JMangá Capa raixa
Todos sabem que o JWave é um site de cultura pop, nerd e japonesa. Apesar de algumas pessoas rotularem “nerds” (que também não deixa de ser um rótulo) como preconceituosos, nós nunca compactuamos com essa prática desprezível. Jamais levantamos uma bandeira específica, mas por outro lado, também não deixamos de observar e, quando necessário, nos posicionar quanto às lutas de nichos dentro da sociedade.

Infelizmente, percebemos que atualmente a “comunidade” nerd tem demonstrado anseios que são reflexo da nossa sociedade, vista muitas vezes como retrógrada e tradicional. Por isso, lemos o desabafo da autora do site Pink Vader, como também o deslize do concurso HQMix e, mais recentemente, o elogiado podcast Anticast sobre Machismo.

Queremos lembrar que muitas vezes aceitamos calados essa visão machista da sociedade que ataca principalmente as mulheres e gays. Ver essa discussão acalorada nos lembra que estamos abertos a debates, mas nunca compactuar com discriminação.

O irônico é que ser Nerd (ou Geek, para alguns) sempre foi motivo de preconceito. É inadmissível que um grupo de fãs que tenha sofrido tanto preconceito, acabe agindo da mesma maneira com outros nichos. Como não podem existir Mulheres Nerds? Como não pode haver discussão LGBT no meio Nerd?

O JWave é formado por diferentes minorias, mas nunca levamos isso em consideração, porque o que sempre foi importante e fundamental é a amizade e a colaboração mútua entre todos os membros. Não importa quem seja, mas sim o quanto acrescenta em nossas discussões e é por isso que temos mulheres muito importantes no JWave: Camila Barbieri, Erika Toretto e Luana Tucci; todas elas mulheres que acrescentaram e acrescentam muito em nosso site. Nunca exaltamos a colaboração delas por serem mulheres, mas sim, por terem opiniões pertinentes.

Queremos que esse alerta sirva de reflexão, porque vivemos em uma época em que não deveria existir mais não só esse tipo de preconceito, como todos os outros. A melhor maneira de acabar com preconceito é parar de aceitar tudo em silêncio e trazer essa discussão para o nosso dia a dia. Talvez um dia, tudo seja tratado com normalidade e não precisamos reforçar nosso posicionamento e nem aceitar esse moralismo crescente que vem infelizmente ganhando voz em nossa sociedade. Esperamos do fundo do coração que esse dia não demore a chegar.

Equipe do JWave

Para entender melhor, recomendamos:

Desabafo da autora do Pink Vader:
https://medium.com/@laurabuu/o-que-aconteceu-com-o-pink-vader-df44563040df

Sobre HQMix:
http://www.vitralizado.com/hq/a-cagada-epica-do-hqmix/

O Anticast:
http://www.b9.com.br/60430/podcasts/anticast/anticast-198-o-machismo-e-outras-coisas-no-mundo-nerd/

Gay Nerd no Omelete (Leia o texto e os comentários machistas)
http://omelete.uol.com.br/colunistas/artigo/gay-nerd-a-parada-do-orgulho-lgbtt-orange-is-the-new-black-e-sense8/

E ouça.. JWave #171: Hoje Eu Quero Voltar Sozinho
http://www.jwave.com.br/2014/04/jwave-171-hoje-eu-quero-voltar-sozinho.html

About Giuliano Peccilli

Editor do JWave, Podcaster e Gamer nas horas vagas. Também trabalhou na Anime Do, Anime Pró, Neo Tokyo e Nintendo World.

View all posts by Giuliano Peccilli

9 Comments on “Opinião | Nerds e seu “machismo””

  1. O duro é ver que em um dos itens específicos – o caso das feministas das HQs – elas também se fecham em seu nicho e também causam mal-estar entre as mulheres. Escrevi isso recentemente em http://www.papodebudega.com/2015/08/feminismo-x-hqs-filmes-e-afins.html !! Só é um ato feministas o que elas acham correto. Porque eu já questionei tempos atrás a questão de homens nus e elas desconsideram, como se eu não fosse um público-alvo.

    Então… Hoje em dia está muito complicado dialogar com as pessoas…

    Sandra Monte
    http://www.papodebudega.com

  2. Anticast é um antro de esquerdinhas caviar. Tem q ter cuidado com este tipo de temática, pq a linha entre a realidade e luta de classes é tênue. Sei lá, é minha opinião de merda, mas a galera exagera pra caramba. Quem esculhamba mulher não é macho é um ridículo fraco. Ser macho é ser forte é ser respeitoso é ser o primeiro a passar um cascudo em que pratica preconceito.

    1. Eu diria que respeitar não é ser homem ou macho, mas é o mínimo para ser humano.
      Antes da mulher ser mulher, a mesma é humana.

      É uma pena que exista ainda muita gente que não trata isso naturalmente.

      Mas vem cá cara, tu ouviu esse polêmico podcast do anticast?

      1. Tu entendeu o q quis dizer.

        Ouvi parte desse polêmico programa. Depois fiquei sabendo q toda confusão começou por causa de um comentário sobre o decote feminino, a garota se ofendeu, os carrochos loucos dos fãs do JN atacaram o blog dela.

        A atitude do JN depois do episódio foi idiota e covarde, ele deveria ter pedido desculpas pelos fãs e mandado eles criarem vergonha na cara e pararem.

        1. Sim eu entendi o que disse.
          É que me parece tão óbvio certas atitudes.

          Acabei ouvindo o anticast que fala sobre esse tema.
          E por parte das meninas achei a conversa bem produtiva.
          Mas da parte dos dois rapazes, me pareceu muito um desabafo podcastal.
          Pareceu-me que estavam puxando muita sardinha para as desavenças e coisas que ficam por trás das cortinas.

          Não quero defender ninguém, mas os caras estavam em outra vibe para mim.

          Em contra partida as garotas salvaram o programa. Pois muito do que elas falaram ouço da minha esposa.
          Elas deram um ponto de vista mais voltado ao meio da internet, mas não é preciso um esforço muito grande para você conseguir juntar os fatos.

          Quando respondi seu comentário estava me referindo a pessoa como um todo. Independente do gênero, respeitar é o “ponto de fuga” para todo convívio entre pessoas. Sem esse ponto de referência não é possível fazer nada. Infelizmente nossa sociedade herda a muito tempo a submissão do gênero feminino, o preconceito por parte de certas etnias, as diferentes opções sexuais das pessoas e entre tantas outras coisas.
          Rsss a diferença que antes isso era dado como certo, e se você ousasse dizer o contrário era queimado vivo, enforcado, afogado e etc.

          Hoje não tem mais desculpas para homens insistirem em agirem como macacos. Enfim… rsss

          Já está mais que claro que concordamos de certa forma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.