CCXP 2018: Cobertura Geral


O CCXP 2018 acabou e agora é um momento de reflexão do que foi bom e ruim na edição desse ano. O primeiro dado chama atenção porque esse continua sendo o maior Comic Con do planeta, tendo um total de 262 mil visitantes em 4 dias de evento.

Mas vamos retornar um pouco no tempo e falar o que CCXP fez para se tornar essa potência em 2018. Estando presente desde o começo, acompanhamos as mudanças do evento, como as mudanças no espaço do São Paulo Expo que reformou a estrutura de eventos, como construiu prédio de estacionamento em anexo ao evento.

E paralelo a isso o CCXP evoluiu cada ano e em cada mudança se tornou ainda mais grandioso. Esse ano não foi diferente e trouxe alguns méritos que marca como especial a edição de 2018, sendo a primeira que foi o ano com mais participações internacionais, seguida de que foi o ano mais gamer do evento.

Logicamente que o evento divulga alguns números oficiais que são surpreendentes, como que dos 262 mil visitantes, eles teriam tido um consumo em média de 300 reais. Desse mesmo público, 50% é de São Paulo, sendo a outra metade de 26 estados e do Distrito Federal. 55% do público é masculino e 45% feminino, sendo que se colocar fator idade, até 25 anos as mulheres dominaram o evento.

Então o CCXP 2018 deixará saudade, mas sem antes analisarmos melhor o evento em nossa cobertura especial.

Meca do cinema internacional?
Homenageando 25 anos de Power Rangers, CCXP trouxe 5 atores desses 25 anos, como também diversos atores internacionais, como de Jake Gyllenhaal, Sandra Bullock, Zachary Levi, Tom Holland, Brie Larson, Ellen Page, Michael B. Jordan, Sebastian Stan entre outros. Foram nada menos que 42 delegações de Hollywood, gerando um recorde pro CCXP.

Um evento que cresceu tanto que a cidade ficou pequena?
Essa é a primeira crítica que faço ao evento, não tanto por ele em si, mas a ponte que interliga o metrô Jabaquara ao SP Expo está ficando pequena pelo tráfego de carros e ônibus em dias de evento.
Entendo que o local é maravilhoso e tem espaço de sobra pra crescer ainda mais, porém a cidade de São Paulo precisa desenvolver outra ponte ou qualquer outra solução urbana para que não soframos mais trânsito na região.
Para ter uma leve ideia, no dia do Spoiler Night tivemos uma fila de uma hora e meia pra chegar ônibus, devido o congestionamento que aconteceu que impedia qualquer ônibus ir e vir.
Então, a primeira coisa que crítico em si é a falta de visão em preparar um local pra eventos gigantescos, porém não pensar na forma que você chega nesse local.

O ano do Artists’ Alley!
Se existe um espaço que cresceu, se multiplicou e continua em expansão é o Artists’ Alley. Ganhando diversas ruas, o evento contou com nada menos que 530 quadrinistas.

Não vou negar que esse ano, eu me perdi ali devido o lugar ser tão grande. Tendo um palco central aonde artistas internacionais davam autógrafo, a sensação que transpareceu ali era que estávamos no coração do evento.

Gostei do respeito e da evolução que a área teve, admirando o reconhecimento que esses artistas estão tendo todos esses anos de CCXP.

Disney, Warner e muito mais
Quando você entra num evento, a primeira coisa que chama atenção são os estandes de cinema e séries de TV. Esse ano, tivemos em destaque a Disney e a Warner que trouxeram suas principais novidades do cinema e televisão do ano que vem.

A Disney tivemos Alladin, Toy Story 4, Dumbo, Capitã Marvel, num ambiente que abraçava todas as empresas que fazem dela dela. Vale o destaque da enorme Blockbuster que foi levantada na frente do estande da Disney, trazendo os anos 90 de volta, que é o clima da Capitã Marvel.

Já na Warner, tínhamos uma enorme esteira para correr junto do Flash, a lanchonete de Riverdale, além de uma parte divulgando Supernatural e você podendo tirar foto com Pikachu. Além disso, tínhamos a casa do Hangrid de Harry Potter em tamanho real pelo evento.

Globoplay trouxe a realidade virtual para pouso de helicóptero, além de divulgar que seu catálogo ganhará 100 séries internacionais em 2019.

O Bumblebee roubou atenção na Hasbro, trazendo uma nova chance aos cinemas da saga Transformers.

Globosat levou seus principais programas e canais, levando cadeira do The Voice Kids, a vila do Chaves, atrações do Gloob, além de estand do Viva e muito mais pelo evento.

A Sony trouxe o novo Homens de Preto, a nova versão de As Panteras, além de Homem Aranha: Longe de Casa e Aranha no Aranhaverso. O estande era bastante interativo e gerou uma das fotos mais engraçadas para tirar durante o evento num cenário do próximo filme do Aranha.

Já a empresa de jogos Galápagos montou um Titã em tamanho real do mangá Ataque de Titãs, podendo escalar ele durante a feira.

O evento tinha 103 marcas de diferentes empresas, sendo difícil destacar todas elas de forma igual, porém esses são alguns destaques que selecionamos aqui no JWave.

55 países assistindo CCXP 2018
Um dos diferenciais da edição 2018 foi a produção de 41 horas de programação ininterrupta. Um total de 120 horas de live para o canal do Youtube Omelete e um público de 100 milhões de pessoas.

Balanço do evento
Cada dia que cresce o CCXP se torna um parque temático em que você pode ficar próximo de seus personagens favoritos. E pagamos a experiência disso, da mesma maneira que pagamos pelo ambiente de um café no Starbucks.

O resultado foi um evento belíssimo com infinitas coisas a se fazer lá dentro, sendo que a resposta disso é a injeção econômica que a cidade de São Paulo recebe no período.

Para ter total noção da realidade que CCXP se propõe, ela cria um total de 10 mil empregos, entre diretos e indiretos. Das 113 marcas presentes no evento, o faturamento somado delas, provavelmente foi de R$ 50 milhões.
Trazendo tantos dados positivos e mudando a forma que vemos eventos de cultura geek no Brasil, a equipe já anunciou a data do CCXP 2019, então anote que ela será nos dias 5 a 8 de dezembro.

Agradecemos a equipe de organização do CCXP por permitir a cobertura do evento esse ano. Produzimos 5 podcasts, trazendo detalhes do evento, entrevistas e informações dos principais destaques e novidades do mercado esse ano.

Esperamos que em 2019 estejamos com vocês novamente no próximo CCXP.

Ouça os nossos podcasts sobre o CCXP 2018:

JWave #401: CCXP 2018: Cobertura do Evento

JWave #402: CCXP 2018 – Entrevista a Editora JBC (Marcelo Del Greco)

JWave #403: CCXP 2018 – Entrevista a Crunchyroll (Rachel Levak/ Yuri Oliveira Petnys)

JWave #404: CCXP 2018 – Entrevista a Artists’ Alley

JWave #405: CCXP 2018 – Entrevista a Jambô Editora (Rogerio Saladino)

 

Comentários

comentários


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.
%d blogueiros gostam disto: