JMangá 49 Capa Post

Bem vindos a mais uma JMangá!

Nesta edição irei comentar sobre a nova aposta da editora Panini: Tokyo Ghoul.

Agradecemos a Panini por enviar o mangá para esta analise.

História

Estranhos assassinatos começam a acontecer em Tokyo. Devido à evidência líquida nos casos, a polícia concluiu que os ataques são resultados de uma criatura que se alimenta de outros seres, um “ghoul” do tipo “eater”. Dois amigos de faculdade, Kaneki e Hide, criam a teoria de que os ghouls estão imitando os humanos, por isso nunca são vistos ou capturados. Eles nem imaginam que essa teoria pode ser verdade e a coisa sair do seu controle. Kaneki acaba se envolvendo sem saber com uma dessas criaturas, que ao atacar o garoto acaba morrendo acidentalmente, mas o deixa seriamente ferido e a ponto de morrer. A única salvação? Um transplante envolvendo a própria criatura, mas que poderá trazer consequências terríveis para Kaneki. Não quero entrar muito em detalhes, mas o que acontece decorrente da cirurgia foram o que me cativou. Aliás, a história poderia acabar nesse primeiro volume visto que tem um final em aberto, deixando algumas pontas em que serão abordadas nos demais volumes.

Formato

As dimensões são as já conhecidas 13,7 x 20 cm, o formato padrão da editora. O papel da edição é o Brite 52g. Não podemos esquecer que o mangá possui impressão interna nas capas. O preço da edição é R$12,90 a cada dois meses. Em Tokyo Ghoul, a Panini apitou por testar outra gráfica, a Ideal Industria Gráfica. O maior diferencial foi uma notável diferença no papel, ele é notavelmente mais claro que o usual das publicações da editora.

Tradução e Adaptação

A tradução ficou a cargo de Fernando Mucioli. Como padrão da editora, possui honoríficos. Confesso que não lembro de ter pego algum outro mangá traduzido pelo Fernando, mesmo sendo o “primeiro mangá traduzido” por ele, o texto em si está muito bom e fluido, apesar da quantidade de nomes e honoríficos e contribui para a obra te conquistar.

Considerações finais

Tokyo Ghoul me conquistou muito facilmente, tanto pelo conteúdo da edição quanto pela história. Esse “novo” papel é realmente muito bom, não chega a ser tão branco quanto o offset mas é bem superior ao usado anteriormente (mesmo  aparentemente sendo de gramatura menor).

4 JW's
4 JW’s

About Bruno Fernandes

Assíduo colecionador de mangás desde 2001 e eterno amante da cultura japonesa. Viciado em AKB48, Games e Blu-ray.

View all posts by Bruno Fernandes