Categorias
Críticas de Séries Críticas e Reviews

Crítica | GTO


Possivelmente vocês já ouviram falar do manga do manga de GTO e do anime, mas a menos famosa das três é uma das melhores adaptações no segmento de novelas no Japão. Exibido entre os meses de julho a setembro de 1998 no Japão foi uma das séries mais vistas por lá, chegando a ter 35,7% de audiência. (sendo que um seriado para ser considerado sucesso precisa apenas passar dos 20%, uma marca bastante difícil de ser ultrapassada).

Constituída de 12 episódios, mais um especial e um filme, a série GTO foi exibida na TV FUJI. Mangá criado por Tohru Fujisawa foi adaptado para o dorama por Yukawa Kazuhiko, que também escreveria posteriormente o dorama Majo no Jouken, que tem alguns atores da mesma equipe de GTO. A direção do programa ficou por conta do Masayuki Suzuki que ficou bastante famoso com o dorama Long Vacation. No elenco, temos a estrela Takashi Sorimachi, que além de interpretar o protagonista Eikichi Onizuka, ele canta o tema de abertura “Poison”. Para a doce professora Fuyutsuki Azusa, temos a incrível Matsushima Nanako, que segundo a mídia especializada japonesa, aonde ela aparece é sinal que o seriado será um sucesso. Já comentamos dela aqui, por ela ser a jornalista do filme Ring, que posteriormente no remake seu papel seria imortalizado pela atriz Naomi Watts, na versão americana, como também na atuação dela nos doramas Gokusen, Hana Yori Dango e Majo no Jouken, feitos posteriormente a GTO.
Na série, sabemos que Onizuka pertence a uma gangue de motoqueiros e que fez uma faculdade de terceira, por isso só conseguiu empregos baixos como limpador de janelas, nunca se tornando um professor, como era o seu real sonho. Quando surge a chance de virar um verdadeiro professor, ele agarra com unhas e dentes.
O vice-diretor Uchiyamada Hiroshi considera Onizuka, um perdedor completo, após fazer entrevista de emprego. Numa demonstração de bravura ao salvar dois alunos de uma expulsão, a diretora Sakurai Akira faz uma aposta com o vice-diretor, em que qualquer passo errado do Onizuka, este mesmo irá se demitir.

A professora de inglês Azusa, ao ver as dificuldades do Onizuka, decide ajudar, mas ao ver que ele tem umas recaídas pervertidas, sempre briga com ele. Além disso, Onizuka enfrenta um dilema maior, a sala não o aceita como professor, sendo a sala mais perigosa da escola.

Para difamar o professor, uma das coisas que os alunos aprontam é uma montagem em que o professor aparece nu com duas moças, sendo chicoteado, assim espalhando essa foto em forma de um pôster por toda a escola. O vice-diretor se enfurece com Onizuka, sendo um de tantos motivos para demitir, mas por fim tudo é desmascarado. Onizuka chega até a pedir ao autor da montagem, que fizesse uma montagem nua da professora Azusa, para fins particulares.
Onizuka enfrentaria uma crise ainda maior, quando a sala se junta e decide não freqüentar as aulas dele, até ele ser demitido. Assim, todos os dias, eles trocam a sala de aula para ir num karaokê próximo. Neste caso, o diretor da um prazo até as férias, para Onizuka conseguir trazer as coisas ao normal de novo.

Ele não ira desistir do sonho de ser um professor, ou melhor um Great Teacher, assim tentando conquistar aluno por aluno. Mesmo com chantagens por parte dos alunos, como uma das alunas ficar de calcinha e sutiã na casa do professor e tirarem fotos pra o difamar, ele sempre resolve sozinho ou acionando a gangue dele.

Independente disso, ele também encoraja diversos alunos a seguirem seu próprio caminho, assim fazendo a jovem Nomura Tomoko a sair da sombra de sua melhor amiga. Ela ganha estilo próprio e até se tornando uma grande atriz, assim deixando a escola para ir numa especializada no segmento.
A série torna mais densa, quando Onizuka para proteger dois alunos seus, bate nos alunos de uma escola rival, não tendo outra alternativa, o caso torna principal notícia da mídia japonesa. Por causa do aluno ter o pai na área da educação, a escola é vendida para a escola rival, para esta ser demolida, enquanto os alunos serão absorvidos pela outra escola. Como a outra escola realmente é melhor, a associação de pais e mestres não questiona, assim desejando apenas o afastamento de Onizuka do cargo de professor.

A serem informados que serão demitidos, todos os professores seguem seu caminho, sem estimulo de lutarem por seus empregos. Azusa que depois de ver uma amiga que virou aeromoça e enquanto ela seguiu o sonho de seu pai, decide largar a profissão de professora.

Numa tentativa vista como desesperada, Onizuka entra na escola com seus alunos, assim sendo divulgado para todos os cantos do Japão que ele seqüestrou os próprios. Um jornalista entra na escola para mostrar ao vivo o seqüestro e se depara com Onizuka vendo um vídeo que a ex-aluna Nomura Tomoko havia enviado para a classe, assim percebendo que nunca houve seqüestro nenhum. Todos os professores depois de uma reunião com a professora Azusa, decidem lutar e se transformar em Great Teacher.

#SPOILER#

O seriado encerra, sendo revelado que tudo não passava de um processo de corrupção dentro do sistema educacional, assim voltando ao normal. A diretora Sakurai Akira decide abrir mão do seu cargo, assim fazendo Uchiyamada Hiroshi assumir o cargo que tanto almejava.

Onizuka que até então flertava com Azusa, faz ela abandonar a profissão de aeromoça e ambos terminam numa noite amor. Diga-se de passagem, a primeira noite de amor dele, assim encerrando a série.


O especial começa com Onizuka se tornando extremamente famoso, assim indo trabalhar numa escola só de garotas, aonde conhecemos a irmã gêmea e também diretor de Sakurai Akira, a Sakura Akira. Essa escola torna-se um sonho de consumo para Onizuka, mas graças a uma péssima recepção das alunas por o outro professor estar se casando, assim abrindo mão do cargo, ele precisa enfrentar tudo de novo. Nesse especial, também conhecemos o pai da professora Azusa, e tendo Onizuka pedir a todo custo, a aprovação dele para se casar com sua filha.

O filme viria em 1999, no qual Onizuka vai para uma cidade de interior. Uma cidade falida por um parque de diversões que não deu certo, todos ali não sentem mais prazer pela vida. Onizuka enfrenta uma difícil missão, além disso, uma jornalista o confunde com um membro da gangue dele que foi preso há alguns anos atrás, assim o caçando a todo custo. Onizuka chega a mostrar uma camisinha com o número 2, fazendo alusão o quanto foi especial à noite de amor com Azusa, no seriado.
Após o seriado

Takashi Eikichi e Matsushima Nanako, respectivamente os professores Onizuka e Azusa começaram a namorar depois do seriado. Eles se casarão em 2001, fazendo um anúncio para jornalistas. Atualmente ambos tem uma linda filha.

Takashi ainda seguiu carreira de cantor e ator, vendendo relativamente bem o single Poison da série Great Teacher Onizuka. Um fato curioso é que o anime do GTO, muitas das expressões faciais do personagem Onizuka foram baseadas nas expressões que o ator fez no dorama.

Matsushima Nanako no ano seguinte a GTO, fez a professora Michi da série Majo no Jouken, no qual ela se apaixona pelo aluno Hikaru Kurosawa. Aqui ela faz uma professora de matemática e a temática do seriado é drama. Além do roteirista ser o mesmo, aqui a atriz Shirakawa Yumi que fez a diretora Sakurai Akira, interpreta a mãe da Michi.

Takashi também foi garoto propaganda da Toyota após o seriado. Assim podendo ser visto diversas campanhas que ele estrelou no Japão ao lado dos carros da Toyota daquela época.

Um dos atores que deu mais certo no mercado de doramas foi Oguri Shin que interpretou Yoshikawa Noboru em GTO. Entre as series que ele atuou, podemos destacar Summer Snow, Densha Otoko, Gokusen, Hana Yori Dango 1 e 2, Detective Conan e atualmente está gravando Tokyo DOGS.

Categorias
Críticas de Séries Críticas e Reviews

Crítica | Sora Kara Furu Ichioku no Hoshi

Conhecida também como One Million Stars Falling from the Sky, essa produção lançada em 2002 é uma verdadeira caixa de surpresas. Tendo no elenco, o ator e cantor Takuya Kimura, a série dá a falsa sensação que conheceremos mais um dorama água com açúcar, porém não é bem isso que acontece aqui.

Produzida pela TV FUJI, a série Sora Kara Furu Ichioku no Hoshi é uma série que deve ser curtida aos poucos. Com um gostinho de livros da rainha do crime, Agatha Christie, essa série lembra muito o livro Cai o pano, o último caso do detetive Hercule Poirot. Você gosta de suspense? Assista Sora Kara Furu Ichioku no Hoshi, dificilmente você achará um dorama com desafio igual a esse.

Para fãs de doramas, essa série é assinada pela Eriko Kitagawa, que escreveu as excelentes Beautiful Life e Long Vacation. Foi justamente ela, que lançou Takuya Kimura, com o dorama Asunaro Hakusho, no papel do universitário Osamu. Esse papel se tornou ícone justamente pela fala “Eu não sou bom o suficiente para você?“, que tornou do dia pra noite, Takuya Kimura o cara mais desejado do Japão.
Composta por 11 episódios, essa série mistura na medida certa, romance, mistério e drama.

Pra completar, a música tema é de ninguém menos que Elvis Costello, com a música Smile, dando um ar clássico a série.
A história

Tudo começa com um assassinato de uma jovem universitária, que a primeiro momento, parece ser um suicídio. Conhecemos o policial Kanzo Dojima, que está investigando o caso.

Kanzo não é nenhum policial exemplar, tendo uma vida até bastante comum. Tendo uma irmã mais nova, a Yuko Dojima, que ele sonha casar ela um dia com um bom partido.

Enquanto isso, acontece uma festa de aniversario, dentro de um luxuoso navio. Conhecemos a “princesa” Miwa Nishihara, que é herdeira de uma grande indústria japonesa.

Conhecemos o cozinheiro de comida francesa, Ryo Katase que desperta admiração desde o primeiro momento a Miwa. Quebrando a pulseira, Ryo conserta na mesma ordem antes de estar quebrado, o que causa espanto de Miwa ao recebê-la.
Um amor secreto

Inicialmente, achamos que será um romance comum, entre Miwa e Ryo, mas a cada momento que vemos esse relacionamento crescer, descobrimos que Ryo não é um homem comum.

Porém, logo conhecemos o outro amor de Ryu, a bela Yuki Mizashita (interpretada por Shibasaki Kou), que tem ligação com a garota morta do começo do trama.
Conexões

Kanzo desconfia que existe algo errado na cena do crime, principalmente pela ordem das fitas de vídeo na prateleira. O apartamento está intocável, parecendo mesmo um suicídio, apenas alguém com uma memória fotográfica conseguiria fazer isso, o que é literalmente impossível.

