Em 2018 tivemos a 15º edição do Anime Friends e com ele, o evento ganhou uma nova administração. Prometendo ser o maior Anime Friends, a empresa trouxe mudanças pontuais, trazendo novidades para o maior evento de animê e mangá na cidade de São Paulo.

15 anos de sucesso
Anime Friends surgiu em 2003, sendo realizado no colégio Madre Cabrini na zona sul da cidade de São Paulo. O evento que reuniu amigos e fãs acabou mudando a forma de produzir eventos até então, trazendo artistas do Japão.
O sucesso do evento naquele ano acabou levando no ano seguinte no Espaço das Américas, posteriormente passando pela Universidade Santana, Mart Center, Campo de Marte e por fim Transamerica Expo Center.

Tendo uma nova administração, Anime Friends ganhou outra casa e assim Pavilhão de Exposições do Anhembi foi escolhido já no Ressaca Friends. É um tanto curioso que de diversos lugares que o evento passou, Anhembi acaba sendo próximo da Universidade Santana e do Campo de Marte, assim para quem frequenta o evento desde o começo, não deixa de ser nostálgico em passar nesses lugares.

Agora na administração da Maru Division, o evento volta a ganhar contornos de cultura japonesa mesmo que a cultura coreana com K-POP continue ocupando e até aumentando seu espaço dentro do evento.

Mas será que houve uma renovação do evento em si?
Quem frequenta eventos de animê e mangá há 15 anos, provavelmente reconheceu alguns rostos dos bastidores. É uma empresa nova que está por trás, mas não muda o fato que você não precisa jogar fora um passado, então ver rostos do passado, acaba se percebendo que algumas dessas peças são essenciais para o evento continuar no mercado.

E frequentando shows do Ultraman e da Hatsune Miku se percebeu uma predileção em nostalgia. Seria focando numa nova geração ou numa velha geração que leva sua família para os eventos hoje em dia?

Independente do que for, o Anime Friends movimentou 15 milhões reais, trazendo um público de 50 mil pessoas. Gerando em 4 dias de eventos, o Anime Friends teve 35 shows e 60 painéis, se aproximando muito mais do modelo do CCXP hoje representa no mercado, do que as raízes do evento em 2003.

Se em 2003 o Anime Friends tinha como concorrente o Animecon, o evento teve que se reinventar em 2018 para “brigar” com Brasil Game Show e Comic Con Experience. É verdade que Anime Friends se reinventou algumas vezes no meio do caminho, deixando de lado premiações como Oscar da Dublagem e trazendo pra si concursos internacionais como World Cosplay Summit.

No último ano, Anime Friends havia ganhado contornos de um evento mais sofisticado, trazendo shows e um espaço de exposições, o que agregou, mas também se percebeu um esvaziamento do público, justamente por seguir um modelo de preço mais caro, bastante similar ao Comic Con Experience.

Mas pelo curto tempo que foi anunciado a nova administração do evento em 2017, não se percebeu qual era a intenção dos organizadores. Restando a dúvida de qual estrutura seria seguido em 2018.

Assim o Anime Friends chega ao mesmo espaço que acontece eventos como a Campus Party, porém nem dando dando destaque aos palcos como eram nas edições passadas, mas trazendo painéis de apresentações internacionais, como Ultraman Heroes e Hatsune Miku. E quando se pensa em Ultraman, o evento ainda trouxe museu com itens do herói e uma lanchonete temática com lanches Ultra e de monstros da série de televisão.

Na parte de convidados, tivemos a atriz de Tokusatsu e Dorama, a Ayame Misaki, a cosplayer Lady Lemon, e o ator Takumi Hashimoto. Musicalmente tivemos diversos talentos nacionais, mas quando se fala internacionalmente, os destaques foram a cantora Yumi Matsuzawa, Deadlift Lolita, Myth & Roid, o grupo sul coreano Blanc7, o DJ Hachioji P e as bandas Snowkel e Oreskaband.

Foi interessante ver escolhas atuais como a atriz Ayame Misaki, além de ver shows bastante empolgantes como Oreskaband, Blanc7 e Snowkel. Por outro lado, lamentamos bastante que o show da Yumi Matsuzawa na sexta-feira tenha tido problemas de som e um grupo de dançarinas que não estavam muito empolgadas, além de um telão projetando em looping eterno o nome da cantora. Lógico que são erros que se corrige, sendo que no dia seguinte a qualidade sonora do show estava mais empolgante, além de que o telão ter passado imagens de animês e não só o nome das atrações, assim entendemos que alguns erros foram corrigidos, mas assumimos sentir falta dos palcos antigos do evento.

E um fato bastante curioso foi a excelente praça de alimentação que o evento teve. Tudo bem que os preços talvez estivem altos, porém nada muito diferente de outros eventos do gênero, então tornava uma boa opção pro público ali presente.

Agora se temos algo para aplaudir do novo evento foram as palestras internacionais. Adoramos saber o processo de criação da Hatsune Miku, além do verdadeiro show que o DJ Hachioji P proporcionou dentro do evento. Quanto ao Ultraman Heroes, a nostalgia funcionou e foram excelentes shows pra levar qualquer adulto as lágrimas de tanta emoção.

Na parte de palestras, tivemos diversos anúncios de editoras, agora num espaço que não teve tanta invasão de som como já teve em algumas edições passadas. É verdade que o anúncio do Jaspion roubou holofote no sábado ao reunir no mesmo palco a Sato Company e a Editora JBC, porém também tivemos bons momentos na palestra da Panini Comics e no bate-papo entre editoras no dia seguinte.

Além disso, o evento teve stands bastante bonitos da Editora JBC, Editora NewPOP, Panini Comics, Crunchyroll e da Bandai Namco.

E se de um lado temos um evento que se rejuvenesceu, seguindo uma nova visão de mercado, também temos a sensação que algumas coisas nunca mudam. E pensando nisso que devemos esperar 2019 para entender quais os próximos passos dessas empresas.

O que podemos dizer até aqui é dar os “parabéns” a nova empresa que administra o Anime Friends por trazer de volta a cultura japonesa dentro do evento. Teve pontos positivos? Teve. Teve pontos negativos? Também teve, mas a empresa entendeu durante a feira e muitos deles foram se solucionando sem que o público percebesse. Então só podemos desejar que o evento continue com mesmo entusiasmo que veio em 2018. Assim, esperamos que no ano que vem traga ainda mais atrações únicas para o nosso país.

Sei que estou curioso para ver como o público e os eventos estarão em 2019. Quais serão os próximos passos? Escolhas? Formatos? Mas e vocês? Estão curiosos pelo que vem por aí?

Agradecemos a organização do Anime Friends pela edição 2018 e permitir nossa cobertura no evento.

About Giuliano Peccilli

Editor do JWave, Podcaster e Gamer nas horas vagas. Também trabalhou na Anime Do, Anime Pró, Neo Tokyo e Nintendo World.

View all posts by Giuliano Peccilli