O Festival do Japão 2019 aconteceu nos dias 5, 6 e 7 de julho no São Paulo Expo. Em sua vigésima e segunda edição, o evento se consagrou como uma explosão cultural japonesa, seja culinária, dança, artes marciais e história em 3 dias no maior centro de exposições de São Paulo.

Esse ano, o evento repetiu sua fórmula de sucesso, trazendo culinária de todas as províncias do Japão, como também trazendo um pouco da cultura pop japonesa, como a loja de 45 anos da personagem Hello Kitty.

Além disso, o evento trouxe diversos grupos do Brasil que puderam se apresentar nos dois palcos do evento, seja cantando, dançando ou mesmo lutando, podendo contar um pouco da cultura japonesa nos palcos do evento.

Igual, mas diferente

A edição de 2019 não contou com a mesma grandiosidade que foi a edição de 2018 que teve a presença da princesa por aqui. Aquele palco gigantesco na entrada do evento do ano passado não estava presente, mas isso não fez diferença para quem frequenta a feira.

O evento esteve bastante espaçoso e se redesenhou, tornando a experiência de andar na feira bem mais agradável do que antes. Algumas pessoas comentaram que o frio teria afastado o público, mas sinceramente acredito que a configuração do evento foi bem mais feliz, o que tornou mais agradável andar pelo evento.

Culinária

O Festival do Japão tem como palco principal a culinária japonesa, sendo o único lugar do Brasil em 3 dias que você pode encontrar comida típica das 47 províncias do Japão. Ano passado, o evento entrou no Guiness ao apresentar recorde de num só lugar essa quantidade de comidas diferentes e aqui não se faz diferente.

Esse ano, podemos experimentar a diferença do okonomiyaki de Wakayama e do de Hiroshima, como também provar a raiz de Lótus preparada com pasta de mostarda de Kumamoto, além do famoso Tataki de Kochi. Isso sem contar o Karêpan de Saitama, que tem parceria e vende crepes da loja Hachi famosa lá na Liberdade.

O evento tem muito a oferecer em termos culinários o que realmente é uma pena ser somente 3 dias para experimentar a comida desses 47 lugares tão distintos do Japão.

Apresentações

Nos palcos do festival do Japão, tivemos grupos de diferentes áreas do Brasil. Tivemos a apresentação do estilo Yosakoi de Kochi, como também taikô, além de música de diferentes estilos.

O cantor Joe Hirata esteve no palco do Festival do Japão, como também o incrível Ricardo Nakase que se apresentou nos palcos do festival.

Festival do Japão é uma explosão de culturas diferentes do Japão e o show do Ricardo Nakase é com certeza uma experiência única dentro do festival.

Feirinhas

Uma coisa que o Festival do Japão tem mudado é a feirinha perto da entrada do evento. Teve anos que tinha mais produtos ligados a cultura japonesa, mas atualmente o evento tem usado o espaço para trazer culinária não japonesa.

Se você gosta da cultura japonesa, mas nem tanto da culinária em si, a feirinha teve espaço para queijos, vinhos, bolinho de bacalhau, pastel de nata, como também até donuts, trazendo uma diversidade culinária que atrai qualquer paladar.

Além disso, seguindo tendência de eventos de animê, existiam diversas lojas de roupas com tema de animê e mangá, como também as famosas lojas que vendem os Onigiri de pelúcia no evento.

Os grandes estandes

Um dos pontos principais desse ano era a beleza dos estandes das empresas presentes desse ano. De uma sutileza de guarda-chuva do Hospital Santa Cruz a uma loja em tamanho real da Hirota e até mesmo um bar de saquê num clima descontraído da Azuma Kirin.

Hello Kitty | 45 anos

Agora, quem roubou a atenção do evento foi certamente a loja de 45 anos da Hello Kitty. Trazendo simulador de dança, diversas atividades infantis e uma loja de fazer inveja a qualquer um, a loja era ponto obrigatório do evento.

A loja era uma mistura de atividades para crianças, além de ter diversas estátuas da personagem. Em alguns momentos a própria Hello Kitty aparecia para tirar fotos com o público.

Outra coisa que a linha de produtos com crossover entre a Hello Kitty e a Mônica eram um dos diferenciais nesses 45 anos. Outro diferencial foi os quimonos importados com a Hello Kitty estampada, algo difícil de ver por aí.

Akiba Space

Espaço desenvolvido pela Editora JBC marcou presença no Festival do Japão. Sendo uma área para cultura pop japonesa, a edição desse ano trouxe estande da editora dividido com estande de gótica lolita e um estúdio fotográfico para cosplayers.

Outro lado ali próximo era a tradicional Comix que trouxe mangás, quadrinhos, dvds e outras coisas que é tão tradicional de eventos de animês e mangás.

Devo confessar que por mais que a área fez muito sucesso e tinha enormes filas de cosplayers para fotos de estúdio, eu gostava mais da época que a área tinha Parada Cosplay e também quando trouxe jogos em parceria da Bandai Namco.

Em termos de resposta de público, o sucesso com filas é uma prova que a Editora JBC acertou com as mudanças da Akiba Space desse ano.

Outras atrações

O Festival do Japão teve o tradicional Miss Nikkey de sábado, sendo um dos pontos altos do evento.

O Bunkyo levou espaço com kanji Reiwa que é a era atual comemorada esse ano no Japão. Um dos espaços mais lindos do evento para tirar fotos com as bandeiras do Brasil e do Japão.

Opinião

Festival do Japão 2019 se reinventou, mostrando visivelmente que pode fazer mais e ainda abordar a cultura japonesa. Cada vez mais abraçando a culinária japonesa, o evento caminho para se tornar cada vez mais um evento culinário do que cultura como um todo.

Gosto desse caminho abordado, porque mostra uma riqueza que dificilmente é encontrada em diversas regiões da cidade de São Paulo em termos de cozinha japonesa.

Outra coisa é que quando eventos como WCS deixaram o espaço vago do Festival do Japão, por mais que fosse a grande atração do domingo, acabou que nasceu um espaço que foi preenchido pelos grupos de dança de cada província, sendo mais uma oportunidade de divulgar uma cultura que não é fácil de ser encontrada.

Custando 28 reais, o Festival do Japão é a prova viva que as associações japonesas estão vivas no Brasil, sendo uma chance no ano de experimentar diferentes culturas do seu cotidiano. Por mais que o ingresso tenha subido o preço nos últimos anos, continua sendo um bom custo beneficio pela abrangência de culturas diferentes do Japão em único lugar.

Além disso, o modelo que o evento foi construído é uma maneira de manter essas culturas tradicionais vivas. Semelhante a outras culturas que tem eventos típicos pelo Brasil, o Festival do Japão mantém a culinária, música e dança vivas dentro de sua comunidade e conhecidas pelo público.

Na saída do evento, o Festival do Japão colocou as datas da edição 2020, então se você nunca foi no evento, anote e dê a chance de conhecer a cultura japonesa.

Agradecemos a organização do Festival do Japão pela cobertura do JWave em mais um ano no evento

About Giuliano Peccilli

Editor do JWave, Podcaster e Gamer nas horas vagas. Também trabalhou na Anime Do, Anime Pró, Neo Tokyo e Nintendo World.

View all posts by Giuliano Peccilli