Enquanto isso, Miwa gera um mal estar em casa, ao revelar que está namorando o cozinheiro da festa de aniversário dela. Os pais não aceitam que ela namore alguém que não seja da mesma classe social, já que herdeira de uma grande companhia significa também posse pra o sucessor da mesma.
A crise em casa chega de uma maneira tão critica que Miwa fica proibida de sair de casa. Assim ela começa a usar a sua amiga, Yuko, como pombo correio pra continuar conversando com Ryo.

O que Miwa não sabia que agora Ryo estava gostando da Yuko, e faria de tudo pra conquistar ela. Enquanto isso, Miwa ficava cada vez mais em cheque com um amigo da família que desejava casar ela.
*SPOILER* O poder de auto sugestão

Assim, Ryo sugere que Miwa mate o pretendente que a família insiste em casar com ela. Numa noite, Miwa usa a espingarda de caça do pai, e mata no calor da discussão. Sem saber o que fazer, Miwa chama Ryo que cria uma falsa situação de defesa.

A policia chega, ele fala ser o culpado, porém a dor de Miwa pela prisão do Ryo, acaba gerando um desfecho irreparável. Ela deixa uma carta assumindo o crime, e se mata no alto de um prédio.

Kanzo liga os fatos, e percebe que a história está se repetindo, sendo a primeira vez, Ryo com a Yuki.

Enquanto isso, Ryo se declara a Yuko, revelando ser tão solitário como ela. Ambos revelam ter queimaduras semelhantes, e que o preconceito das pessoas, é o que os torna tão parecidos.
*SPOILER* Como culpar alguém que induz um crime?

É aqui que começa as semelhanças com o livro Cai o pano, da autora Agatha Christie, já que como podemos colocar alguém atrás das grades, quando não existem provas sobre induzir alguém.

Kanzo decidi salvar Yuki, mesmo assim, ela tem muito inveja do relacionamento que Yuko e Ryo estão tendo. Por isso, Kanzo vai ter que ser forte, se quiser que ela se salva.

*SPOILER* Um erro de mais de 20 anos

Uma coisa que Kanzo está desconfiado, é que Ryo seja um garoto de 20 anos atrás. Inicialmente, nós não entendemos aonde a historia de Sora Kara Furu Ichioku no Hoshi irá parar, porém, quanto mais Ryo percebe que Kanzo se aproxima, mais curioso ele fica sobre seu passado.

Assim, Ryo pede que Yuko tome conta de seu pássaro, enquanto vai ao orfanato de quando era pequeno. Depois disso, algumas lembranças são evocadas, sempre ao lado de Yuko, assim ele investiga um antigo desenho feito quando era criança, indo parar numa antiga casa. Ryo descobre que quem matou seu pai, foi Kanzo em inicio de carreira, e o pior, Yuko, que ele achou ser seu grande amor, é na verdade sua irmã mais nova.

Yuko ao perceber interesse de Ryo pelas fotos de quando ela era pequena, acaba também descobrindo a verdade. Principalmente porque suas queimaduras se conectam, já que foi de um bule de água quente que caiu sobre os dois quando eram pequenos. Numa conversa dentro de sua antiga casa, Yuko mata Ryo, depois arrasta o corpo dele até um barco.
Kanzo chega à antiga casa, e vê um barco onde Yuko e Ryo estão. Ele consegue ver o momento que Yuko se suicida, ficando junto com Ryo.

A história é forte, que vai se revelando capítulo por capítulo, principalmente por se encerrar com um amor proibido entre irmãos. Infelizmente, o único que sobra dessa história é o próprio Kanzo que perde seu chão, ao perder sua irmã de criação. Aqui fica uma sugestão pra quem gosta de um dorama de mistério e romance, assista Sora Kara Furu Ichioku no Hoshi.

Categorias
Críticas de Séries Críticas e Reviews

Crítica | Yasuko to Kenji

Sabe aquelas comedias pastelões que te fascinam imediatamente? É assim que podemos descrever a série Yasuko to Kenji. Substituindo a série Gokusen 3, Yasuko to Kenji é baseado no mangá de mesmo nome, da autora Aruko, lançado em 4 volumes e publicado também na revista Bessatsu Margaret.

Sua comédia bastante caricata é para quem gosta de séries, como My Boss My Hero, Goong, Full House e Densha Otoko. Tendo num total de 10 episódios, a série tem como principal destaque Masahiro Matsuoka do grupo Tokio e Hirosue Ryoko (do dorama Summer Snow). Para quem gosta de boy band, vale destaque que Okura Tadayoshi do grupo Kanjini8 está no elenco.
É o grande retorno de Hirosue Ryoko, que depois de brilhantes atuações como Summer Snow e o filme francês Wasabi, no qual fez à filha de Jean Reno, ela sumiu de cena. Hirosue Ryoko ainda não havia retornado a um papel de tão grande impacto como esse em Yasuko to Kenji dando um show de atuação que ela tem de sobra.

Vale destacar aqui que quem rouba realmente a cena é Masahiro Matsuoka, como Kenji. Ele está fantástico fazendo caras e bocas, quando briga com as pessoas na série, isso sem mencionar ele virando a mesa na hora das refeições, quando conversa acaba em discussão.

A dura vida de Yasuko

Kenji era o líder de um grupo de motoqueiros e não estava em casa, quando seus pais faleceram. Sentindo-se culpado por ter deixado sua irmã mais nova sozinha em casa, Kenji decidiu cuidar da Yasuko, largando a vida de gangue. Agora quem diria que um brutamonte daquele tamanho viraria um mangaka de mangá shoujo? Assumindo o pseudônimo de Sakuraba Reika, Kenji vira um dos mangakás mais populares do Japão.

Anos se passaram, Yasuko está no ensino médio e Kenji transformou a vida dela num inferno. Trabalhando em casa, ainda com dois “lacaios” da época das gangues, Kenji toma conta de Yasuko 24 horas por dia. Resumindo a história, a garota não pode pensar nem em namorar e tem até toque de recolher, sendo exatamente saindo da escola pra casa.
Nada se compara a como Kenji personaliza os itens de Yasuko. Escrevendo em letras enormes em caneta não removível, atrás do celular dela, como também até mesmo lenço que ela carrega no bolso, está escrito na mesma maneira. Esse tipo de coisa, ainda mais na adolescência, deixa Yasuko constrangida.

Quando Kenji vai para a escola de Yasuko, sempre de terno branco, parece o chefe de um grupo de Yakuza, sempre deixando os alunos nervosos e curiosos em quem é ele. Yasuko sempre faz de conta que não é com ela, porque em santa consciência, quem quer um irmão desses?
O mundo dá voltas

Yasuko se apaixona pelo novo aluno do colégio, o Jun Tsubasaki, como também conhece a nova loja de flores da região, descobrindo que a dona e ninguém menos que Irmã do Jun, a Erika Tsubaki.

Tentando um pouco mais de liberdade em casa, Yasuko abusa da sorte, fazendo amizade com Erika e Jun. Na verdade, Erika já se tocou que ela está apaixonada por Jun e dá total força pra que isso aconteça.
Abusando da sorte, Yasuko e Jun são pegos por uma gangue, sendo que ai entra em cena Kenji e Erika. Ressuscitando seus trajes de épocas de gangues rivais, Kenji e Erika expulsam a gangue, ficando de frente um pro outro. Sendo de gangues rivais, Kenji e Erika não se dão bem e estranham que depois de quase 10 anos, eles estejam frente a frente.
Kenji arrasta Yasuko pra casa, mandando que ela nunca mais veja nem Jun e nem a Erika. Em contrapartida, Erika fazendo cena pro Kenji, promete a mesma coisa em relação ao Jun.
Por quem você está apaixonado?
Yasuko acaba descobrindo que o grande amor de Erika é ninguém menos que seu próprio irmão, Kenji. Erika no passado era bem acima do peso e quando ela perguntou a ele, se gostaria de namorar com ela, e ele respondeu: “Não namoro pessoas maiores que eu”. Malhando, ela ficou belíssima, mas no dia de tentar de novo com Kenji, seus lacaios tramaram com ela, não acontecendo o encontro. Desde então, Kenji e Erika nunca mais se falaram, sempre conversando com stress e caretas.

Erika e Yasuko decidem se ajudar pra serem felizes, assim Erika ajudaria Yasuko ficar com Jun, sempre dando dicas do que fazer pra agradar ele, enquanto Yasuko ajuda a Erika fica mais próxima de Kenji. Agora, enquanto as coisas com Yasuko e Jun vão dando certo, evoluindo de uma amizade pra algo mais sério, Erika e Kenji, chega a dar pena das tentativas dela com ele.
Vale frisar aqui que graças à atuação de Masahiro Matsuoka como Kenji e Hirosue Ryoko como Erika, acaba que os dois roubam a cena, chamando toda atenção para seus personagens. A briga dos dois, diversas vezes é diversas vezes hilária, percebendo claramente que Erika não leva desaforo pra casa, mesmo que esteja apaixonada por Kenji.
A vida de Sakuraba Reika está por um fio

Kenji e Erika têm muitos inimigos em comum, deixando se descobrir que Kenji desenvolve mangás shoujos, cria-se pretexto para noticia em diversos tablóides. Assim, a editora chefe de Kenji, decide pedir ajuda a Erika, assim ela finge ser Sakuraba Reika, para que Kenji continue a trabalhar como mangaká.

Infelizmente, Aota que é da época de brigas de gangues, não está disposto a facilitar as coisas, assim trás diversos jornalistas pra que Kenji assuma publicamente que é a Sakuraba Reika. Aota na verdade ama Erika e sabe que um dia ela conseguira ficar com Kenji, assim precisa destruir Kenji. Kenji assume publicamente que é Sakuraba Reika, sendo demitido da editora e tendo seu mangá cancelado.
Você faz o que realmente gosta?

Yasuko percebe que seu irmão não consegue ficar em nenhum emprego, e mesmo ele aposentando de desenhar mangás, não é o que ele realmente sente.

Enquanto isso, todos descobrem que Erika e Jun são herdeiros de uma grande companhia japonesa. O funcionário dessa companhia decide se casar com Erika e o pai dela dá o consentimento. Será que Kenji irá impedir o casamento dela?
Ao mesmo tempo, o pai de Jun pede para Yasuko ficar longe de Jun porque ele tem um futuro brilhante e ela é diferente dele. Jun anuncia que vai estudar no exterior e Yasuko decide não atrapalhar mais ele. Será que tudo vai acabar mal assim?

Yasuko to Kenji te surpreenderá nos capítulos finais, mesmo sendo uma comédia pastelão, ela entra em total adrenalina e todos problemas se concentram a Kenji a resolver. Vale à pena acompanhar a série e ver como vão acabar as aventuras de Yasuko e Kenji.

Categorias
Críticas de Séries Críticas e Reviews

Crítica | H2~Kimi to Itahibi – Vamos para Koshien!


Para quem gosta de histórias de esporte, como Prince of tennis, Super Campeões, Initial D e Hungry Heart,com certeza vai se sentir atraído pelo dorama baseado no manga do Adachi Mitsuru.

Autor de um dos vinte melhores animes da história do Japão, Adachi Mitsuru, colheu sua fama com o manga Touch, publicado nos anos 80. Consagrando-se com uma história com pano de fundo o baseball. O que nos interessa aqui, é que quase 10 anos depois, ele traria ao mercado mais um manga baseado em baseball, o H2~Kimi to Itahibi.

Vale nota, que o autor segue uma temática de comédia e também tem um traço semelhante ao da autora Rumiko Takahashi. Para quem tem saudades da época que a Rumiko sabia fazer comedias sobre o cotidiano, como Ranma ½ e Urusei Yatsura, vai adorar as duas obras do Adachi Mitsura.
Duas produções ao mesmo tempo

Normalmente quando uma obra faz muito sucesso (Sekachuu, Densha Otoko entre outros que já passaram por aqui), acaba sendo produzido ao mesmo tempo um filme e um dorama, com elencos distintos, mas não foi o caso de H2~Kimi to Itahibi e Touch . As suas duas obras máximas do Adachi Mitsuru ganharam versões em live action ao mesmo tempo em 2005.

O manga H2, transformou se em dorama e foi exibido nos meses de janeiro e março, em 11 episódios, também condensando toda a história do manga. Enquanto isso, a primeira e grande criação de Adachi, o manga Touch, foi transformado em filme e sendo lançado no cinemas em 15 de setembro.

Agora detalhe que não podemos deixar de comentar é que mesmo com elencos diferentes, histórias diferentes, mangás diferentes, as duas produções se parecem e muito. Tanto na filmagem, logotipo de ambas séries, como na construção dos personagens, entre tantos outros fatores de produção.

História

Somos apresentados a Hiro Kunimi, um ás do Baseball, como pitcher (arremessador). Nunca se viu um garoto, arremessar em velocidades tão impressionantes igual ao Hiro, que tornou se famoso ainda no ensino fundamental. Só que para desgraça de Hiro, ele fazendo exames médicos preventivos, descobre que seu braço está em situação crítica, tendo que abandonar sua principal paixão, o baseball.

Hiro sempre foi ligado ao baseball e também sempre teve entre seus principais amigos, pessoas que são jogadores ou fãs desse esporte. Seu melhor amigo e rival de Baseball, Hideo Tachibana, namora a sua melhor amiga, Hikari Amamiya. Hiro que apresentou Hideo para Hikari, sendo um verdadeiro cupido, também gosta dela.

Além do Baseball, Hideo e Hiro têm em comum é o hobbie em colecionar pornografia. Ambos colecionam revistas de pornografia, gerando diversos momentos engraçados. Hideo e Hiro se separam com o fim do ensino médio, Hideo procura uma escola com o perfil de baseball, enquanto Hiro procura uma escola que não lembre nada o esporte, já que não pode jogar por causa do seu braço.
O tempo passa e acabamos vendo que Hiro encontrou seu caminho em outro esporte, este bem conhecido por essas bandas, o futebol. Ele acabou entrando para o colégio Senkawa, já que o lugar não tinha tradição ao baseball.

Um dia, ele acaba se esbarrando com a fanática por baseball Haruka. Ela apóia um grupo de amigos que jogam baseball, mas que ainda não são reconhecidos como clube no colégio.
Haruka acaba comprando briga com o jogador de futebol, propondo assim um combate entre o clube de futebol e o grupo de baseball. Hiro mesmo querendo fugir do baseball, acaba sendo obrigado a jogar contra o time que Haruka tanto luta para se tornar um clube oficial da escola.
Percebendo que estava fazendo uma injustiça ao jogar contra o grupo de baseball, Hiro pede sua baixa no clube de futebol, seguido de um pedido para entrar no grupo de baseball. Um de seus melhores amigos, que estava cobrindo o evento, também se une ao grupo de Baseball, numa tentativa de reverter o jogo, chegando bem próximo de vencer, mas o grupo acaba perdendo o jogo. Em contra partida, demonstrando a toda escola, seus arremessos, Hiro acaba ganhando status de celebridade instantânea, o que o incomoda bastante, por ter entrado naquela escola para não ser notado.
No dia seguinte, Haruka pede para Hiro ficar no time, para que ele cresça e se torne um clube reconhecido pela escola, mas recebe um não dele, que revela seus problemas no braço direito. Haruka perde todas as esperanças do grupo se tornar um clube oficial, sendo surpreendia momentos depois, no refeitório, aonde Hiro e Atsushi correm apressados, após um noticiário sobre medico falsário.

Fazendo uma bateria de exames, Hiro descobre que o médico realmente era um falsário e que seu braço sempre esteve bom, logicamente podendo jogar novamente. Ao descobrir isso, ele fica num dilema, se deve mudar de escola, indo para uma que tenha mais perfil de time de baseball, ou permanecer lá.
Nascendo um clube

Hiro decide pegar as rédeas do grupo de baseball, assim começando um processo de treinamento dos veteranos e uma escalação de novos membros. O primeiro membro a entrar é o irmão da Haruka, o fã de baseball, Fujio Koga, que tem uma maneira toda inusitada de guiar a equipe como técnico. O segundo membro é o Ryutaro Kine, que também vem do time de futebol, apaixonado pela Haruka, ele decide voltar ao Baseball. Por fim, entra o filho do direitor, o Mochi Yanagi, que teve que abrir mão do baseball por causa de um trauma do seu pai no passado. A entrada de seu filho, o diretor Michio Yanagi resolve esquecer o passado e sonhar com Koshien.
O time realmente renasce ganhando um clube oficial na escola, disputando de igual para igual nos jogos. O sucesso da Senkawa Gakuen nos jogos, faz o time se classificar para o Koshien. Hiro que sempre via matérias do seu companheiro Hideo, assim sentindo o gosto da fama como arremessador mais rápido que já se viu.
Meiwa Gaken X Senkawa Gakuen – Chega à hora de Hiro se confrontar com Hideo em Koshien.

Hiro e Hideo sabiam que com o campeonato chegara a hora dos dois se confrontarem. Independente do baseball, Hiro e Hideo também disputam o amor de Hikari Amamiya. A entrada de Haruka como “namorada” de Hiro, não fez mudar a tensão entre ele e Hideo, quando o assunto é a Hikari, já que ela admira os dois como bons profissionais. Quem ficará com quem? Quem irá ganhar o Koshien? São algumas surpresas da série.
Além do Koshien

Talvez um dos defeitos da série seja ter continuado, após o primeiro Koshien, gerando um “melhor de três”. A série acelera o ritmo de narrativa, mostrando os 3 anos de Hiro e Hideo no ensino médio, em míseros 11 episódios. O que era uma grande expectativa no começo da série sobre ir a “Koshien”, acaba tornando-se banalizado.

A disputa de Hiro e Hideo pela Hikari, também dura esses 3 anos, mesmo assim Haruka está a espera dele dar valor a ela no final de contas.
Efeitos especiais

Um dos grandes destaques na série são os efeitos especiais e enquadramentos cinematográficos nos jogos de baseball. Se você gosta de filmes como Shaolin Soccer e Prince of tennis, não deve deixar passar H2~Kimi to Itahibi.

Trilha sonora

A trilha sonora é do cantor coreano K com a música Over. Tendo um timbre de voz muito parecido com o também cantor Ken Hirai, o cantor K anda fazendo muito sucesso no Japão atualmente. Depois de H2~Kimi to Itahibi, ele também participou na trilha sonora do dorama Ichi Rittoru no Namida , também conhecido como 1 litro de lágrimas.
Elenco

Hiro Kunimi, o protagonista da série foi interpretado pelo famoso Takayuki Yamada. Ele é protagonista do filme Densha Otoko e também do dorama Sekai no Chuushin de, Ai wo Sakebu. Além desses trabalhos, vale também destacar sua atuação nos dorama Taiyou no uta, Water Boys e Byakuyakou.

A personagem Koga Haruka, foi interpretada pela graciosa Ishihara Satomi. Entre seus destaques, está a serie Kimi wa petto, a segunda temporada de Water Boys, e TeruTeru Kazoku, no qual, ela interpreta uma heroína entre os anos 50 e 60.
Hideo Tachibana, foi interpretado por Koutaro Tanaka. Para os fãs de tokusatsu, ele foi o personagem Abare Killer da série Bakuryuu Sentai Abaranger (adaptada no ocidente como Power Rangers Dino Trovão). Entre os doramas de destaque em sua carreira, o Sekai no Chuushin de, Ai wo Sakebu que já comentamos por aqui, e Byakuyakou. No cinemas, ele fez uma ponta em Densha Otoko e participou do filme Water Boys.

Hikari Amamiya foi interpretada pela Ichikawa Yui. Entre as séries que ela atuou de maior destaque, temos HOTMAN, Rondo e Kurosagi. No cinema ela fez Rough, Nana 2 e Ju On 1 e 2, além do filme de tokusatsu com o ator Hiroshi Watari (o Boomerman de Jaspion e protagonista de Sheider e Spielvan), chamado Zebraman.

Vale mencionar que vários atores de H2~Kimi to Itahibi provieram de tokusatsu, além de Hideo Tachibana, como Ishisaki Yuma que fez o personagem Kine Ryutaro, participou de Kamen Rider Blade. Essa relação de doramas e tokusatsu é algo praticamente normal, alias muitos atores e atrizes antes de obter a fama, trabalham em tokusatsu primeiro, depois partindo para outras produções como doramas e cinema.

Por fim, quase em todos os episódios o próprio Adachi Mitsuru, autor do manga, faz aparições na série de televisão.





Categorias
Críticas de Séries Críticas e Reviews

Crítica | Hana Yori Dango 2

Hana yori dango é um dos doramas mais conhecidos pelo público que curte shoujo aqui no Brasil. Estamos voltando a falar desse maravilhoso universo.

Tudo maior…

Desde o primeiro minuto, sabemos que a série evoluiu em todos os pontos. Com o sucesso da primeira temporada, vemos uma série muito mais rica visualmente, como também uma trilha sonora ainda melhor, isso sem mencionar que o primeiro episódio é um especial de 2 horas rodados em Nova York.

Entre as mudanças na série, veio na trilha musical com a substituição da música Planetarium da Ai Otsuka, por Flavor of live da cantora Utada Hikaru. No lugar da canção “Wish” a banda Arashi fez a canção “Love so sweet” para suceder seu sucesso anterior.

Escolha dos fãs fez a diferença

Outro detalhe que fez diferença, foi que a série Hana yori dango 2 foi criada a partir de uma enquete por parte dos produtores do programa. O público japonês pode escolher as melhores cenas do manga que faltaram na primeira temporada, para serem adicionadas nesta. Isso gerou uma “salada” mista para quem acompanhou o manga e assistiu a segunda temporada.
Dorama parecendo manga

Talvez um dos únicos pontos negativos da segunda temporada foi usar narrativas visuais que transformaram seus personagens extremamente caricatos como nos mangas. Um dos personagens que mais sofreu com isso foi Domyoji Tsukasa que tinha ataques de alegria com reações totalmente nonsense que só caberiam ao manga e não ao live action. Por exemplo, quando Domyoji e Makino destroem um prédio fazendo um buraco num apartamento velho e caindo no apartamento vizinho abaixo. Esses fatores destoaram e muito a série em relação da primeira temporada, não mantendo assim um padrão.
Vamos a história (Spoiler para quem não viu Hana Yori dango 1)

Lembram como acabou a temporada anterior? A série acabou com Makino beijando Domyoji que foi estudar em Nova York, mas ele prometeu voltar. Como continuaria esse romance agora que eles foram separados? Vamos as respostas.

Abrindo o ano de 2007 com um especial de 2 horas, vemos Makino andando no Time Square, aonde não consegue se comunicar em inglês para encontrar o Domyoji que ela não vê há mais de um ano.
Utilizando-se de um sistema de flashback, acabamos voltando no tempo justamente no fim da série em dezembro de 2005. Assim, podendo ver o que realmente aconteceu com Makino nesse período que ficamos longe da personagem. Entre os destaques é a formatura do F4 (sem Domyoji) como também a abertura de um restaurante em homenagem ao F4 no lugar da antiga cantina.

Makino segue sua vida sem Domyoji, sendo convidada num reencontro de amigos de sua antiga escola. Ela encontra grandes amigos do passado, como também se sente realmente bem com eles.
A relação Makino e Domyoji acaba “muchando” com o decorrer do tempo, mas tudo muda quando inesperadamente aparece um aviso do F4 no armário da Makino, enviado supostamente pelo próprio Domyoji. A vida da Makino vira um inferno de novo com esse estranho aviso. Desmascarando aquele que ousou imitar Domyoji, Makino consegue desfazer o mal entendido, mas ainda não compreendendo o porque Domyoji não conversar mais com ela.
No fim de 2006, o pai de Makino ganha uma passagem para Nova York que não se fazendo de rogado, entrega à filha para encontrar o seu grande amor do outro lado do mundo.

Em Nova York, acabam roubando todas as coisas de Makino, além disso, ela arranja problemas com um grupo de bandidos. Eles ameaçam a bater nela com uma bola de basquete, faz Makino gritar por socorro por Domyoji. Ela é surpreendida pelo galã Rui que a salva do bando, como também a levando para jantar. Acabamos descobrindo que Rui nunca desistiu do amor da Makino, apenas preferiu respeitar a decisão dela em ficar com o Domyoji ao invés dele.
Encontrando finalmente Domyoji, Makino descobre que ele mudou e não a ama mais. Sendo líder de um grupo de garotos americanos que também agem como guarda costas dele. Com muito custo, Makino acaba conseguindo uma conversar a sós com ele, mas ela apenas confirma o que ela realmente já sabia, tudo havia acabado entre eles.

Rui consegue para ela, tudo que a roubaram quando ela chegou na cidade, assim conseqüentemente ambos retornam ao Japão.
De volta ao lar, Makino recebe um convite do aniversário do Domyoji, enviado pela mãe do próprio. Como nós sabemos, Kaede Tsukasa foi uma verdadeira víbora na primeira temporada. O que ela estaria aprontando? A resposta viria na noite do jantar, aonde Domyoji retorna ao Japão por curto período, sendo anunciado o noivado dele com a também milionária Shigeru Okawahara. Além disso, para pisar ainda mais na Makino, a mãe de Domyoji, propõe um duelo musical entre Makino e Shigeru, fazendo seus típicos planos para afastar de vez Makino de seu filho. Assim acaba o episódio especial de 2 horas que dá inicio a segunda temporada.
Um quadrado amoroso?

A série ganha reforço com a personagem Shigeru, carismática, ela quer se tornar a melhor amiga de Makino, assim conhecendo mais o Domyoji. Rui percebendo que Makino não está mais namorando Domyoji, também começa investir nela, após se distanciar da Shizuka Toudo. Está dada a largada para o quadrado amoroso, aonde Shigeru tenta fazer Domyoji esquecer Makino, enquanto Rui fazer o mesmo com Makino.

Vale lembrar que não conseguimos sentir raiva da Shigeru, a personagem cativa o público em querer ser a melhor amiga da Makino. Suas intenções são verdadeiras e mesmo encontrando muitas vezes Makino e Domyoji em situações embaraçosas, Shigeru faz de conta que não sabe de nada. O verdadeiro mal da Shigeru só começa a aparecer quando ela percebe que está perdendo a guerra para Makino, e olha chegamos a ver isso quase perto do fim da série.
Dia dos namorados

A série abre destaque para se aprofundar personagens secundários, assim vemos algumas pontas soltas da última temporada, como o romance entre a Yuuki Matsuoka e Soujiro Nishikado, respectivamente a melhor amiga de Makino com um dos F4. Esse romance ganha até um triângulo amoroso, com a entrada de um antigo amor de Soujiro.
Nishida

Um dos destaques da série, que também é a um aprofundamento do que foi explorado na temporada anterior. Aqui vemos um pouco mais da relação do “serviçal” Nishida com a família Tsukasa e a Makino. Tendo as funções de mordomo e motorista da mãe de Domyoji, a Kaede Tsukasa, ele sempre torceu para seu “patrãozinho” ficar com a Makino.

É ele que vai sempre vai avisar um ao outro, quando algo de importância acontecer com um deles. Por exemplo, quando Makino desmaia por trabalhar demais, é o Nishida que avisa Domyoji em plena festa de oficialização de noivado com a Shigeru. Faendo ele correr desesperado para hospital, largando o noivado.
Segredos

Makino acaba descobrindo que a verdadeira razão do Domyoji ter se afastado dela, foi um comentário infeliz que ele fez para mídia americana que levou o grupo de sua família ir a quase falência.
Kaede tentando reestruturar a empresa, faz um pronunciamento que avisa a demissão em massa. Um dos melhores amigos do Domyoji, o Ken Uchida, se suicida, após a demissão dada pela empresa. Não conseguindo encarar isso de frente, Domyoji se afasta e tenta reverter isso, por isso seu afastamento com a Makino, logo no começo da série.

Enquanto isso, uma das maneiras encontradas por Kaede foi o casamento dele com a Shigeru, herdeira de um grande grupo internacional de petrolifico, assim gerando uma fusão das duas empresas.

Só que isso tudo muda completamente nos últimos capítulos, Domyoji encontra um cara igual ao Ken nas ruas em Tóquio. Correndo atrás dele, Domyoji acaba descobrindo todo segredo de sua mãe. Todo trauma foi um plano ambicioso preparado pela própria Kaede para seu filho. Ameaçando Ken, Kaede oferece um emprego bem longe de seu filho, mas para isso, ele teria que fazer tudo que ela mandar. Sua ordem? Simular sua própria morte na frente de Domyoji o traumatizando para o resto da vida. Assim, Ken simula estar pobre por ter sido demitido da empresa e como mendigo, ele se jogar do alto de um prédio, fazendo Domyoji não se perdoar.
Antes do fim

Quando estamos realmente confiantes que o seriado caminharia para seu final, acontece um acidente na vila de pescadores que os pais da Makino agora estão morando e trabalhando. Domyoji cai tentando salvar Sussumu, irmão de Makino, e perde toda a memória referente a ela.
Acordando num hospital, Domyoji não reconhece Makino, perguntando se ela era namorada do Rui. A tratando mal e não a respeitando nem um pouco, Domyoji parece ser o mesmo personagem da primeira temporada, logo começo da série.
Makino mesmo assim, vai diariamente para o hospital e nem imagina que irá ganhar uma rival por lá, a Umi Nakashima. A garota que faz amizade com todos no hospital, na verdade é uma víbora e faz de tudo para Domyoji se apaixonar por ela esquecendo de vez a Makino.
Será que Makino conseguira superar mais esse obstáculo em sua vida?
Músicas

Como foi comentado antes, as músicas de Hana Yori Dango 2 conseguiram ser superior a trilha sonora da temporada anterior. E isso repercutiu-se nas vendas também, ambos os singles conseguiram a colocação de 1º lugar da Oricon.

Flavor of life, além de obter o primeiro lugar da Oricon, conseguiu ser durante meses o single mais baixado do Itunes japonês. O top 5 do Itunes japonês, permaneceu inalterado por meses, sendo merecidamente para a cantora Utada Hikaru.

No caso da banda Arashi, a exposição do grupo nessa época se devia a dois motivos. O primeiro foi logicamente o Matsumoto Jun em reprisar o papel de Domyoji em Hanadan 2, mas o segundo foi a divulgação do filme Cartas de Iwo Jima, aonde o membro da banda,
Kazunari Ninomiya participou dessa fantástica produção.
Flavor of life – Makino e Utada Hikaru. Coicidência?

A música tema do casal Makino e Domyoji foi um grande sucesso durante o primeiro trimestre do ano. Tendo em sua letra, uma conotação perfeita para a separação de ambos, acabou na mesma época em que a Utada Hikaru anunciou sua separação com o diretor Kazuaki Kiriya. Alegando falta de comunicação, Kazuaki pediu para os fãs continuarem apoiando a ela.

Coicidência ou não, a música cabe perfeitamente a situação pessoal da Utada naquele momento, levando a crer que a música talvez seja baseada em sua vida pessoal e não apenas para os personagens de Hana Yori Dango 2.

Categorias
Críticas de Séries Críticas e Reviews

Crítica | Hana Yori Dango

A série produzida em 2005 foi baseada no mangá criado pela Yoko Kamio que foi publicado de 1992 a 2004, constituída de 36 volumes. Hana yori Dango já teve outras produções antes. Constituída de apenas 9 episódios, a série produzida pela TBS foi exibida entre outubro e dezembro de 2005, todas as sextas feiras às dez horas da noite.

Eitoku Gakuen, a escola japonesa para a elite do Japão. Makino Tsukushi de 16 anos, não se enquadra nesse perfil, mas com muito custo, ela conseguiu entrar nessa escola. A verdadeira intenção da família de Makino Tsukushi é a que ela se case com um cara rico para serem custeados.

Conhecemos todo poder que os alunos têm na escola, quando observamos a uma fila de limusines que deixam os alunos todos os dias na Eitoku Gakuen. Os mais poderosos da escola são o F4, os Flowers 4, que são os quatro alunos mais poderosos de todo o Japão. Formados por Domyoji Tsukasa, Hanazawa Rui, Nishikado Soujirou e Mimasaka Akira.

Aqueles que receberem o aviso do F4, devem ser ignorados pela escola, que ira sempre perseguir essa pessoa do aviso (que vem na forma de uma faixa vermelha escrito F4), assim a amiga de Makino Tsukushi, a Sakurako Sanjou recebeu o aviso. Tsukushi não deixaria a amiga ser linchada pela escola, assim compra a briga com o líder dos F4, o Domyoji Tsukasa, que além de definir Makino Tsukushi, como novo alvo, começa a ter uma estranha afeição pela força de vontade por ela.
Além da escola, Tsukushi trabalha com a amiga Matsuoka Yuki, na loja de doces de feijão “Sengoku”. Ambas são amigas desde o primário e por causa de Tsukushi ter conseguido estudar na Eitoku Gaken, foi o que fez as duas não estarem mais juntas na escola. Juntas, elas conversam e se ajudam no dia-a-dia. Vale o grande destaque para a Sensoku, a dona da loja de doces, que sempre conta à história de algum namorado famoso que ela teve, para assim ajudar as duas em relação ao amor.

Tsukushi esconde uma grande paixão por Rui, dos F4, que sempre dá conselhos a ela, na área reservada da escola, enquanto Domyoji não assume, mas está realmente apaixonado pela Tsukushi. Quando Rui parte para fora do país, Tsukushi torna se mais próxima de Domyoji.
O escândalo do namoro dos dois sai na mídia, assim provocando um mal estar no F4 e em toda a escola, que não acreditando que ela estaria namorando Domyoji, um dos mais poderosos do Japão. Sakurako Sanjou, que era amiga de Makino Tsukushi, ainda se encontra com ela, mas torna-se a vilã da serie ao tentar destruir a todo custo o namoro dos dois.

Vale um destaque para a participação especial da atriz Matsushima Nanako que interpreta a Tsubaki, irmã de Domyoji. A irmã tenta evitar que a história se repita, assim fazendo Tsukasa ser feliz com Tsukushi. A atriz também é conhecida por ter interpretado a professora Fuyutsuki Azase, do seriado Great Teacher Onizuka de 1998.
Domyoji Kaede, interpretada magistralmente por Kaga Mariko, é a grande vilã do seriado, com os planos de Sakurako Sanjou fracassaram, Kaede vem dos Estados Unidos para eliminar a namorada de seu filho. Ela primeiro oferece dinheiro aos pais de Tsukushi para manterem sua filha longe de Domyoji. Sem sucesso, ela consegue demitir os pais dela e desaloja-los. O plano de Kaede também afeta a loja de doces da Sensoku, que também é desalojada. A vida de Makino Tsukushi vira um verdadeiro caos ao mexer com a família mais poderosa do Japão. Será que mesmo com tudo isso, a Tsukushi vai ficar com Domyoji?

A série tem ainda a musica tema “Wish” da banda Arashi, no qual o ator/cantor Matsumoto Jun, que interpreta Domyoji Tsukasa faz parte. A canção “Planetarium” da cantora Ai Otsuka, tocada durante a série, tornou-se bastante popular na época de exibição da série.

Vale lembrar que em janeiro de 2007, a série Hana Yori Dango 2 estreiou na televisão japonesa dando continuidade.

Categorias
Críticas de Séries Críticas e Reviews

Crítica | Hotaru no Hikari

Séries como Hotaru no Hikari seguem a temática de verdadeiros contos de fada atuais. Colocando a protagonista apaixonada por um príncipe encantado, a série é baseada no manga de Satoru Hiura. Hotaru no Hikari é uma comédia romântica, para quem gosta de obras leves e descontraídas como Densha Otoko, Hero e Tatta Hitotsu no Koi.
Exibida em 2007 pela NTV, Hotaru no Hikari teve uma média de 13.6 % de audiência na região de Kanto no Japão. Trazendo um elenco de peso, como Ayase Haruka ( de Sekai no Chuushin de, Ai wo Sakebu e Tatta Hitotsu no Koi) , Fujiki Naohito ( de Ichi Rittoru no Namida e Proposal Daisakusen) e Kato Kazuki (de Jigoku Shoujo e Kamen Rider Kabuto), Hotaru no Hikari tem como característica a carisma dos personagens, principalmente a Hotaru feito pela Ayase Haruka, que parece uma garota saída diretamente de um shoujo manga.
A série

Hotaru (Ayase Haruka) trabalha para uma grande empresa de design interiores. Linda e simpática, Hotaru, tem uma vida pessoal totalmente oposta a sua vida no trabalho. Sempre usando malha velhas e bebendo cerveja no jardim de sua casa, Hotaru guarda pra si o seu jeito desleixado de ser.

Não interessada em homens, morando sozinha e tendo uma casa que é um tremendo caos, Hotaru é uma garota que não liga pra nada em sua vida particular.
Lógico que para tornar essa história mais interessante, sempre tem um pontapé inicial e esse se chama Makoto Teshima (Kato Kazuki). Novo funcionário da firma, ele veio depois de uma série de cursos e trabalhos no exterior. Renomado e jovem, Makoto desafia a sorte, vendo à linda Hotaru dormir num dos lugares que a firma está trabalhando. Beijando, ou melhor, roubando um beijo da Hotaru, Makoto a acorda, deixando a totalmente sem jeito. Num simples beijo inesperado, Hotaru descobre que está apaixonada pelo Makoto e precisa de ajuda urgente, porque não quer deixar essa passar.

Para completar, a vida dela vai acontecer uma grande transformação, quando, de forma inesperada, seu chefe, Seiichi Takano (Fujiki Naohito), aparece em sua casa, cobrando que ela se mude. Não entendo nada, Hotaru descobre que sua casa é do pai de Takano e que ele está em processo de divórcio com sua mulher, por isso estava se mudando para a casa de seu pai.

Mostrando o acordo que fez de tomar conta da casa, Takano não acredita que seu pai deu a casa como aluguel pra Hotaru de forma vitalícia, portanto de graça e até quando ela quiser ficar por lá.
Para resolver o impasse os dois vão ter que conviver juntos, porém será um desafio para Takano viver naquela casa, já que Hotaru com seu jeito debochado e bagunçado de ser. Cheio de manias e arrumações, Takano acaba inserindo uma porção de regras na casa, coisa que a Hotaru não está muito disposta a seguir. A relação dos dois acaba tornando de tolerável a uma grande amizade.
Graças a Takano, que se torna uma “fada madrinha”, Hotaru consegue ficar cada vez mais próxima de Makoto. Sempre seguindo conselhos e principalmente sendo o “empurrão” que Hotaru precisa, pra conseguir ficar com Makoto, Takano vai assistindo tanto na vida pessoal como profissional, o envolvimento dos dois. Mas não pense que Takano seja tão simpático e paciente, já que a forma de conselhar Hotaru é sempre com “patadas” que soam como um pai dando bronca numa filha.
Duas vidas

Um dos pontos interessantes e bem abordados em Hotaru no Hikaru é a relação entre Hotaru e o Takano. Enquanto em casa, Hotaru não tem vergonha de ele ser seu chefe, e o trata sem formalidade, como também se veste de qualquer jeito, no trabalho, ela o trata formalmente e sem intimidade. Esse é um ponto importante, já que tanto Hotaru e Takano, não querem que descubram que eles estão morando juntos sobre o mesmo teto. Ele, não quer que sua ex esposa descubra que esteja vivendo com outra mulher durante o processo de divorcio, enquanto ela, não quer que Makoto descubra que ela esteja vivendo com outro homem, assim prejudicando sua intenção de namorar o Makoto.

As formas de camuflar esse obstáculo são das mais diferentes maneiras, desde não irem juntos pro serviço, como também quando recebem visita inesperada, um deles tem que desaparecer com seus itens pessoais, para que a visita não perceba sua presença.
Mesmo que o relacionamento deles seja sobre brigas, Takano alega que só está ajudando Hotaru para ela ir embora da casa dele. Namorando Makoto, ela sairá de casa, mas fica claro que Takano gosta de Hotaru e por isso a ajuda fazer ser feliz ao lado de Makoto.
Vida a dois

Finalmente, Hotaru consegue atrair pra si o Makoto, como começar o relacionamento a dois. Com um empurrão de Takano, Hotaru e Makoto ganham da companhia, um passeio de helicóptero para ver uma chuva de fogos de artifício.

Takano espera que Hotaru pare de ser tão desleixada em casa, caso quiser namorar Makoto. Sendo direta ao assunto, Hotaru confessa a Makoto que em casa é uma outra mulher e não aquela “certinha” do trabalho.

Um dia, Hotaru fica sem chave pra entrar em casa e pede que Takano discretamente empreste sua chave pra ela entrar em casa. No dia, ela aparece com roupa de malha em volta do escritório e Makoto vê a intimidade que ela e Takano tem quando estão sozinhos. Vendo os dois assim, Makoto decide tomar uma atitude drástica que é morar com a Hotaru.
Makoto sugere os dois se mudem para um apartamento novo. Gostando dela, ele acha que é o momento de ambos largarem sua antigas para trás e viverem juntos uma história de amor.
Para Hotaru não é uma opção fácil, largar seu lar, como também sua amizade com Takano. Mesmo assim por amor, Hotaru se muda temporariamente para o apartamento de Makoto, experimentando a vida a dois.
*SPOILER*

Nem tudo são flores

Quando tudo mundo pensa que Hotaru finalmente será feliz para sempre ao lado de Makoto vem à decepção de conseguir morar juntos. Makoto acha que Hotaru não é verdadeira com ele e não é intima com ele, como ela é com Takano. Seu jeito de resolver as coisas, foi mandando uma mensagem pra ela, que ele irá dormir num hotel, até ela achar um apartamento novo, já que sua relação a dois não foi o que ele esperava.

Hotaru toma um choque ao perceber isso e percebe que talvez não seja Makoto quem ela ame, mas talvez o Takano, surpreendendo o telespectador. Hotaru no Hikari é uma série de comédia romântica que consegue ainda surpreender no final, assim recomendada para qualquer fã do gênero.

Categorias
Críticas de Séries Críticas e Reviews

Crítica | Haru e Natsu – As Cartas que não chegaram

Quem diria que um dia teriamos a honra de assistir um dorama na televisão brasileira? E mais, quem diria que esse dorama seria exibido na televisão aberta, com idioma original e legendado. Sendo apresentado como minissérie e sendo readaptada para o formato brasileiro, assim de 5 capítulos para 8 capítulos, Haru e Natsu apresentou uma nova forma narrativa de contar uma boa história.

O Benedito Ruy Barbosa japonês?

Para a critica brasileira, foi assim que Haru e Natsu foi chamado e comparado. Dificil não comparar a história da colônia italiana, com a da colônia japonesa que aconteceram na mesma época no Brasil. Mais difícil ainda é não ver semelhanças em produções como Terra Nostra e Esperança com o trama da Haru e Natsu, então a mídia brasileira especializada em informar tramas de novela, está corretíssima em querer aproximar as duas produções a mesma realidade.
Legendado e Dublado

Um fato que estranhou, mas que também agradou os mais fãs da cultura japonesa foi que a Rede Bandeirantes optou, por exibir a série com o áudio original em japonês, optando pela dublagem, apenas na narração dos personagens. Logicamente, para quem não está acostumado a este formato, pode estranhar, mas foi uma opção escolhida pela emissora brasileira. Todavia, sempre foi impossível agradar gregos e troianos, assim não tardou para surgir criticas pelo público que queria ver a série dublada. Infelizmente, eu sei que o formato da Band pode ter agradado fãs da cultura japonesa e até mesmo seus descendentes, e principalmente conseguiu audiência, provando que não estamos presos à dublagem. Só que ao mesmo tempo, tendo conhecimento dos gostos e costumes do público brasileiro, sempre soubemos da preferência de séries na televisão aberta, numa opção dublada, enquanto na televisão fechada, a cabo se preferir, uma opção legendada.
Outro ponto que incomoda o brasileiro é a questão do áudio, não estamos acostumados com o áudio japonês na televisão brasileira. Gera um choque cultural, porque estamos acostumados de ouvir português e o inglês, porventura, algum idioma semelhante o português, que vem de uma derivação do Latim. Agora, quando inserimos o áudio japonês, que foge desse “padrão” conhecido pela maioria, gera estranhamento. Falo isso, como estudante de língua japonesa e fã de produções japonesas, que o idioma, para a maioria das pessoas, gera estranhamento tendo conseqüências como a rejeição .

