercado japonês atualmente só pode ser comparado a outros artistas estrangeiros: Led Zeppelin, The Beatles e Michael Jackson.

Lógico que o caminho que as empresas coreanas têm enfrentado para entrar no Japão não é fácil. Uma pesquisa realizada em dezembro revela que 52% dos japoneses consideram os produtos coreanos “baratos”, sendo 25% não confiam na qualidade dos mesmos, sendo o instituto de pesquisa My Voice Communications Inc.

O mercado japonês não é um mercado fácil para empresas estrangeiras, mas o sucesso das empresas coreanas aliadas a música coreana é realmente algo que chama atenção.

No Brasil
No mercado Brasil, empresas como LG vem fazendo manifestações a música coreana, apoiando eventos como Festival Coreano, além de exibir clipes de artistas coreanos em lojas de eletrônicos no Brasil.

Hoje, o consumidor que ir em lojas, como Casas Bahia, Ponto Frio, Fnac entre outras, o consumidor irá encontrar clipes do que tem de melhor do mercado pop sul-coreano. Hoje, clipes bem produzidos na Coréia são usados pra mostrar a qualidade desses televisões no país.

Infelizmente, o mercado brasileiro mesmo tendo programas que falam de música coreana, como “Leitura Dinâmica” (Rede TV), e mesmo dando ar de graça na MTV esporadicamente, ainda é muito pouco para atitudes mais ousadas por parte das empresas.

Vale frisar, que 3 grandes agências coreanas anunciaram que tem desejo de fazer shows no Brasil. Além disso, o canal coreano KBS fez um documentário pelo mundo, mostrando a força do K-POP no Brasil.

Se o que anda acontecendo hoje no Japão, pode acontecer no Brasil? Sim e não. O mercado brasileiro é totalmente diferente, sendo que empresas sul-coreanas vem crescendo sem focar na cultura do seu país no Brasil.

Graças a incentivos fiscais, como na fabricação de Tablets com redução de impostos, o Brasil tem atraído mais e mais investimentos. Outro fator é que a LG tem feito investimentos no país para se tornar líder em alguns segmentos, como linha branca que foram empregados 115 milhões de dólares numa projeção da empresa até 2014.

Para ler mais sobre o assunto, leia a matéria de Mariko Yasu e Maki Shiraki do Bloomberg  (em inglês) com informações da Coluna de Guilherme Barros do IG (sobre o mercado brasileiro) e do Japan Pop Cuiaba.

About Giuliano Peccilli

Editor do JWave, Podcaster e Gamer nas horas vagas. Também trabalhou na Anime Do, Anime Pró, Neo Tokyo e Nintendo World.

View all posts by Giuliano Peccilli