JMangá #170: The Legend of Zelda (Ocarina of Time)

Completando o combo de lançamentos da Panini ocorridos em dezembro, um título que é um verdadeiro deleite para os fãs de aventura e, além disso, um clássico que alegrou a infância de muitos dos nossos leitores.

The Legend of Zelda – Ocarina of Time chegou às bancas e lojas especializadas em uma linda edição, estrela deste JMangá.

A história

Tudo começa com Link, um garoto que vive em Hyrule, na floresta dos Kokiri. Essas criaturas andam sempre em companhia de suas fadas e são liderados pela Grande Árvore Deku, uma espécie de guardião da floresta.

Link se dá bem com todos, mas, ao contrário de seus companheiros Kokiri, não possui uma fada. Por isso, sofre preconceito de alguns deles, mas tenta não dar muita bola e focar na menina de quem gosta, a meiga Saria.

Um dia, a Grande Árvore Deku é atacada por um parasita que a torna maligna, mas com a ajuda inesperada de um dos Kokiri, consegue desfazer a maldição. O único problema é que esse acontecimento desencadeia a morte da árvore, que finalmente revela à Link parte de seu destino: ele deve proteger Hyrule das forças malignas que a rodeiam e, para isso, deve ir até o castelo e entregar a esmeralda dos Kokiri para a princesa escolhida pelas deusas.

Abalado pelo peso de sua missão, Link parte deixando a floresta onde cresceu acompanhado da fada Navi, rumo ao castelo de Hyrule. No mundo de “fora”, aprende muitas coisas e conhece Zelda, a princesa de quem a Grande Árvore Deku falava. Ela o intera da situação do país e lhe conta a premonição que teve com aquele que salvará Hyrule da destruição.

Link só não imagina que as forças que vitimaram a Grande Árvore Deku já estão agindo no castelo e que sua missão é muito maior do que ele poderia imaginar. Nessa aventura, o garoto não só encontra respostas para as perguntas que carregou consigo por toda a vida, como acaba por tornar-se o Herói do Tempo e cumprirá o destino para ele tecido, mesmo deixando para trás sua inocência.

A edição brasileira

Zelda – Ocarina of Time é uma espécie de formato big, porém com orelhas. A edição ficou muito bonita e com um preço até que justo. Serão cinco edições no total.

O papel utilizado foi o off-set, o mesmo das páginas coloridas no início do volume. O resultado ficou bem bacana. Se tenho algo a dizer de negativo, o hot stamp dourado na lombada pode sair dependendo de como se segura o volume, então, cuidado redobrado na hora da leitura!

O exemplar também vem com um marca páginas lindo de brinde, mas não foi publicado o tradicional glossário.

A tradução ficou por conta de Fernando Mucioli e a edição é de Beth Kodama.

Opinião

Eu era uma daquelas que chamava Link de Zelda, confesso. Nunca joguei nenhum dos jogos, nunca me interessei por nada relativo à franquia; sendo bem sincera, as únicas franquias da Nintendo que tive contato foram Super Mário e Pokémon (sendo que, no lançamento deste último no Brasil, eu já  era maiorzinha).

Com o tempo, fui conhecendo melhor o mundo de Zelda e Link, mas não a ponto de me considerar uma especialista (nem sabia que existia mangá dessa franquia). Assim, quando peguei o mangá em mãos, não sabia muito o que esperar além de uma edição bonita.

Ao começar a ler, percebi que, mesmo sendo uma trama de aventura e fantasia como tantas outras, a história de Link me tocou. Fiquei um pouco emocionada ao vê-lo crescer de forma tão abrupta, sem nem ao menos digerir as respostas para as perguntas que fez a vida toda, e, ainda assim, ajudar os habitantes de Hyrule com um sorriso no rosto.

Como iniciante no mundo de Zelda, espero que as próximas histórias sejam tão emocionantes e envolventes quanto Ocarina of Time. Estou ansiosa pelo próximo volume!

Agradecemos ao pessoal da editora Panini e da Litera, que, gentilmente, enviou o exemplar para análise.

Comentários

comentários


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.
%d blogueiros gostam disto: