JMangá #166: Mob Psycho 100 #1

Continuando com os lançamentos da Panini na CCXP, desta vez o JMangá fala sobre Mob Psycho 100.

De autoria do roteirista de One Punch Man, Mob é uma história bem divertida que vai conquistar muitos leitores.

A história

Arataka Reigen é um rapaz que se intitula médium, mas não passa de um picareta. Ele é procurado todos os dias por pessoas que alegam ter problemas com espíritos e usa sua lábia para tentar resolver esses problemas.

Médium picareta x Fantasma com errinho de digitação

Quando a coisa fica feia de verdade, ele chama seu discípulo Shigeo Kageyama (mais conhecido como Mob), que é um paranormal de verdade e com poderes impressionantes.

Mob é um rapaz de aparência calma e inexpressiva, que não aparenta se interessar por nada, exceto por uma colega da escola, Tsubomi, a quem acha linda. Sua vida se resume a ir para a escola, recusar convites para clubes bizarros e ajudar Reigen como assistente por 300 ienes a hora.

Essa inexpressividade toda serve a um nobre propósito: Mob se mantém sob controle ao deixar sua raiva represada. Quando libera 100% dela, seus poderes chegam em um nível que pode destruir tudo ao seu redor. Sua extrema falta de noção pode ser considerada sua trava, o que permite que o dia-a-dia dele seja praticamente normal.

Um dia, Mob acaba se envolvendo sem querer no encontro de uma seita liderada pelo esquisito “Covinhas-sama”, que acredita que toda pessoa deve sorrir para espantar os problemas. O único detalhe nisso é que essa técnica é uma espécie de hipnose, que sujeita os seguidores da seita a agir com seu líder deseja. Ao tentar hipnotizar Mob, acaba acontecendo um incidente: o garoto acaba libertando 100% de sua fúria e o resultado não é nada bonito… será que o mangá terá mais de um volume depois disso?

A edição brasileira

Mob Psycho 100 foi editado em pisa brite, como a maioria dos mangás da editora, o que deixou uma parcela de fãs chateada, já que esperavam uma edição nos mesmos moldes de One Punch Man.

O exemplar traz um marca páginas de brinde, com imagem do anime de Mob Psycho 100, aproveitando para fazer propaganda da plataforma Crunchyroll. A edição  é de Diógenes Diogo e a tradução de Felipe Monte.

Opinião

Mob Psycho 100 é uma leitura despretensiosa e divertida. A interação de Mob com os outros personagens funciona bem, fazendo com que a história tenha um ritmo legal.

Foi interessante ver Mob explodir já no primeiro volume, bem como as etapas para que isso acontecesse, a opinião de Reigen sobre os poderes dele e o modo como o garoto administra tudo isso em sua vida.

Não assisti ao anime nem tive contato com a obra além deste primeiro volume, mas sinto que ela tem potencial para virar uma trama até mais interessante que One Punch Man. Espero ansiosamente pelos próximos volumes para ter certeza.

Agradecemos à editora Panini por ter encaminhado o exemplar para análise.

Comentários

comentários


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.
%d blogueiros gostam disto: