O maior evento de cultura geek do planeta é do Brasil e estamos falando do CCXP que acontece todo mês de dezembro na cidade de São Paulo. Mas será que a cidade está ficando pequena pro evento? Não sabemos, porém o imenso São Paulo Expo provavelmente está.

Acompanhando esse evento em todos esses anos, vimos o São Paulo Expo ser colocado no chão e reconstruído. Vimos outros eventos se adequando ao espaço interno, mas nada supera a logística para ter um CCXP.

Esse ano para não ser diferente, o evento decidiu criar uma ponte provisória na entrada do São Paulo Expo para fluir o público que vai a pé do metrô Jabaquara até as dependências do evento. Assumo que nos dois dias que usei, tive um pouco de medo de andar nela pela trepidação, porém foram colocados seguranças para garantir sem brincadeiras de mal gosto na estrutura. Foi uma novidade que ainda pode ser aprimorado, mas melhorou o fluxo de pessoas ali presente.

Spoiler Night

Na quarta-feira a tarde para noite temos o evento aberto para quem comprou todos os dias e para imprensa. Assim o CCXP abriu as portas pela primeira vez, mostrando todo potencial a um público seleto.

Desde o primeiro ano, eu gostei bastante do Spoiler Night, porque por mais que ele dê uma degustação do que será o CCXP, muitas coisas não estão prontas, podendo comparar esse dia com os dias normais.

Esse ano, acabei tendo a infelicidade de não encontrar o ônibus na estação Jabaquara (coisa que não foi sinalizada e apenas encontrei o ônibus no mesmo ponto de sempre no domingo). Acabei indo a pé e pegando uma fila de credenciamento que para minha surpresa a impressora tinha dado problema, impedindo jornalistas de curtirem o evento.

Assumo que sendo um dia que você tem poucas horas para andar lá dentro, eu fiquei bastante desgostoso sobre a demora para entrada dos jornalistas. Acabou que o problema foi resolvido 19:30 e foi nos liberado o acesso finalmente.

O evento estava bem cheio mesmo para um Spoiler Night, porém o lugar mais cheio era o Artist Alley. Coração do evento, esse ano tivemos nada menos que 500 artistas mostrando seus trabalhos no CCXP. Trazendo diversas calçadas com artistas, Artist Alley foi a região que mais se transformou em cada CCXP, tendo se multiplicado de tamanho cada novo ano.

Eram muitos artistas diferentes e com estilos diferentes, sendo que alguns ali você acabou conhecendo via os álbuns do MSP. E mesmo num dia como Spoiler Night, muitos desses artistas tinham filas de fãs dos seus trabalhos. Definitivamente, cada CCXP percebemos um talento nacional em eterna expansão. E cada novo ano, percebemos que estamos ficando mais e mais independente de amarras de editoras, desenvolvendo material de qualidade de forma autônoma.

Globoplay

O evento sempre tem um enorme estande com atrações da Globo e esse ano tivemos um enorme palco trazendo Altas Horas para dentro do CCXP. Trazendo artistas brasileiros, todos os dias tivemos música e atrações comandadas do palco do Globoplay.

Entre os destaques está na licença do Doctor Who no Brasil, trazendo todas as temporadas recentes da série britânica.

Disney e Disney+

A Disney trouxe seus principais filmes de 2020 na CCXP, além de um enorme telão com propaganda do Disney+. Trazendo vila da Mulan, personagens de Frozen 2, além de juntar pelas primeira vez os filmes da Fox e da Disney no mesmo espaço, o espaço estava repleto de atividades.

Olhando para o teto, você via as primeiras propagandas brasileiras do Disney+, serviço de streaming da Disney que será lançado em novembro no Brasil. Por enquanto os lançamentos da Disney serão lançados na Amazon Prime Vídeo, tendo uma previsão inicial para novembro de 2020 o lançamento do serviço.

Warner

A empresa repetiu a ideia dos últimos anos em fazer um enorme espaço com vários andares e prédios que é basicamente uma cidade própria dentro do CCXP.

O grande destaque estava em Scooby Doo, Arlequina e Supernatural, além de um enorme espaço dedicado a Mulher Maravilha 1984.

Foi bem interessante ver como a Warner continua investindo nesse modelo do CCXP e principalmente trazendo cenários para tirar fotos. Muitos detalhes da série Friends estavam presentes pra tirar foto como a cafeteria Central Perk.

Harry Potter

Mesmo sendo Warner Bros, tivemos a repetição de um cenário baseado nos filmes ao lado da loja com produtos da franquia. Dessa vez tivemos o famoso trem que leva os alunos para Hogwats e o cenário imponente favoreceu para produção de diferentes fotos.

O melhor disso que diversos cosplayers estavam no local e você poderia reproduzir alguma cena de batalha por exemplo.

Universal Pictures

Esse ano a distribuidora montou uma loja de produtos igual as que tem em parques dela nos EUA e no Japão, assim era uma chance única de comprar produtos de filmes como Jurassic Park, De Volta para o Futuro, Meu Malvado Favorito e Aonde está o Wally.

Provavelmente a ideia era exatamente de imitar as lojas nos parques e conseguiu fazer isso muito bem, batendo uma certa nostalgia ao frequentar a loja durante o evento da CCXP.

Netflix

A empresa cada ano aumenta mais seu espaço dentro da feira e dessa vez reproduziu cenários de suas séries em especial Stranger Things, trazendo toda a cara dos anos de 1980 para dentro da feira.

Você podia tirar fotos em diversos cenários espalhados por todo estande da Netflix.

Amazon Prime Video

Se tem uma empresa que aumentou sua expressividade a cada ano foi a Amazon Prime Video e na edição 2019, ela ficou pau a pau a Netflix, ficando claro que a empresa veio para brigar pelo público de streaming no Brasil.

A empresa trouxe um enorme carrossel entre outros itens de suas séries exclusivas, não destacando o até então recém acordo com a Disney de lançar suas produções ao Brasil até o lançamento do Disney + por aqui.

Jaspion na CCXP

Entre as atrações tivemos a roupa original do Jaspion que veio ao Brasil pela primeira vez e estreou na área dos Cosplayers. Trazendo a roupa usada para cenas de poses, podemos perceber desgaste de utilização da roupa na época que está preservada e apresentada para o público brasileiro.

Logicamente que não poderíamos perder a oportunidade e tiramos uma foto com a armadura.

Games no CCXP

Essa foi a edição que CCXP abraçou mais o público gamer, trazendo transmissão de jogos, tendo estandes da Ubisoft e da Warner Games, além da presença da Capcom. É interessante trazer esse frescor de um novo público geek dentro da CCXP, mas devido a proximidade com a BGS, assumo não me surpreendeu e não me conquistou.

Ubisoft fez uma escolha certa e pontual em levar Just Dance para a CCXP. É um público diferente dos outros públicos gamers e continua sendo uma experiência maravilhosa ver o público dançar junto quando sai um novo Just Dance.

Eu não sou o cara ideal de acompanhar transmissões de jogos, mas é inegável que cada ano o evento vem acrescentando e tornando referência nessa linha.

Balanço geral

CCXP por mais que sua essência seja sempre a mesma, eles sempre mudam algumas coisas, dando frescor de novidade ao evento. Já falei algumas vezes aqui que alguns eventos ficam parado no tempo, enquanto outros radicalizam, enquanto CCXP sempre fez mudanças pontuais, que talvez passem despercebidas pro público.

Uma das edições que eu mais gostei foi a do ano de 2017 em que eles colocaram diversos mini palcos em algumas áreas do evento, trazendo música de diferentes tipos e tribos. Por exemplo, nesse ano teve Ricardo Cruz cantando músicas de animês junto com outros cantores de animê num desses palcos. Em 2019 não tivemos isso, mas tivemos palco do Youtube que é outra coisa totalmente diferente. Então é uma mudança entre tantas que desconheço a opinião de organizadores, mas faz falta.

