Categorias
Eventos

18° Festival do Japão começa na próxima sexta-feira!

banner2015

Na próxima sexta-feira (24/07), começa a 18ª edição do Festival do Japão – o maior evento de cultura japonesa da América Latina.

Tradicionalmente, o festival atrai um grande público, e sempre apresenta os mais diversos aspectos da cultura japonesa.

O tema do Festival deste ano será o tratado de amizade entre Brasil e Japão, cuja assinatura completa 120 anos neste ano. Através deste tratado, foram estabelecidas, entre outras coisas, as relações comerciais entre os dois países.
Vale ressaltar que o Brasil possui a maior comunidade japonesa fora do Japão, com mais de 1 milhão de pessoas, entre imigrantes e descendentes.

Para esta edição, o evento contará com aproximadamente 50 atrações culturais, além de gastronomia, workshops, concurso de cosplay e o Miss Nikkey Brasil – que elege a mais bela representante da comunidade nikkei.
Confira a seguir as informações do evento:

18º FESTIVAL DO JAPÃO
Data: 24, 25 e 26 de julho de 2015
Horários: 24/07: 12 às 21hs; 25/07: 10 às 21 horas; 26/07: 10 às 18 horas
Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center – Rodovia dos Imigrantes, km 1,5, Jabaquara
(próx. à estação Jabaquara do metrô – ônibus gratuito do metrô até o local do evento)
Ingressos: R$15,00 (antecipado) e R$18,00 (no dia)

A programação completa, além de outras informações, pode ser conferida no site oficial: www.festivaldojapao.com

Categorias
Cultura Pop

Colaborador do JWave participa de exposição fotográfica

Fragmadia (1)

O fotógrafo e colaborador Daniel Ramos, que contribui para o blog com coberturas de eventos da comunidade nikkei (como o Festival do Japão, por exemplo), é um dos participantes da exposição coletiva “Fragmadia”, que está em cartaz no Espaço Lilo, localizado na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo.
A mostra foi aberta ao público no último domingo (14/06), e atraiu um grande número de pessoas.

Abertura da exposição foi movimentada
Abertura da exposição foi movimentada

A exposição apresenta diversas obras fotográficas produzidas por vinte artistas, formandos do curso de fotografia da FAAM (Faculdade de Artes Alcântara Machado), que trazem temáticas variadas. O trabalho destes fotógrafos busca, por meio das imagens, desconstruir cada indivíduo em fragmentos, transformando-os em agentes criadores de algo maior, na união de suas experiências e de toda a fenomenologia que sustenta o ato de fotografar.

Para esta exposição, Daniel Ramos produziu uma série de fotos intitulada “Densetsu”, que se baseia em lendas do folclore e da mitologia japonesa. A ideia do autor é, através dos retratos produzidos, criar um diálogo com a arte oriental.

Daniel Ramos, fotógrafo do JWave, ao lado de suas obras
Daniel Ramos, fotógrafo do JWave, ao lado de suas obras

 

A exposição fica em cartaz até a próxima sexta-feira (19/06), e a entrada é gratuita. Vale a pena conferir!

Fragmadia – Vinte olhares sobre fotografia

Data: até 19/06 (sexta-feira)
Horário: das 10 às 22hs
Local: Espaço LILO – Rua Harmonia, 797, Vila Madalena (próximo à estação Vila Madalena do metrô)
Entrada Franca

Maiores informações, acesse a página da exposição no Facebook:
http://facebook.com/fragmadiaexpo

Categorias
Coberturas de Eventos Críticas e Reviews

48º Gueinosai – O espetáculo da arte japonesa

48º Gueinosai
Foi realizada neste último final de semana (22 e 23/06), a 48ª edição do Gueinosai – Festival de Música e Dança Folclórica Japonesa, no grande auditório do Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa, localizado no bairro da Liberdade, região central de São Paulo.
O evento faz parte das comemorações dos 105 anos da Imigração Japonesa no Brasil.

Durante os dois dias de evento, passaram pelo palco do Bunkyo as mais variadas formas de arte de palco do Japão, como a dança, o teatro, a música e o taiko.
Vários grupos tradicionais de dança exibiram os estilos de diversas regiões do arquipélago.

Kasa Odori - Tottori Kenjinkai
Kasa Odori – Tottori Kenjinkai
Nélia Nishihata - Bunkyo de Campinas
Nélia Nishihata – Bunkyo de Campinas
Awa Odori - Assoc. Cultural e Esportiva Represa
Awa Odori – Assoc. Cultural e Esportiva Represa
Shinsei ACAL - Yosakoi Soran
Shinsei ACAL – Yosakoi Soran

Além disso, o público também pôde prestigiar instrumentos tradicionais de música, como o koto e o shamisen.
Grupos musicais fizeram belíssimas apresentações.

Koto - Assoc. Brasileira de Música Clássica Japonesa
Koto – Assoc. Brasileira de Música Clássica Japonesa
Assoc. Kyodo Minyo do Brasil
Assoc. Kyodo Minyo do Brasil
Kaito Shamisen Kyoshitsu
Kaito Shamisen Kyoshitsu

Cantores também marcaram presença e soltaram a voz no palco do evento. Um dos destaques foi Karen Taira, que já se apresentou no programa Raul Gil.

Karen Taira
Karen Taira
Yumi Kataoka
Yumi Kataoka
Teddy Shigueyama
Teddy Shigueyama
Yumi Uehara
Yumi Uehara

O ritmo vibrante do taiko também marcou esta edição do evento. O público pôde conferir no palco do Gueinosai grupos que trouxeram as duas vertentes principais dos tambores japoneses: o wadaiko, com grupos como o Tangue Setsuko e o Shinkyo Daiko; e o okinawa daiko, com o Ryukyu Koku Matsuri Daiko e o Requios Gueinou Doukoukai.

Shinkyo Daiko - um dos grupos de wadaiko presentes no evento
Shinkyo Daiko – um dos grupos de wadaiko presentes no evento
Ryukyu Koku Matsuri Daiko
Ryukyu Koku Matsuri Daiko
Requios Gueinou Doukoukai
Requios Gueinou Doukoukai

No domingo, o evento foi aberto com uma homenagem aos pioneiros da imigração – senhores e senhoras de 99 anos.
E antes das apresentações começarem, foi feito um rápido cerimonial com discursos de autoridades influentes da comunidade. Estiveram presentes no evento o cônsul geral do Japão em São Paulo, Noriteru Fukushima, os deputados federais Junji Abe e Walter Ihoshi, e o deputado estadual Jooji Hato.

Homenagem aos idosos de 99 anos, pioneiros da imigração
Homenagem aos idosos de 99 anos, pioneiros da imigração
Cerimonial de abertura com presença de autoridades
Cerimonial de abertura com presença de autoridades

No encerramento do evento, a mestra de dança tradicional Midori Ikeshiba  se apresentou no palco do Bunkyo, e recebeu homenagens da comissão organizadora.

A mestra Midori Ikeshiba
A mestra Midori Ikeshiba

Nos dois dias de Gueinosai, alimentos não-perecíveis foram arrecadados, e doados a entidades assistenciais mantidas pela comunidade Nikkei.
Ao todo, quatro entidades foram beneficiadas: Kodomo no Sono, Kibo no Ie, Ikoi no Sono e Yassuragui Home.

Alimentos arrecadados durante o evento, que beneficiaram entidades assistenciais
Alimentos arrecadados durante o evento, que beneficiaram entidades assistenciais

O presidente da comissão organizadora do evento, o sr. André Korosue, relembrou as origens do Gueinosai, através dos primeiros imigrantes: “O japonês nunca esqueceu aquilo que aprendeu quando pequeno. Muitos deles vieram pequenos, e aprenderam nas escolas a cantar, a dançar, e se apresentavam em um tipo de teatro no fim de cada ano. Naturalmente, toda vez que você sofre ou está alegre, você se expande em forma de música ou em forma de dança, principalmente quando se juntam. Os imigrantes certamente começaram a desenvolver estas atividades em todos os espaços, daí a ideia de reunir todos e apresentar tudo em um só lugar. Nosso Gueinosai começou dessa forma, reunindo todas as pessoas que tinham esse amor à arte de palco”, explicou.
Korosue ainda fez um balanço positivo da edição deste ano: “Foi ótimo. Sensacional. Aliás, minha maior alegria é ver as crianças participando, e também os não-descendentes participando. Tivemos um número muito grande de participação dessas duas fontes”, revelou. E ainda frisou os principais objetivos do festival: “105 anos de Imigração e 48 anos de Gueinosai, e sempre com o mesmo intuito: divulgar a cultura e fazer com que mais pessoas sintam proximidade com a cultura japonesa no Brasil”.

jwavegueinosai (21)

Categorias
Coberturas de Eventos Críticas e Reviews

47º Gueinosai – O espetáculo do folclore japonês

Neste último final de semana (23 e 24/06) foi realizada a 47ª edição do tradicional Gueinosai – Festival de Música e Dança Folclórica Japonesa, no Grande Auditório do Bunkyo, em São Paulo.
O evento faz parte das comemorações do 104º aniversário da Imigração Japonesa no Brasil, e reúne as mais diversas formas de manifestação artística tradicionais do arquipélago, trazidas ao nosso país pelos imigrantes e preservadas ao longo das gerações.

Ao longo dos dois dias de evento, vários artistas se revezaram no palco do Bunkyo, mostrando do que são capazes e encantando os olhos do público.
A dança foi muito bem representada por vários grupos, como o Tamagusuku-ryu Kotarokai, da mestra Hatsue Omine, e o Saito Satoru Ryubu Dojo, do mestre Satoru Saito, entre outros.

Yumi Namihira, aluna da mestra Hatsue Omine
Hamakko Soran - Bunkyo de Ribeirão Preto
Zenidaiko - Assoc. Tottori Kenjin
Nagauta - Yoshio Fujima
Grupo Minbu de Ribeirão Pires
Shinsei ACAL

A mistura da dança com as artes marciais também marcou presença, com os membros da Associação Okinawa Kobudo Jinbukai – Filial do Brasil, do sensei Flavio Vicente de Souza.

Grupo de Bunomai - Associação Okinawa Kobudo Jinbukai do Brasil
Goshinomai - Sensei Flavio Vicente

Grupos musicais também deram o ar de sua graça, levando a beleza da música folclórica japonesa por meio de instrumentos tradicionais como o koto e o shamisen.

Associação Kyodo Minyo do Brasil
Kaito Shamisen Kyoshitsu
Koto - Associação Brasileira de Música Clássica Japonesa

A batida forte do taiko também não podia faltar. Grupos como o Mika Youtien e o Tangue Setsuko Taiko Dojo  mostraram a sua energia no palco.

As crianças do Mika Youtien

Os dois grupos de taiko de Okinawa fizeram apresentações que empolgaram o público. Destaque para o Ryukyu Koku Matsuri Daiko, que, no sábado, fez uma surpresa: incluiu em sua apresentação uma performance de dança do leão (shishimai).
O leão (ou shisá, como os okinawanos chamam) é um símbolo de proteção e de boa sorte em Okinawa, e é muito visto ornando a entrada das residências dos habitantes da ilha.

O Ryukyu Koku Matsuri Daiko levou um leão ao palco no sábado
Os membros do RKMD
As responsáveis pela performance de Shishimai do RKMD
Requios Gueinou Doukoukai - grupo se apresentou no domingo

O evento contou ainda com performances de karaokê e de teatro.
Cantores soltaram a voz no palco, e grupos de atores apresentaram diversas formas de teatro tradicional, como o Noh.

Cantores, como Emi Fujino, soltaram a voz no Gueinosai
Melissa Kuniyoshi, do Programa Raul Gil, não cantou, mas prestigiou o evento
Gekidan Aranami - grupo apresentou performance teatral

Ao final do evento, o grupo de dança Kyofujima Ryu mostrou toda sua arte no palco, e ainda chamou a platéia para dançar, transformando o auditório do Bunkyo em uma imensa roda de bon odori.

Durante os dois dias de evento, houve também um sorteio de aparelhos de videokê para o público presente.
Alimentos também foram arrecadados, para serem doados para instituições assistenciais mantidas pela comunidade nipo-brasileira, como a Kodomo no Sono e Kibô no Ie.

Ambos os dias contaram com uma grande presença do público, e no domingo, o auditório lotou.
O presidente da comissão organizadora, sr. André Korosue, fez um balanço positivo do evento: “Como em todos os anos, o Gueinosai correspondeu às nossas expectativas. Atingimos nosso objetivo principal, que é divulgar aos brasileiros a arte e a cultura do Japão”, disse Korosue ao JWave.

E, de fato, conseguiram. O Gueinosai é um espetáculo belíssimo de se ver, e em todos os anos, exibe com perfeição todas as diversas faces do folclore do arquipélago.
Parabéns à comissão organizadora e a todos que participaram do evento.

Por enquanto é só, pessoal. Até mais!