JWave Game #24: Persona 5

Pela primeira vez no JWave, eu irei falar de uma das maiores séries de JRPG de todos os tempos. Sim, estou falando de Shin Megami Tensei, para ser mais exato a sub-série, que virou a série própria Persona.   

História:
Assumimos o papel de um protagonista sem nome e sem voz, que ao ajudar uma mulher que estava sendo atacado por um tarado. Como assim? Acusado pelo tarado, sim é isso mesmo que você leu. Foi atacado e machucado dele, resultado: É coloca em regime semi-aberto e tem q mudar de cidade para ser reavaliado devido ao “crime” cometido.

A história é bem Japão e pra ficar mais nipônico, ele acaba se mudando para Tóquio e aqui viveremos a nossa vida dupla, típica do Persona, entre estudante recém transferido e combatente de shadows (os inimigos que habitam o coração dos humanos). Para dar um twist melhor ainda, o jogo se passa do meio pro começo, vamos assim dizer, melhor não falar nada pra não dá spoiler, mas espere muita coisa típica do dia-a-dia do Japão.

Gameplay:
 Como já é de se esperar, Persona é uma mistura de date com dungeon crowler, mas que nesse quinto episódio vem com boas novidades não só a inclusão de uma Tóquio bem representada, cheia de vida e de coisa a se fazer, como a volta de dungeon não aleatórias e bem trabalhadas. Alem de modo super fácil, apenas para você que quer acompanhar a história do jogo e não passar raiva com a dificuldade do jogo, já conhecido por não ser tão simples como Tales of ou Final Fantasy.

Pequenos problemas que pessoalmente eu tinha, foram arrumados e a jogabilidade está mais atualizada para os dias de hoje. O ponto principal para mim foi o botão que vai direto na melhor opção de dano contra os inimigos que você já conhece as fraquezas, uma coisa bem Final Fantasy 13, a qual eu amei por agilizar muito o grind.

Lembrando que é jogo com um passe de gameplay bem único, você tem que grindar ao mesmo tempo que tem q saber usar seu tempo entre sua vida civil e sua vida de herói, além de seguir o calendários letivo de um estudante do colegial japonês, com aulas até no sábado. Você poderá levar 80-100 horas para fechar a primeira vez e deixando muitas coisa para você fazer um replay e ver as outras escolhas. Literalmente um jogaço.

Gráficos/Som:
Mesmo esse jogo sendo ainda de Playstation 3 (entre gerações), os gráficos estão muito bonitos no Playstation 4. E olha que o principalmente motivo nem é o poder gráfico, mas a direção sublime de arte que se harmoniza com a já famosa direção de som/música, fazendo o jogo artisticamente já ser um must play para todo os fã de rpg e/ou anime.

Considerações finais:
Devo confessar que nunca fui tão fã dessa série, por alguns motivos de gameplay, mas que essa versão praticamente corrigiu quase todo eles. Além disso, o lugar onde a história ocorre me cativa muito, Tóquio. E pra pôr a cereja final nesse bolo épico e memorável, tudo que já era bom na série ficou melhor ainda. Um ótimo game para fãs de longa data, com a vontade de várias mecânicas familiares, e um excelente jogo para entrar no mundo de Persona/SMT.

Nota
5/5

Comentários

comentários


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.