Agora o que falar do melhor e maior evento de 2019? Vamos combinar que CCXP não existe um competidor na mesma categoria que ele. Anime Friends abrange público de animação japonesa, enquanto BGS abrange público de gamers, enquanto outros eventos no ano tem suas peculariedades e são diferentes do CCXP. Por causa disso, o CCXP continua disparadamente sendo a melhor opção para o fã que gosta de cinema, quadrinhos e séries.

Mas realmente o evento é só pontos positivos? Não. Falo que a experiência de assistir palestras e painéis no CCXP sempre foi traumático e tirando as menores que você ainda consegue assistir, as outras você precisa escolher se decide andar no evento ou se decide assistir elas. Isso não quer dizer que lá fora seja diferente, sabemos que San Diego Comic-Con é assim, porém acaba sendo uma frustração, quando nos outros eventos que acontecem na cidade de São Paulo, seja muito mais tranquilo entrar num painel do que nela. Mas são de mesma importância? Lógico que sabemos que são níveis diferentes e por isso acessos são diferentes, mas mesmo assim, assumo esperar um dia que o acesso seja mais fácil do que é encontrado hoje na CCXP. Nem que tenha que comprar separadamente um acesso pontual por painel, coisa que hoje só existe um ingresso diferencial para acessar todos painéis.

Outra coisa que não tem nada a ver com a organização do evento, mas sobre o local. Entendemos a ponte que foi instalada na frente em 2019, mas uma coisa não mudou que é desgastante ir embora do CCXP. Seja esperar horas para pegar um ônibus ou andar quase 2 km a pé até o metrô mais próximo. Para uma pessoa que anda todo dia dentro do evento o que ela menos deseja é ter que andar mais ainda para voltar para a sua casa. Esse ano vimos alguns caminhos alternativos dos ônibus, mas ainda está longe de tornar o acesso uma experiência melhor. No mesmo local, numa proporção menor temos o Festival do Japão e a experiência de ir e voltar não é tão traumática como essa. Mesmo quando BGS aconteceu no mesmo local, não teve esse problema, mas sabemos que o público em suas devidas proporções são menores que CCXP. E se o local fez todas essas mudanças para abrigar eventos ainda maiores, talvez as mudanças de acesso ao local não tenham sido feitas na mesma proporção. Então cada ano que vou ao CCXP, eu me questiono se essa experiência se tornará menos traumática.

Agora, gostaria de falar da experiência de domingo. Nunca tinha ido ao evento no domingo, por sempre cair no mesmo dia de outros compromissos e em 2019 pude avaliar e perceber que definitivamente é o melhor dia para o público. Por ser o último, você consegue chegar ao evento mais tranquilamente, além de encontrar descontos em todas as lojas. Sendo o último dia, tive o prazer de encontrar diversas promoções de camisetas, quadrinhos, além de brindes que não tinham nos primeiros dias. Então, caso você prefira escolher um dia para fazer compras no CCXP, definitivamente escolha o último dia (ou o primeiro caso tenha certeza que o produto não esteja disponível no último dia). E também por ser um dia mais “vazio”, acaba sendo mais fácil em tirar fotos com cosplayers e cenários de filmes e séries. Então a dica que eu dou é que aposte em dois dias na feira, sendo um deles no domingo.

Em 2019, o CCXP continua sendo a melhor opção de evento de cultura geek e provavelmente continuará sendo nos próximos anos. É uma experiência única como fã e por isso o evento é a meca de tudo que representa a cultura pop geek mundial aqui no Brasil.

Galeria

Agradecemos a organização do CCXP por permitir a cobertura do JWave na edição de 2019.

About Giuliano Peccilli

Editor do JWave, Podcaster e Gamer nas horas vagas. Também trabalhou na Anime Do, Anime Pró, Neo Tokyo e Nintendo World.

View all posts by Giuliano Peccilli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.