Review | Devil May Cry 5 (2)

Desde o último jogo da série em 2008, a Capcom mudou muito e o próprio mercado de games também passou por inúmeras mudanças, assim a empresa anunciou um novo jogo da saga e não sabíamos a relevância do mesmo nos dias de hoje. Afinal o DMC (Reboot de 2013) tinha um ótimo gameplay, porém não foi o sucesso que a Capcom esperava. Assim como não quisesse nada, na E3 de 2018 fomos surpreendidos ao Devil May Cry 5 com um final deslumbrante de um Dante mais velho.

História
Após os de Devil May Cry 4, Nnero é atacado e perde seu braço demoníaco por uma misteriosa figura encapuzada. Ele une forças com o V, um novo personagem da série, para ter sua vingança e reaver seu braço. Além de V, temos o trio Dante, Lady e Trish, e um conjunto de próteses chamados de Devil Breaker Nero e V retornam para uma revanche.

Gameplay
A principal característica desse jogo é a diversidade de sua jogabilidade, trazendo 3 personagens de estilos bastante únicos:

Nero
Semelhante ao jogo anterior, você usa a Red Queen e sua pistola para realizar vários combos, tendo a diferença que agora temos as próteses e que cada uma dá uma habilidade diferente ao personagem ajudando na variação dos combos. Você pode explodir uma prótese para sair de um agarrão com um inimigo ou simplesmente pegar a prótese seguinte na sua coleção.

Dante
Pode trocar entre 3 estilos de combate distintos a hora que quiser e isso se aplica às armas também. Você será capaz de ter recursos para lidar com qualquer desafio que o jogo lhe apresenta, tendo possibilidades de combos quase que infinitas com Dante. As armas dele são criativas e o jogo sempre sabe a hora certa de apresentar a próxima, os jogadores que já jogam a franquia vão se sentir bem satisfeitos.

V
O novo personagem ao contrário dos outro, não bate diretamente nos inimigos, sendo que ele se utiliza de duas feras: o grifo que age como se fosse a arma de fogo e a sombra que funciona como uma espada. As duas feras levam V para longe do combate, quando o mesmo está bem fraco. O jogador pode finalizar os inimigos com sua bengala, porém se a situação apertar demais, basta convocar o Devil Trigger, que é um gigante que causa um grande estrago nos inimigos. Além disso, esse é o único personagem que pode encher a barra de Devil Trigger com um botão de comando (enquanto declama poemas de William Blake).

Gráficos/Som
A Capcom utilizou Re:engine, em Resident Evil:7, Resident Evil:2 Remake e agora com Devil May Cry 5. Os personagens são fotorealistas sem causar estranheza e todas as CGs do jogo são um show mostrando que a empresa investiu pesado nesse jogo.

O áudio do game é espetacular desde o barulho das armas acertando e cortando os inimigos, quanto a trilha sonora espetacular do game que gruda na mente como chiclete de tão viciante.

Considerações finais
Devil May Cry 5 traz várias referências aos jogos anteriores e pega o que tem melhor neles, acrescentando coisas novas, criando um jogo que vale cada centavo. Ao mesmo tempo, temos uma ótima porta de entrada a novos futuros fãs da saga, com esse game a Capcom se consagra, sendo um sinal de exelentes jogos que estão por vir.

Texto revisado e editado por: Giuliano Peccilli

O jogo Devil May Cry 5 foi analisado utilizando a plataforma PC (Steam).

About Josue Gomes Ribeiro

Podcaster e redator de games do JWave!

View all posts by Josue Gomes Ribeiro