Atualmente, conseguimos enxergar nos jovens jogadores o anseio em conseguir trabalhar no emprego dos sonhos, um emprego que envolva jogar e ser o melhor em seu jogo favorito, ou seja, tornar-se um jogador profissional de E-Sports. Vemos isso acontecer, principalmente na comunidade de League of Legends que se faz tão popular no meio dos jovens brasileiros.

Porém, a vida dos jogadores não é tão fácil e agradável como muitos imaginam. Ao contrário do que muitos acham, ser jogador profissional envolve uma série de fatores como qualquer outra profissão, como por exemplo, treinamentos árduos com a equipe para que haja entendimento de estratégias e cooperativismo entre os integrantes.

Mesmo que os campeonatos de League of Legends ainda sejam novidades para muitos brasileiros, inclusive, uma nova leva de jogadores profissionais tem se formado atualmente no país. Há alguns profissionais que já não atuam mais como jogadores.

O fato é que mesmo o cenário brasileiro de League of Legends ainda ser tão jovem, há jogadores se aposentando do meio para seguir outros caminhos. Uns tem assumido outro papel no meio das equipes, outros realmente se aposentaram dos campeonatos e estão seguindo sua carreira longe das competições, já outros estão apenas afastados das competições para se dedicarem a outras profissões.

E para quem não conhece, de torneios mundiais em estádios gigantescos olímpicos ou em apostas esportivas em sites de cassinos online, este jogo tem adquirido grande importância e é referência em esportes online. Por isso separamos alguns jogadores brasileiros que resolveram mudar de ares e deixaram de serem jogadores para seguirem outros caminhos, tanto dentro dos campeonatos quanto fora.

Gabriel “MiT” Souza

Gabriel “MiT” Souza começou sua carreira como suporte e capitão da paIN, inclusive foi ele quem convidou brTT para fazer parte da equipe no mesmo ano, em 2012. Depois disso, em 2014, Gabriel seguiu para Keyd Team como jogador substituto, porém não ficou por muito tempo e seguiu para a equipe brasileira Team 58ers que se desfez no mesmo ano, fazendo com que o jogador voltasse para Keyd Team. Porém, foi após a Keyd e paIN se enfrentarem no CBLoL de 2015 que MiT decidiu deixar a Keyd para seguir como treinador da paIN.

O ex-jogador profissional segue até os tempos atuais como treinador, porém, não está mais na paIN e sim na equipe do Flamengo E-Sports a qual participou do Campeonato Brasileiro de League of Legends deste ano e foi vice-campeã.

Gabriel “Kami” Bohm

“Kami”, um dos jogadores mais antigos da paIN Gaming, não garantiu aposentadoria quando seu nome não estava inscrito no Campeonato de League of Legends deste ano pela sua equipe, o mesmo afirmou que estava apenas tirando um tempo para ele ao se dedicar a outros planos, como os seus estudos, porém também deixou a sua volta para as competições algo totalmente incerto, sendo considerados por muitos, um jogador que está afastado ou até mesmo aposentado.

Gabriel Bohm Santos iniciou sua carreira como jogador profissional em 2011 aos 16 anos como mid na paIN Gaming, tendo conquistas como dois Campeonatos Brasileiro de League of Legends e a disputa de um Campeonato Mundial de League of Legends em 2015, fora que ficou entre os 10 melhores de 2015.

O jogador veterano nunca deixou a equipe paIN Gaming, exceto neste momento atual o qual se encontra inativo, porém, ele mantém um canal no Youtube sobre gameplays de League of Legends, além disso, no momento que começaram as especulações sobre aposentadoria e seu rendimento na equipe, ele declarou em vídeo que estava muito cansado e precisava de um tempo para ele mesmo, e enfatizou sobre estar como jogador profissional desde muito jovem.

Até o momento não há nenhum boato sobre qualquer volta dele nas competições, sendo assim teremos que esperar até ele mesmo garantir sua aposentadoria ou voltar ainda mais decidido sobre voltar a participar das competições. Com certeza, Kami foi um dos cyber atletas que mais “apostaram as fichas” em sites de cassinos já citados.

Matheus “Mylon” Borges

O jogador  brasileiro Matheus Borges,  mais conhecido como “Mylon”, que também pertencia a equipe paIN Gaming, declarou aposentadoria após 5 anos como jogador profissional no final de 2017. Ele que também começou na adolescência como jogador profissional, assim como Kami, só que aos 14 anos, declarou que a razão pela qual estava se aposentando era o desgaste e que havia perdido o interesse em jogar.

Mylon começou sua carreira na equipe VTi Ignis em 2012 e conquistou o título do Campeonato Brasileiro Riot Season 2, porém a equipe se desfez e ele seguiu para Keyd Team no mesmo ano, em 2014  a equipe se tornou a Keyd Stars que é reconhecida até hoje.

Após um ano, na temporada de 2015, Matheus foi para paIN Gaming onde se manteve até os seus últimos dias como jogador profissional. Na equipe ao lado de Kami, ambos de destacaram no cenário e-sports ao conseguirem se qualificar para o Campeonato Mundial de League of Legends.

About Giuliano Peccilli

Editor do JWave, Podcaster e Gamer nas horas vagas. Também trabalhou na Anime Do, Anime Pró, Neo Tokyo e Nintendo World.

View all posts by Giuliano Peccilli