Agora, se a série demonstrou potencial ao ser exibida LEGENDADA, tentemos imaginar, o quanto a série iria alcançar caso tivesse optado pelo a dublagem. Infelizmente, por causa disso, Haru e Natsu não se fez presente, aos fãs de novelas brasileiras, apresentando uma nova escola na forma narrativa de se fazer produções, diferente das brasileiras, mexicanas, colombianas e argentinas, já conhecidas pelo público brasileiro.
Audiência

Depois de se falar sobre a importância de se medir a audiência graças à produção exibida, mais a opção em que foi exibida, sabíamos que a serie poderia ter o risco de dar “traço”. Pelo contrário, brigando, num horário que temos novelas da Rede Globo e Rede Record, o resultado escolhido poderia ser catastrófico, sendo que segundo o portal Revista Online, a audiência de Haru e Natsu ficou em torno de 3 pontos de audiência (na grande São Paulo).

Parece pouco? Realmente é pouco, quando compararmos a produções “globais” que já chegaram a bater 52 pontos de audiência. Agora, considerando, que não é uma série acessível para qualquer um, pois se retrata dados que muitas vezes devemos ter conhecimento prévio, como significado de dekassegui e gaijin, agregado ao formato exibido e tal, 3 pontos é altíssimo. Numa comparação a emissoras UHF, por exemplo, a MTV, Play TV que já exibiram algumas animações japonesas, tem sua média geral, traço. Sim, diante ao instituto de audiência Ibope, a audiência não chega a 50 mil telespectadores, gerando assim o zero ponto. Sendo assim, considerando 3 x 50 = 150 mil telespectadores só na capital de São Paulo. Isso não é bom?
A História

A série de 5 capítulos exibida pela Rede Bandeirantes, conta a história de duas irmãs que separaram se há 70 anos atrás.

1934 Hokkaido

Na era Showa, o Japão sofria uma crise sem precedentes, tornando-se atrativo ir trabalhar num outro país onde a terra que tudo dá. Assim, o programa de emigração chamava atenção dos japoneses, os convidando a ir para o Brasil. Foi assim que a família Takakura acreditou na possibilidade de ir para o Brasil e trabalhar durante
3 anos.

Assim, a família de Haru e Natsu parte para o porto, disposto a deixar o Japão para trás, acreditando na chance de fazer fortuna no Brasil. Porém, a filha mais nova contrai Conjutivite, coisa que o governo brasileiro não permite, assim a família descobre que só poderá embarcar se deixar a filha mais nova pra trás. A decisão é dura, mas Haru promete que voltara ao Japão daqui 3 anos.
Uma nova vida no Brasil

Chegando ao Brasil, Takakura Chuji descobre que tudo não era tão maravilhoso como parecia. Eles foram enganados, trabalhando quase como escravos em uma fazenda em São Paulo. Chefe de família, Chuji começa a perceber que não conseguira cumprir a promessa de voltar a 3 anos.

Uma das primeiras brigas entre os japoneses e os fazendeiros é o sistema de comprar mercadorias fiadas na mercearia da fazenda. Tendo proibições como não plantar sua própria plantação particular, os fazendeiros faziam as dividas dos japoneses aumentar, assim os amarrando por muitos anos em suas fazendas.
A independência no Japao

Natsu volta a sua antiga casa, morando com sua avó, mas a família dos seus tios matrata tanto ela como sua avó. A avó acaba falecendo, obrigando a Natsu tomar uma atitude drástica de fugir de casa.

Ela acaba sendo adotada por um humilde fazendeiro se tornando filha dele. Assim, Natsu esperava que em 3 anos, sua família voltaria e que tudo ficaria normal de novo.
A fuga e a guerra

Fugindo da fazenda, a família Takakura acha que terá um momento de paz, ao começar trabalhar numa cooperativa coordenada por americanos no Brasil. Porém, em plena segunda guerra mundial, os japoneses perdem a guerra, como se tornam inimigos dos americanos. O que acontece? A família Takakura tem deixar tudo que construiu pra trás, antes que sejam mortos pelos americanos.

A nova vida de Natsu

Infelizmente a morte esta sempre presente em sua vida, assim o pai adotivo de Natsu falece. O Japão consome a pior crise de todos os tempos, assim Natsu decide em produtos alimentícios como queijo.

Conhecendo um oficial americano, Natsu se interessa a fabricar doces, assim abrindo as poucos sua própria empresa no ramo.
Um lugar ideal para se morar

Haru e sua família acabam indo para o Paraná para recomeçar sua vida mais uma vez. Dessa vez, eles construíram um novo lar numa cooperativa feita pelos próprios japoneses. Nessa época, seu pai era um dos que relutaram a perda do Japão na segunda guerra mundial.

Quem teve mais sorte?

Haru continuou sua vida no Brasil, se casando, tendo filhos, e seu marido acabou se especializando em plantas em São Paulo. Sua mãe relutou o namoro de seu filho com ocidentais, algo bastanto natural na época.

Enquanto isso, Naru também teve sua família, se tornou uma das mulheres mais ricas do Japão. Nem por isso foi feliz, já que se cansou de viver numa família que se interessava mais em sugar seu dinheiro do que demonstrar qualquer amor. No fim, graças a economia, sua empresa foi engolida na crise e ela se sentiu mais feliz assim do que ter que dividir com seus parentes.
O reencontro

Haru e seu neto Yamato vão para o Japão reencontrar Natsu, inicialmente ela se esquiva, dizendo que senão havia procurado todos esses anos, não fazia diferença agora esse reencontro. As duas brigam justamente por causa das cartas que não receberam e é nesse ponto que o dorama começa. Já que ambas conseguem achar as cartas que uma contou a outra, até os dias atuais, assim acontecendo todo flashback da história.

Haru acaba convidando Natsu a vir visitar o Brasil e assim, ela se sente que realmente completou seu ciclo, em finalmente pisar no país que seus pais viveram o fim dos seus dias.

Categorias
Críticas de Séries Críticas e Reviews

Crítica | Trick

Essa série produzida pela TV ASAHI em 2000, composta de três temporadas e três filmes, tem entre seus méritos a participação especial dos atores principais em Doraemon, graças ao sucesso da série.

Caminhando sobre o gênero de terror, conhecemos Naoko Yamada que é demitida de um circo local, por suas funções de ilusionista não serem mais necessárias. Ela que vem de uma família de ilusionistas, graças a tudo que seu pai lhe ensinou, assim aceita uma nova proposta de emprego de se passar por uma feiticeira para o professor de física Jiro Ueda. Naoko encontra diversos outras pessoas que também vieram ganhar o valor dado ao professor, caso alguém provasse que tem poderes paranormais, assim Naoko decide enganar o professor com uma ilusão num envelope de papel, conseguindo chamar atenção dele.

O verdadeiro plano do professor Jiro Ueda era muito além do simples prêmio de quem provasse ter poderes paranormais, assim com relutância Naoko forma dupla com ele, para tentar desvendar o primeiro caso juntos.

Chegando numa estranha comunidade religiosa, Naoko tem que desvendar o mistério da Okasan-sama (Excelentíssima mãe, Maezona). Cada plano de tentarem despistar Naoko da verdade, criando falsos efeitos paranormais, são rapidamente desmarados por ela, um a um. O que levou o caso ser resolvido pela polícia, foi justamente que qualquer um que fugisse da comunidade, morria misteriosamente dias depois, sempre vendo a Okasan-sama voando, como um sinal de maldição da própria. O primeiro truque a ser revelado para a comunidade é justamente sobre os envelopes de pedidos que todos fazem na comunidade e Okasan-sama lê sem abrir os envelopes, Naoko revela que ela usa álcool nas mãos, deixando transparente o envelope para assim ler os pedidos. O caso ao ser resolvido desmascarando Okasan-sama, ela envenena-se por não aceitar o fim de sua comunidade, assim encerrando o primeiro caso de Naoko Yamada e o professor Jiro Ueda.

A série nos casos seguintes, também revela detalhes sobre a vida de Naoko Yamada, como também a estranha ligação entre ela e a sua própria mãe. Descobrimos que no passado, Gouzou Yamada (pai de Naoko) desmascarava diversos paranormais, os expondo para mídia de charlatões, também por isso ele foi amaldiçoado por muitos. Lembrando, em cada caso resolvido, sempre os culpados citam a morte do pai de Naoko, quando ela era criança, por um verdadeiro paranormal, assim a almadiçoando.

Satomi Yamada (mãe de Naoko) é uma personagem presente em todos os episódios da série, sempre dando conselhos a sua filha, como também sendo enganada pela própria, ao dizer que estava ganhando muito dinheiro em Tóquio, assim não precisando se preocupar. Satomi vive numa cidade de interior e sempre pressente quando algo está errada com sua filha, por causa de sua estranha ligação.

Vale também realçar a amizade entre Naoko e professor Jiro Ueda, tornando até uma relação meio caricata, quando ambos se envolvem em perigo. Num dos episódios, ele fala que ele é extremamente bem dotado, mais para frente aparece um cadáver sem cabeça, com as mesmas roupas dele, Naoko decide conferir se é ele mesmo, abrindo as calças do cadáver, numa situação para lá de hilária, ao pedir que o policial presente comparasse o tamanho do próprio com o do cadáver.

Naoko Yamada foi interpretada pela brilhante Yukie Nakama que aqui no Brasil, a conhecemos pelo papel de Oboro no filme Shinobi. Ainda no Brasil, tivemos outro filme com atuação dela, o filme RINGU 0 (o original dos filmes de terror americano Ring, o Chamado). Além disso, ela também protagonizou o seriado Gokusen, no qual interpreta a neta de poderoso chefe dos Yakuza que divide sua vida entre ser professora e administrar seus próprios Yakuzas.

O professor Jiro Ueda foi interpretado também pelo bastante popular Hiroshi Abe. Aqui no Brasil também já tivemos um filme com o ator, chamado “Tokyo Raiders”, lançado por aqui pela Columbia Pictures. Além disso, ele protagonizou um dos programas mais assistidos do Japão, o seriado “Hero” e também participou entre diversos trabalhos na série “Musashi” em 2003 pela NHK. Sem comentar que ele já foi garoto propaganda da Visa, Johnson & Johnson, Toyota entre outras.

