Play
Play

JWave Capa  249 Post site
O JWave dessa semana volta a abordar filmes japoneses e dessa vez falaremos de “My girlfriend is a cyborg”.

Do diretor Kwak Jae-Young, My girlfriend is a cyborg fecha a trilogia idealizada pelo mesmo criador dos filmes sul coreanos, My Sassy Girl e Windstruck.

Já imaginou ser abordado por uma mulher do futuro pra tirar do marasmo? É isso que vamos descobrir nesse filme.

Juba e Sasuke viajando pelo tempo com Cyborg.

PARTICIPANTES

Participação Especial


Ouça outros podcasts da cultura japonesa
JWave Capa  243 Post
JWave #243: Tanabata Matsuri
JWave Capa  246 Post
JWave #246: Hikikomori

Feed
Já assinou?

iTunes
Dê uma nota pro JWave e comente sobre nosso podcast por lá!

Facebook
Fanpage do JWave
Grupo do JWavecast

Indicação

Sailor Moon – Vol. 1
Sailor Moon – Vol. 2
Sailor Moon Vol. 03
Sailor Moon Vol. 04
Sailor Moon – Vol. 05
Sailor Moon – Vol. 06

Emails
[email protected]

About Giuliano Peccilli

Editor do JWave, Podcaster e Gamer nas horas vagas. Também trabalhou na Anime Do, Anime Pró, Neo Tokyo e Nintendo World.

View all posts by Giuliano Peccilli

20 Comments on “JWave #249 | My girlfriend is a cyborg”

  1. Falando em Dorama, o próximo Kamen Rider, o Ghost, que estrerá em Outubro, terá como roteirista um escritor de J Dorama e filmes. Takuro Fukuda que tem no curriculum “Trick” e “Mr. Max Man”. Ele é bom no que faz? Vcs que entendem mais

    1. Rs Abe Hiroshi sempre faz piada de ser dotado em Trick. A referência veio dai?

      Trick é o Arquivo X do Japão e eu adoro. Mr. Max Man nunca vi, mas se for avaliar por Trick, o roteirista é bom.

    1. Aliás, achei que era só um problema do Toriyama, mas pelo visto Japa não sabe nada sobre a diferença entre ciborgues e androides, heim?

      Ciborgue: ser humano com partes robóticas (#17, #18)
      Androide: robô com forma humanoide (#16, essa robô do filme)

      😀

  2. Paradoxo temporal.
    Cara toda história de tempo é confuso demais!
    A respeito do cast, o cara participante mencionou que se apaixonar por um robô “não ser algo legal”. Concordo, e ao meu ver não é algo muito saudável.
    Mas o carinho que temos por coisas inanimadas (Não necessariamente um paixão “carnal”) é algo muito bem representado no Chobits, quando o personagem na história questiona da mesma forma e o outro personagem responde algo do tipo: “A Persocon pode não ser humana, mas você é.”

    Mais se um dia um robô like Animatrix, passar a pensar como um ser humano. Acho que consequentemente acabarei tratando o como o tal.
    O que lembra muito o primeiro manga do fantástico Eden.


    Rsss seria foda a participação especial do time de elite sempre no final da cada cast.

  3. Paradoxo? Que paradoxo? Não tem paradoxo nenhum. Esse filme parece seguir fielmente o conceito do “universo fechado”: se houver possibilidade viagem no tempo, ela sempre aconteceu/acontece/acontecerá. Você viajar no passado já era previsto, pois isso sempre aconteceu. O futuro é fixo, assim como o passado, e o destino é imutável (a ilusão de livre arbítrio viria do fato de ignorarmos o futuro). Então, do jeito que foi narrado, a única coisa que fica pendente é: QUEM MANDOU A ROBÔ? Porque se o protagonista recriou a robô tal como era, ela ficou com ele até ele morrer, e depois foi parar num museu, que robô voltou para os 21 anos dele?

  4. por isso que sempre escuto jwave, sendo o fura fila dos podcast que escuto. Jamais teria interesse sobre o filme e tema, mas escutar vocês comentarem instiga a curiosidade.

  5. muito legal. Fiquei surpreso com os elogios do sasuke e que ele não deu spoiler na intro. Só tinha visto o trailer do filme,mas agora com esse podcast fiquei bem motivado a vê-lo. Agora vai para minha lista para vê-lo no final do ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.