Ressaca Friends está de volta e agora em novo local, sendo a segunda edição pela empresa Maru Division, mostrando bastante competência nesse primeiro ano de eventos de animê e mangá com as mudanças que aconteceram por aqui.

Mas por que Ressaca?
Uma coisa que um grupo de amigos logo puxou pela memória lá no evento foi sobre a origem do evento em si. Nascendo em agosto, era um evento pequeno que era uma extensão do evento em julho.

Acabou que o evento cresceu e acabou se tornando uma segunda edição do Anime Friends no mesmo ano, tornando a tradição de sempre o evento principal em julho e o Ressaca Friends em dezembro.

E quais as novidades dessa edição?
A primeira que escolheram um local velho conhecido que foi o Pro Magno, aonde aconteceu o Brasil Comic Com. A diferença aqui é que ao invés de usar diversos andares do local, optaram concentrar num único andar, tornando o evento bem mais interessante.

A segunda novidade foi os auditórios, que diferente do Anhembi, acabam sendo do próprio local, o que proporciona uma melhora de qualidade sonora e conforto que superou o que já era bom no Anime Friends desse ano.

Atrações internacionais
Esse ano, o evento contou com o ator de Dorama e Tokusatsu, Yuma Ishigaki, o especialista em tokusatsu Yuki Takasaka¸ as idols japonesas Eri Usami e Sumire Shinohana a cosplayer KeekiHime e as cantoras Rica Matsumoto e Konomi Suzuki.

Além disso, o evento contou com diversas bandas nacionais durante os dois dias de evento, trazendo músicas infantis, músicas de clássicos da Disney e animê, principalmente.

Os estandes
O evento contou com parcerias de peso, como a Bandai Namco e um caminhão do Playstation, que trouxeram a alegria para os gamers. Além disso, o evento contou também com um estande da Saga com as principais novidades de jogos.

Além disso, o evento tinha um palco e espaço bem interessante para os fãs de KPOP, aonde rolaram perguntas e respostas, apresentações de grupos, além de lojas de KPOP ao redor, concentrando uma enorme gama de fãs da música sul coreana.

O Artists’ Alley estava bem interessante e trazendo um espaço com diversos talentos do quadrinho nacional. Não era o coração do evento como é no CCXP, mas mesmo assim tinha um espaço pra lá de interessante e de fácil acesso pra conhecer os artistas ali presentes.

Na parte de auditório, tivemos palestras internacionais como a do Yuki Takasaka falando do design de tokusatsu e da Bandai, o Murakami, como também da origem e da criação de diversas séries de tokusatsu.

Já o ator Yuma Ishigaki contou sobre sua carreira como ator, contando como foi parar no universo de Tokusatsu e reinventou Gavan, utilizando inspiração no personagem Goku de Dragon Ball.

Também tivemos influenciadores falando do empoderamento feminino no mercado de quadrinhos, além mercado de mangás e a famoso debate entre editoras de mangá aqui no Brasil.

Essa última palestra fechou o evento Ressaca Friends no domingo, trazendo curiosidades sobre o mercado do mangá digital por aqui e deixando claro que o fechamento de livrarias e o fim de uma das maiores distribuidoras em bancas do país, acabou acelerando o processo de implementação de mangás digitais no Brasil.

Balanço do evento
O Ressaca Friends 2018 aconteceu uma semana depois do CCXP 2018, o que acaba sendo um pouco cansativo em frequentar dois eventos no mesmo mês, mas ao mesmo tempo foi uma excelente surpresa.

Menor, mas oferecendo opções bacanas ao público, Ressaca Friends foca no público gamer, KPOP e fãs de animação e quadrinhos. O resultado disso é um evento mais enxuto, mas ao mesmo tempo tão completo quanto, o que acaba sendo uma excelente opção se você não gosta de eventos maiores ou acha que o valor do ingresso de outro evento seja caro e não cabe no seu orçamento.

Se você é fã da cultura pop japonesa, o evento trouxe idols, cantoras, ator e apresentador, o que faz que você vivencie a cultura japonesa do cotidiano, diferente de eventos como Festival do Japão.

Por mais que o evento seja num local não próximo de metrô, Ressaca Friends ofereceu um excelente suporte de ônibus fretado. Tornando as filas pequenas e sendo agradável ir e vir para o evento.

Gostei bastante do espaço da Ikesaki no evento aonde ela oferecia pintar o cabelo das pessoas com spray para parecer personagens de animê. Pode parecer infantil, mas diversas pessoas aderiram no evento, tornando interessante o resultado final.

Rolaram alguns tropeços como em qualquer outro evento e aqui em especial foi a palestra do Yuki Takasaka que se perdeu na tradução, devido a tradutora não estar ambientada nos termos do universo tokusatsu. Mas mesmo assim, o apresentador conseguiu superar esse problema sem transparecer pro público isso.

Em relação ao ano passado, o evento acertou o local e torço que as próximas edições sejam no Pro Magno. Também acho que acertou bastante nas atrações, melhorou a qualidade dos palcos (em relação ao Anime Friends) e trouxe palestras interessantes. Logicamente que existem acertos pontuais para serem feitos, mas o evento em si mais acertou em trazer uma nova opção de qualidade pro público do que errou.

Fica a sugestão que sua proximidade com CCXP (mesmo existindo antes dele), acaba limitando seu público ou diferenciando ele. Se a proposta é essa, o evento está de parabéns em manter esse posicionamento, mas se a proposta é abraçar outros nichos, talvez seja melhor ir pra começo de janeiro, tornando viável pessoas de outras localidades virem pra São Paulo e prestigiem ambos os eventos.

Agradeço a organização do evento pelas informações, pelo excelente suporte e por nos permitir cobrir o evento. Obrigado a Maru Division por mais uma cobertura do site JWave.

Galeria

About Giuliano Peccilli

Editor do JWave, Podcaster e Gamer nas horas vagas. Também trabalhou na Anime Do, Anime Pró, Neo Tokyo e Nintendo World.

View all posts by Giuliano Peccilli