Vale lembrar que Trick pode ser comparado a uma mistura de Arquivo X e Scooby Doo, sendo apenas uma das qualidades que o seriado tem. Assim, quando você tiver um assunto paranormal, você ira lembrar do professor Jiro Ueda e da Naoko Yamada.

Categorias
Críticas de Séries Críticas e Reviews

Crítica | Yukan Club

Criado por Ichijo Yukari, Yukan Club foi adaptado para série por Egashira Mishiru, que cuidou das três temporadas de Gokusen na televisão japonesa. O sucesso do outono, Yukan Club é uma série leve e divertida, com uma temática meio Scooby Doo.

Tendo dois membros da boy band Kat-Tun, Akanishi Jin e Taguchi Junnosuke e um da boy band Kanjani8, o Yokoyama Yu. A série também marca o retorno de Akanishi aos doramas, depois de um hiato de 2 anos, com Anego.

Quem é Quem

Liderados por Sochikubai Miroku, ele é reservado e seguro de si, sendo que sei pai e um famoso inspetor da polícia.

Hakushika Noriko é uma dama que não tem grande simpatia pelos homens. Sua mãe é uma mestra de chás e seu pai um mestre de artes.

Herdeiro de um grande hospital, e mestre das artes marciais, Kikumasame Seishiro é cérebro da equipe.

Desejando casar com um homem rico e tendo uma beleza incomparável, temos a sensual

Kirakura Karen.

Tendo pai embaixador da Suecia, Bidou Granmanie é um mestiço e bastante galanteador, com sua beleza atrai qualquer mulher.

Filha e herdeira do poderoso Kenbishi Zaibatsu, Kenbishi Yuri tem habilidade especiais, como uma força fora do normal. Seu principal hobbie é comer.
Sempre encontrando a solução, Yukan Club usa o lema: “Fazendo o impossível se tornar possível é o que Yukan Club faz.”
História

Composta de 10 capítulos, Yukan Club não tem conexões entre os capítulos, sempre mostrando um novo caso a ser desvendado.

Episódio 1

Miroku salva uma garota de uma tentativa de seqüestro, se apaixonando. Descobrindo que era uma tentativa de fazer a garota não ir a um festival de dança. Ele trás Yukan Club para proteger e tornar a garota que está apaixonado, a vencedora da noite.

Episódio 2

Yuri é seqüestrado por uma dupla amadora. Pai e filho a seqüestram, por precisar de dinheiro para o tratamento de sua mãe. Yuri assume o comando e pede ajuda do Yukan Club para chantagear seus próprios pais.

Episódio 3

Uma grande amiga do Yukan Club vai casar. Deixando seu antigo amor de lado, Ayumi vai se casar com um chefe da máfia que vai pagar os prejuízos dos negócios de seu pai. Enquanto isso, Seiji que ainda não esqueceu Ayumi, monta seu primeiro negócio.
Não aceitando a distância dos dois, fará o possível para que Ayumi e Seiji ficam juntos.

Episódio 4

Numa festa, Bidou molha sem querer o quimono de uma senhora chamada Sakuragawa Kinu. Sem perceber, Kinu fica apaixonada por Bidou que não gosta da idéia de uma senhora de 60 anos se apaixonar por ele. Yukan Club incentiva o amor dos dois, até que ela morre e começa a assombrar Bidou, querendo que ele a encontre no outro mundo.

Episódio 5

Yuriko, mãe de Yuri, não sabe aonde errou, em ter uma filha sem educação. Valorizando a boa educação e bons costumes, ela. percebe que Yuri não vai mudar, assim obrigar a se casar e gerar um neto.

O noivo escolhido é Seishiro que assume a empresa e obriga a Yuri a ter bons costumes. Yukan Club percebendo que algo está errado decide intervir o casamento dos dois.
Episódio 6

Noriko é salva por Yuya e não entendendo o que sente, Yukan Club mata a charada, ela está apaixonada. Até que Yuya rouba um quadro do pai de Noriko, para ajudar sua mãe.

Episódio 7

Karen se apaixona pelo príncipe que está refugiado no Japão, após um golpe político. Ficando na casa de Yuri, o príncipe Cassar Garcia também se apaixona por Karen, assim acontecendo um encontro. Só que tudo dá errado, seqüestrados por terroristas, a vida do príncipe e da Karen dependem da ajuda do Yukan Club.

Episódio 8

Chiaki volta de uma viagem pela França, para comemorar seu aniversário, com seu marido, o inspetor Shochikubai Tokimune.

As coisas não saem como esperando, quando um travesti vingativo manda um ramalhete bomba para Tokimune. Uma vez bêbado, ele prometeu que não iria dar flores aquele ano para Chiaki, mas para a travesti. Agora Yukan Club precisa ajudar Tokimune sair dessa.

Episódio 9
Yuri é a pior aluna da St. President, e será punida nas férias, tendo que fazer aulas de reforço. Querendo viajar, Yuri briga com o professor Midorikawa, despertando a fúria de um espírito de um aluno.

Incorporando, o espírito tira nota máxima para ela, mas promete que ela só voltará a comer, se sua vingança for cumprida. Yukan Club descobre que o aluno se suicidou porque Midorikawa trocou sua prova por uma de uma aluna não tão inteligente, assim sendo reprovado.
Episódio 10
Miroku encontra uma arma na sala do Yukan Club. Achando que é de brinquedo, ele mira contra Bidou, acertando seu rosto. Sendo acusado de levar uma arma a escola, o filho do famoso inspetor de polícia é preso e o clube fechado.

O escândalo vira destaque, e seu pai, Tokimune também está suspenso das atividades da polícia, por ter envolvimento com o culpado.

Solto, Miroku vai para casa, já que o colégio suspendeu todos os membros do Yukan Club, por tempo indeterminado.

Um dos membros da coordenação da escola consegue sabotar os empréstimos de bancos realizados a escola fazendo ir mal das pernas. Aproveitando-se disso, ele rouba a escritura da escola, para vender a um poderoso empresário.

Miroku investigando acaba caindo numa gangue que vende armas ilegais no Japão.
Tudo dá errado, quando eles descobrem que tudo tem haver com o primeiro ministro do Japão que conhece o método deles.

Juntando suas forças, eles repetem o seu lema, provando que para Yukan Club é tudo possível.
Curiosidades

A 11º premiação da Nikkan Sports Drama Grand Prix só deu Yukan Club. Uma premiação escolhida por voto popular, das cinco categorias, o Yukan Clube venceu quatro.

Ganhou como melhor dorama, melhor ator protagonista, melhor ator coadjuvante e melhor atriz coadjuvante.

Na temporada seguinte, Kat-Tun também estava na série One Pound Gospel, com protagonista Kamenashi Kazuya. A série é uma adaptação do mangá criado pela Rumiko Takahashi, criadora de Ranma e Inuyasha.

Akanishi Jin dublou o Speed Racer, na dublagem japonesa do live action lançado esse ano pela Warner Brothers.


Categorias
Críticas de Séries Críticas e Reviews

Crítica | Boku to Kanojo no XXX

Produzida em 2005, o dorama de Boku to Kanojo no XXX é diferente dos doramas tradicionais. Tendo apenas 7 episódios e com duração de míseros 15 minutos, a série fica com um gosto de “quero mais”.

Baseado no manga de Ai Morinaga, a produção do live action foi da Geneon Entertainment, Inc., famosa por uma série de animes, como Ah Megami Sama,Yatterman, Skull Man, Hellsing ovas, Speed Racer entre tantas outras.

A série é conhecida no Ocidente, por Your and My Secret, pela tradução da Tokyopop nos Estados Unidos. A série original foi publicada na antologia Comic Blade, mesma revista que saiu Mythical Detective Loki (que teve a versão animê exibida por aqui pelo canal Animax).

Para os protagonistas, foram escalados os atores, Mai Takahashi no papel de Nanako Momoi e Shun Shioya como Akira Uehara. Para completar o elenco, ainda temos Akie Suzuki como Makoto Shiina, Masahiro Sato como Manzo Momoi e Taigo Fujisawa como Shinnosuke Senbongi.

Para a música tema de abertura foi escolhida a cantora Natchan PEAK, com a canção “Honey’s Date” que mistura cenas do mangá com as cenas do live action.
Troca de corpos
A série Boku to Kanojo no XXX é construído em torno de um clichê muito manjado, mas que ainda fascina as pessoas, a questão de troca de corpos. Não precisamos ir muito longe pra ver como a fórmula ainda é um sucesso, se olharmos pro cinema nacional, temos “Se eu fosse você 2” como recorde de bilheteria.

A idéia não é nova, mas a maneira que ela foi conduzida foi bastante interessante e com certeza foi o que tornou esse mangá um sucesso.
A história

Akira é um garoto não muito popular na escola, já que podemos dizer que talvez por falta de uma certa falta de atitude por parte dele. Em contra ponto, temos a Nanako, uma garota que tem uma personalidade forte, que amedronta qualquer pessoa do sexo masculino que ousar a gostar dela.

Um dia, os dois se encontram no parque e Nanako empurra ele numa lagoa, decidindo ajudar ele, ela convida ir à casa dela pra se secar. Lá, eles encontram o avô de Nanako, que é um cientista pirado, que coloca Nanako e Akira numa enorme furada. Ligando uma estranha máquina, eles nunca mais seriam os mesmos.

Dali pra frente, Nanako está no corpo de Akira, e Akira no corpo da Nanako. Agora, qual é a grande sacada? Nanako usando o corpo do Akira o torna, um dos caras mais populares da escola, trazendo sua personalidade forte como característica, em contrapartida, Akira no corpo de Nanako, se torna uma garota meiga, que fascina os garotos da escola, se tornando uma garota bastante querida por todos.

Porém, Akira não gosta nada de estar num corpo de quem ele ama. Lógico que ambos fazem um acordo que um não pode ver o outro pelado enquanto estiverem com almas trocadas. Mesmo assim, Nanako tem curiosidade como é usar o corpo de um garoto e logo quebra o acordo indo numa casa de “massagem”. Akira também não conseguiu manter o acordo, mesmo que tentou tomar banho de olhos vendados.
Uma dívida de dois milhões

Pra destrocar os corpos, eles precisam consertar a máquina do avô da Nanako, assim precisam levantar dois milhões de ienes (algo por volta de 50 mil reais). Pra isso, Nanako e Akira vão ter que encontrar soluções pra levantar esse dinheiro.

Só que se você acha que isso é um problema, poderia piorar. O avô da Nanako sempre em outubro tira férias pelo mundo, portanto se eles não juntarem dois milhões até outubro, eles podem esquecer voltar pro seus respectivos corpos.
A cantada

Um dia, Nanako cai num barranco e fica inconsciente, e Shinnosuke Senbongi, a leva pra um hotel. Ela acorda, com ele enrolado numa toalha, o que se assusta, achando que rolou algo entre eles. Melhor amigo de Akira, Senbongi não sabe que Nanako na verdade é o próprio Akira.

