JMangá #149: Dr. Slump #1

Para aqueles que acham que Akira Toriyama só sabe desenhar brucutus lutando entre si contra adversários cada vez mais fortes que acham isso o máximo, fiquem sabendo que não é bem assim.

Nos anos 80, Dr. Slump figurava nas páginas da Jump e fez muito sucesso como uma comédia nonsense (põe nonsense nisso). Alguns anos depois de ter sido lançado no Brasil pela editora Conrad e cancelado na 14a edição (correspondente à 7a edição japonesa), o mangá volta às bancas brasileiras, desta vez em um tanko completo e pela editora Panini. Venha conhecer essa obra divertida neste JMangá!

A história

Senbe Norimaki é um cientista, mas não tem nada de genial, tanto é que seu apelido é Dr. Slump (Dr. Fracasso). Um dia, ele resolve criar uma androide que, em teoria, pode passar por uma humana perfeita e assim nasce Arale Norimaki, uma simpática garotinha com aparência de 13 anos de idade.

O problema é que Arale é qualquer coisa, menos normal. E, como ela não tem experiência alguma em agir como um ser humano, as mais improváveis confusões vão acontecer a partir daí.

Apesar de ser míope (sim, Senbe criou um androide míope), Arale tem todas as outras habilidades humanas super ampliadas, como a força, inteligência (apesar dela não usar muito), velocidade e jovialidade, mas a que ela mais usa é a capacidade de ser sem noção e de se meter em encrencas. Após fazer amizade com os delinquentes do ginásio Akane Kimidori, Taro Soramame e P-Suke Soramame, Arale vive dias divertidos na Vila Pinguim, enquanto se adapta à vida de humana.

Cada capítulo é praticamente uma historinha à parte, não havendo muita linearidade. Praticamente no final de cada um deles, tem uma atividade para crianças, como jogos para encontrar os erros ou ilustrações para colorir, tudo com o humor a la Toriyama, já conhecido de todos.

A reedição brasileira

Diferente da sua primeira publicação pela Conrad, esta versão de Dr. Slump da Panini veio como tanko completo, mas com papel pisa brite, como a maioria dos shonen da editora.

A tradução ficou por conta de Drik Sada e a edição, sob responsabilidade de Bruno Zago.

Opinião

Dr. Slump é um mangá da década de 80, portanto, com o humor peculiar da época.

As situações pelas quais Arale passa são engraçadas, mas na maioria das vezes irritantes, pois ninguém consegue ser tão sem noção assim, mesmo considerando que ela é uma androide que acabou de “nascer”. Talvez por esse fato, ela seja capaz de fazer de cabeça uma conta matemática de nível universitário, mas não tenha a sutileza de se comportar como um ser humano.

Em defesa da protagonista, o exemplo que ela tem em casa não é dos melhores e suas companhias na escola também não são as mais adequadas para sua suposta idade (Akane, sua melhor amiga, falta à escola porque tem ressaca, e ela só tem 13 anos).

Neste primeiro volume ainda existem poucas piadas escatológicas, mas o duplo sentido reina soberano, algo que também era observado no comecinho de Dragon Ball.

Posto isso, Dr. Slump é aquele mangá que a gente deve ler de forma descompromissada, sem esperar nada que transforme sua vida. Mesmo que você revire os olhos em alguns momentos, abra a mente e dê umas boas gargalhadas, afinal, temos uma boa dose de realidade todos os dias e não tem necessidade de ficar problematizando tudo. Divirtam-se!

Agradecemos à Editora Panini por ter encaminhado o exemplar para análise.

Comentários

comentários


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.