JArte #2: Desenhando Mangá Profissionalmente?

Olá, pessoal! Meu nome é Caio “Yo”, trabalho com ilustração para agências de publicidade, editoras, empresas e estúdios desde 2007, além de dar aulas de desenho. Já estive envolvido em grandes projetos, ações de publicidade, livros didáticos, arte para vídeos, arte para video-games e também com quadrinhos – já tendo alguns trabalhos como colorista e desenhista publicados. Quando fui convidado para fazer uma coluna, ainda mais em um site como o JWave me interessei muito, principalmente para falar da carreira de alguém que começa desenhando mangá, no Brasil, como para ajudar estudantes e aspirantes a ilustradores, quadrinistas e coloristas. Espero ajudar o tanto quanto possível!

Hoje vou falar um pouco sobre desenhar mangá profissionalmente no Brasil.

Muitos colegas e alunos que, como eu, começaram a aprender desenho através do interesse pelos quadrinhos japoneses, em algum momento, decidem começar a trabalhar profissionalmente (leia a primeira coluna para um pouco mais de informações sobre isso), mas batem com uma certa dificuldade: “Ilustrações ou quadrinhos em “estilo mangá” têm um apelo comercial, no Brasil? A resposta é mais complexa do parece…

Em primeiro lugar, temos que entender que o mangá é um gênero de desenho que, aqui no Brasil, ficou um tanto rotulado e estereotipado, para o público geral. Diferentemente do Japão, onde o estilo de desenho que nós nomeamos como “mangá” (palavra que nada mais quer dizer, em japonês, do que “histórias em quadrinhos”) é uma estética nacionalmente aceita, aqui no Brasil mangá só serve para certos tipos de público e em certos tipos de ocasião – e as editoras e agências de publicidade sabem disso. É difícil para elas comercialmente se arriscar no uso de um estilo de desenho que, à princípio, é atraente somente para uma parcela do mercado.

Foram poucas as situações em que eu, por exemplo, fui contratado para desenhar mangá. Geralmente foi em situações onde isso era interessante – para clientes como eventos de animê, restaurantes japoneses, e tal. Fora isso, somente outras duas vezes tive liberdade de usar um estilo descaradamente mangá, quando editoras didáticas me deram abertura para isso. Em se tratando de ilustração comercial, se você for limitado a um só gênero de desenho – como o mangá -, ficará limitado à uma parcela pequena de mercado. Todos os profissionais da área que começaram desenhando mangá, como eu, tiveram que, em algum momento da sua carreira, adaptar um pouco o seu próprio traço pro mercado ou se tornarem mais versáteis.

Se você quiser trabalhar com quadrinhos “em estilo mangá”, existem oportunidades por aí, mas não são muitas… Muitos acabam recorrendo ao mercado independente e, para ganhar dinheiro, acabam tendo que aprender a ter esse “jogo-de-cintura”. A maioria recorre à alternativa mais clara: trabalhar também com outros nichos: publicidade, storyboards, ilustração editoriais, infanto-juvenis… E, para isso, é preciso, como falei acima, saber tirar o rótulo de “mangá” do seu trabalho quando preciso. E isso não significa começar a desenhar cartum europeu ou no estilo dos quadrinhos americanos, isso significa apenas misturar algumas outras influências no seu traço, e fazer com que os códigos gráficos do mangá sejam mais uma inspiração do que uma limitação. Ilustradores como Hiro Kawahara, Elisa Kwon e Daniel HDR são ótimos exemplos de profissionais que souberam fazer isso!

Aliás, o próprio mangá surgiu de uma reinvenção dos quadrinhos americanos, parte do enorme bombardeio cultural durante o período de ocupação pós-guerra. É um estilo de linguagem e de desenho que surgiu da digestão feita pelos artistas japoneses, baseados em parte nos quadrinhos e desenhos animados vindo dos Estados Unidos, mas misturando também elementos de sua própria cultura. Se você usar os sábios japoneses como inspiração e fizer tudo isso se tornará um ilustrador comercialmente mais interessante.

Na próxima coluna vou falar sobre como divulgar o seu próprio trabalho, e a postura profissional que temos que ter durante essa divulgação! Você tem dúvidas sobre carreira, portifólio, profissão de ilustrador, ou mesmo sobre os seus desenhos? Mande um email para mim (caio.yo@gmail.com), e talvez suas dúvidas sejam respondidas aqui, em uma das próximas colunas!

Um abraço!

Comentários

comentários


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.
  • Cadmus-Senpai

    Ótima coluna! Das novas, foi a mais que curti. Os desenhos são seus? Se forem, parabéns!

    Nessa segunda ilustração… que sutileza! Transmite claramente a mensagem.

    Que venha logo o próximo post.
    My recent post NewPop anuncia seus mangás do CLAMP

    • Os desenhos são do caio sim! Ele manda bem pacas!

    • Como o Ronnie já adiantou, os desenhos são meus, sim! Esse são todos autorais (apesar de um ou outro ter sido aplicado, posteriormente, pra uso comercial).
      Muito obrigado! =)

  • Acompanhando esta coluna com afinco! Parabens Caio! Aguardo a próxima postagem!!

  • Grabriele

    Sou apaixonada por mangá,adoraria aprender a desenha-los.porém sou pessima…..e aque onde moro tbm,não tem um mercado que receba bem essa arte….