Senbongi não vai deixar Nanako ir embora, e propõe os dois transarem, assim deixando uma amizade pra trás, transformando num potencial namoro. Akira foge e não acredita que seu amigo aja daquele jeito, com a Nanako.
Por outro lado, Nanako usando corpo do Akira, acaba brincando com Makoto Shiina, a melhor amiga dela, dando em cima dela.
Indo a Okinawa

Depois de uma série de fracassos com empregos temporários, Nanako e Akira decidem aproveitar as férias escolares e irem pra Okinawa. Atrás deles, vai Shiina e Senbongi, também atrás de dinheiro fácil em Okinawa.

Porém, as coisas não vão bem em Okinawa, começando pela demissão deles no hotel que os contratou, depois de um assédio dos clientes.

Depois de diversos fracassos, eles acham que encontraram lugar ideal ao começar trabalhar numa pequena fazenda, porém descobrem que a moradia e a alimentação eram o “salário”, e deixam esse emprego pra trás.

A grande chance vem num concurso de Miss Okinawa, com o prêmio de cinco milhões, onde metade pagaria passagens pra voltar pra Tóquio, e ainda sobrar dinheiro pra consertar a maquina do avô da Nanako.
O concurso

Preparadas pro concurso, Nanako e Shiina acreditam que tem chance de vencer. Porém, Shiina não passa da etapa karaokê, deixando tudo na mão de Nanako. A última etapa é comover o júri, Akira que não sabe como se expressar como uma mulher, decide revelar ao júri, que sente um grande amor por uma pessoa, mas nunca foi correspondido. Assim Nanako ganha o concurso, porém descobrem que apenas garotas de Okinawa podiam participar, assim ficam sem prêmio no final.

A solução está na escola

Voltando a Tóquio, com mais dívida de que quando foi pra Okinawa, eles descobrem que tem um concurso de talentos na escola que pagará 5 milhões de ienes. Shiina e Nanako decidem imitar comediantes japoneses, e acaba faturando o grande prêmio.

Porém, Akira arranja guerra com os Yakuza, o que faz parte do dinheiro do prêmio ser usado pra pagar despesas causadas na máfia.
Uma série que promete continuação

Talvez o grande problema do dorama, além da duração de 15 minutos é justamente ele deixar uma questão em aberto. O avô de Nanako vai embora pra suas férias, enquanto Nanako e Akira prometem que vão levantar esse dinheiro enquanto ele estiver fora.

A série acaba com aquela expectativa de sair uma continuação, porém, a série
foi produzida em 2005, e não existem sinais que saia uma segunda temporada dessa produção.

Categorias
Críticas de Séries Críticas e Reviews

Crítica | Ima Ai ni Yukimasu

Sabe aquelas histórias de amor de cidade de interior? Aonde as crenças populares ainda existem. Pode ser assim que se define a linda história de amor de “Ima Ai ni Yukimasu”.

Baseada no livro que foi um grande best seller e que virou um filme de bastante repercussão em 2004. Infelizmente ou felizmente, está sendo produzido um remake americano, que terá a atrás Jennifer Gardner (seriado Alias e filmes De repente 30 e Elektra) em 2009. A série foi produzida apenas no ano seguinte do filme em 2005, e é considerada a melhor produção das três, sendo esta que iremos contar.

A série

Yuuji é um garoto de 6 anos de idade, que perdeu sua mãe há um ano atrás. Ele ainda sente muita falta dela, sendo que ele mata saudades dela, lendo um livro escrito por ela mesmo há um ano atrás. Acreditando firmemente no livro, ele crê que ela irá voltar na estação das chuvas (em junho).

Um dia, quando começa a estação das chuvas, Yuuji corre desesperadamente para o lugar aonde ele brincava com sua mãe no centro da floresta. Um túnel abandonado, ele e seu pai, Takumi, eles vêem uma mulher em volta de uma luz. Chegando perto dela, Yuuji percebe que sua mãe cumpriu a promessa, ela estava de volta a vida. Porém, ela tinha um problema, havia perdido a memória.
Amnésia

A série invés de abordar a volta dos mortos, da personagem Mio Aoi, optou-se por seguir o caminho de uma mãe que perdeu a memória. Em “Ima Ai ni Yukimasu” foi considerado relativamente “normal” a volta dela, aonde Takumi e Yuuji não medem esforços para fazer ela se lembrar deles.

Vendo uma casa bagunçada, Mio assume a função de dona de casa, trazendo a qualidade ao lar novamente. Takumi apenas a proibiu de ir a cidade, por achar que as pessoas não entenderiam como ela está “viva”.
Assim, começa o dia-a-dia da família “Aoi”, aonde a cada dia, Mio se sente mais em casa, mesmo não conseguindo lembrar de nada. Takumi vai contando aos poucos sobre o romance na juventude entre eles, levando a série a época do ensino médio.
Um dos méritos dessa série foi trabalhar muitos bem os personagens numa cidade de interior. Usando e abusando desse recurso, o elenco se interage muito bem na cidade pequena aonde todos se conhecem.
6 semanas

Uma das principais preocupações do Takumi, logo no começo da série, é sobre a última pagina do livro que sua esposa escreveu que Yuuji ignorou. Nela está escrito que ela voltaria para “casa” depois das seis semanas da estação das chuvas. Ele não fazia idéia, como Yuuji reagiria ao saber que sua mãe “morreria” de novo.

A própria Mio não sabe que pode “morrer” daqui seis semanas, o que começamos a achar que a decisão do Takumi é totalmente egoísta. Além disso, ela também não sabe que voltou dos “mortos”, achando apenas que perdeu a memória.

Cidade pequena

A novela tendo como cenário de fundo uma cidade pequena, acaba separando essa cidade em alguns pontos estratégicos, como: a casa que eles moram na floresta, a clinica que Takumi se cuida, a biblioteca em que ele trabalha, a escola que o Yuuji estuda e a casa da mãe da Mio, aonde também há o curso de jardinagem dado por ela.

Na casa, Takumi, Yuuji e Mio passam a conviver como uma família novamente. Mio se apega muito facilmente a Yuuji, no entanto ainda não aceita Takumi como marido, assim sendo verdadeiros estranhos na casa. Todos os dias, bem cedo, Takumi e Yuuji vão para a cidade, enquanto Mio assume os deveres da casa. Eles são muito amigos dos vizinhos Asuka e Shunsuke Kikuchi que tem uma loja de doces próxima dali.

Takumi tem uma doença rara que toda vez que fica estressado, a imagem se embaralha e ele desmaia. Além disso, qualquer meio de transporte muito rápido, ele se sente mal, assim tendo que tratar com a medica da cidade. Sendo medica e conselheira do Takumi, Naomi Hongo, é a primeira a saber do retorno da Mio e aconselha quais são medidas que Takumi deve ter para reconquistar sua antiga esposa.

Takumi trabalha numa biblioteca móvel na cidade, dividindo expediente com a Mariko Nagase e Hideo Imai. Mariko foi a melhor amiga de Mio no colégio, e hoje esconde um amor platônico por Takumi. Com a morte de Mio, ela pensa que pode corresponder com Takumi e ajudar a criar o Yuuji em tudo que for necessário. Além deles, Takumi deve seu emprego ao chefe Hachiro Suzuki, já que ele trabalha menos horas por causa de sua doença e por ter que criar Yuuki sozinho agora.

Na escola do Yuuki, a professora Saori Miura trata ele de uma maneira especial, já que ele perdeu a mãe recentemente, sendo quase uma segunda mãe. A melhor amiga de Yuuki é a Rena Saito, ao que tudo indica, eles devem repetir a mesma história de amor de Takumi e Mio.

Quem acompanha de longe o crescimento do Yuuji é a Ryoko Enokida, mãe da Mio. Pedindo para Takumi se mudar para casa dela e recebendo um não como resposta, Ryoko se afasta dos dois, para dar tempo de esquecerem de sua filha. Ela dá aulas sobre flores, sendo justamente isso que a fez agüentar a dura morte de sua filha. Em casa, Takao divide as frustrações com Ryoko, sobre a criação solitária do Yuuji nas mãos do Takumi.

Assim se resume a vida da cidade mostrada na série. Tendo personagens muito cativantes, todos eles ajudam diretamente ou indiretamente na criação de Yuuji. Por isso, Takumi preferiu esconder de todos o retorno de sua esposa, já que eles não entenderiam como ela pode voltar dos mortos por apenas 6 semanas.

Relembrando os tempos de colégio (Takumi X Mio)

Um dos segredos da série cativar o telespectador é colocar a personagem Mio, no lugar do telespectador e pedir para Takumi para que lhe conte como foi que os dois se conheceram.

Num flashback que sempre está presente nos episódios da série, Takumi relembra os tempos de colégio, quando os dois estavam na mesma sala. Nunca sendo francos um com o outro, acabou sendo no último dia do ensino fundamental que os dois perceberam que havia algo a mais que simples amizade. Takumi acaba mudando de cidade, mas mesmo assim não esquecendo Mio, sempre ligando, apenas pra ouvir a voz dela no telefone.
Um dia, eles marcam de se encontrar na cidade, com a desculpa de que Mio iria devolver uma caneta do Takumi da época que estudavam juntos. Não é nesse encontro que os dois se declaram, mas é a partir daí que fica óbvio que os dois realmente gostavam um do outro. Vale nota que essa história paralela, dá pistas sobre a “perda” de memória da Mio, por isso preste bastante atenção nesse primeiro e único amor dos dois.
Uma forma inusitada de contar episódios…

Yuuji sempre coloca um amuleto na janela de sua casa, assim em cada episódios vemos um novo amuleto ao lado do outro na janela. Esses amuletos são colocados a pedido de chuva, sendo assim que Yuuji demonstra que não quer q sua mãe vá embora.

Trilha sonora: Orange Range

A banda bastante famosa no meio de anime e manga, por causa de Bleach e Naruto também está presente nessa produção. A musica tema “Kizuna” foi produzida pela banda, tendo uma letra riquíssima, talvez sendo um dos melhores trabalhos do Orange Range.
Elenco
A protagonista da série, a Mio Aoi foi interpretada pela belíssima atriz Mimura. Dando um show em interpretação, Mimura tem poucos trabalhos de destaque na mídia japonesa, como as excelentes séries Rikon Bengoshi e Fire Boys.

O personagem Takumi Aoi foi interpretado pelo astro Hiroki Narimiya. Estrelando diversas séries de sucesso, como: Gokusen, Trick3, Stand Up! e Orange Days. No cinema, ele participou em Azumi, Nana 1 e 2, Kagen no Tsuki e Sakuran.

O Yuuji Aoi, filho do casal, foi interpretado pelo Takei Akashi, atualmente com 10 anos de idade. Uma curiosidade que ele é o único ator que atuou também na versão cinematográfica de Ima Ai no Yukimasu. O dorama mais recente dele foi a comédia Enka no Joou que conta a historia de uma cantora de música enka solteira de 39 anos, que tem azar no amor e no dinheiro.