Categorias
Artigos Música

Conheça um pouco mais da apresentadora do J-melo, a cantora melody.


            A apresentadora do programa J-melo, melody. também é cantora de j-pop no japão, então  saiba um pouco mais de sua outra carreira . A melody. pertence ao selo musical Toy´s Factory e já lançou por volta de10 singles e 3 albuns, entre os destaques aos fãs de videogame, ela também participou da trilha sonora do jogo Need for Speed: Carbon.

Perfil            

Melody Miyuki Ishikawa nasceu no Havaí, Estados Unidos, em 24 de fevereiro de 1982. Diferente do habitual entre as cantoras de jpop, Melody veio de uma família de cantores, assim como suas irmãs, em especial Christine Ayana Ishikawa. Isso colaborou muito para a influência da cantora na sua incursão a industria fonográfica japonesa. 

            Melody tornando se cantora da Toy´s Factory, acabou mudando a forma de escrever seu nome, para a forma minúscula e com um ponto no final, assim tornando-se melody. Seu primeiro trabalho foi o single Dreamin´ Away que foi lançado em fevereiro de 2003.         

Ela acabou tornando conhecida pelo grande público, quando regravou o clássico “Over the Rainbow” (de Mágico de Oz), para um comercial da empresa Mitsubushi.  A canção foi lançada posteriormente no segundo single da cantora, intitulado “Simple as that / Over to the Rainvow”.

Seu sucesso ainda em 2003 se confirmaria com dueto com a dupla m-flo (Neo Tokyo 12) e yamamoto ryohei (atualmente o cantor mudou seu nome profissional para Ryohei e foi transferido da Warner Music Japan para Rhythem Zone, o mesmo selo de m-flo e Koda Kumi). O trabalho chamado “miss you” tornou se mais um dos famosos “m-flo loves”, batizado de m-flo loves melody. e foi lançado em outubro daquele ano, chegando no impressionante décimo lugar da Oricon.

Seu primeiro álbum, Sincerely, veio no começo de 2004, sendo um dos destaques do Top 10 da Oricon, estando em terceiro lugar.

O sucesso da cantora a fez ser garota propaganda de vários comerciais, assim ela estreou no mundo dos games, pela empresa Hudson, Alpen, Subaru entre outras. 

Dragon Zakura

             A cantora, além dos comerciais também participaria do universo dos doramas com a música Realize para a série Dragon Zakura. Baseado no manga  de mesmo nome, Dragon Zakura segue ao estilo de GTO, sendo que aqui, a pior escola do Japão está em dívidas por uma administração duvidosa por parte de sua diretora. Cobrando a divida da escola, o advogado Kenji Sakuraji, perde totalmente sua moral ao ser descoberto que em sua juventude ele era um motoqueiro de gangues. Para as pessoas esquecerem seu passado e ser reconhecido como advogado competente, ele torna-se professor de uma sala especial que irá colocar 5 alunos em Toudai daqui um ano. Entre os alunos da sala problema está Yaajima Yuusuke, que é comprado pelo Kenji, que paga as dividas da família aos Yakuzas. Uma excelente série que teve como sucessora a conhecida pelo público da Neo Tokyo, a Hana Yori Dango.

Amizade com o M-flo

             A parceria com a dupla do M-flo, voltaria em 2006, quando o DJ do grupo, Taku Takahashi participou de maneira solo, no single “see you…”.

            No ano seguinte, melody. participou do álbum mais recente da dupla M-flo, chamado COSMICOLOR, na música STUCK IN YOUR LOVE. A música também foi lançada no décimo single da cantora, chamado “Love Story”, sendo que aqui, semelhante ao que aconteceu com a cantora Crystal Kay, a brincadeira do m-flo foi também invertida, assim no single ao invés do tradicional m-flo loves, foi colocado melody. loves m-flo.

Kodoku no Kake

             Em abril desse ano, estreou o dorama Kodoku no Kake, que também teve melody. na trilha sonora. Baseado na novela do autor Junpei Gomikawa, Kodoku no Kake é sobre Chigusa Teijiro, um jovem de negócios que encontra uma design chamada Inui Momoko,  que faz uma proposta deveras interessante. Um empréstimo de 20 milhoes de ienes, em troca do seu próprio corpo, caso algo de errado.

            A canção Love Story do décimo single de melody., foi a música tema da série de 11 episódios que foi encerrada em junho. A cantora tinha seu próprio espaço na série, chamado “melody.´s room”, aonde toda semana visitando o site da série, você seria recebido por ela que contaria alguns detalhes do making off de sua música e da produção da série.

        Atualmente, podemos assistir a cantora na edição semanal de J-melo que tem diversas reprises durante a semana.

Categorias
Artigos Música

A História das músicas dos Animes – parte 5


Crise das Anime Songs? Empresas do mercado musical dominam os animes

             Para o novo milênio, muitas características vindas do sucesso de iniciativas como a em Rurouni Kenshin, tornaram-se padrão no mercado musical. Acabando a era de musicas aonde deveriam demonstrar a bravura de seus personagens, do ano 2000 pra cá, vivemos uma época aonde é mais importante o nome da gravadora, o nome da agência e o nome dos cantores.

            Pode perceber claramente a mobilização das empresas para esse novo setor, como a empresa Avex Trax, abrir em 1999, a empresa Avex Mode que supervisiona produções de cinema, live action e animes, aonde tanto novos talentos, como cantores consagrados da gravadora, são selecionados e sua música de lançamento é inserida naquele “xis” anime. Um dos portfolios da empresa é o anime Inuyasha, que tem em sua trilha sonora de Boa, Do as Infinity, Ayumi Hamasaki, a rainha do jpop no Japão.

            Um fato importante é que semelhante ao mercado de publicidade, aonde se compra “Xis” inserções (repetições) de um comercial para ir ao ar, no caso de agência e gravadora e estúdios de animação, é quase semelhante, assim o processo é pela preferência em escolher a gravadora para aquelas produções, do que pela qualidade do cantor.

            Hoje, as produções mais populares do Japão escolhem entre Avex Trax e Sony, sendo que casos como Naruto e Bleach, utilizam trilha sonora da Sony, enquanto Initial D e Inuyasha utilizam a da Avex Trax.

            Em 2004, quando a Warner Brothers lançou a versão live action de Cutie Honey, tendo Hideaki Anno, como diretor, conhecido por Neon Genesis Evangelion, trouxe um clássico das anime songs, numa versão atualizada. A canção tema, cantada originalmente por Yoko Maekawa, ganhou uma versão e sedutora, na voz da cantora Koda Kumi, pela gravadora Avex Trax, sendo um grande sucesso naquele ano, como também sendo uma das responsáveis do impulso da cantora, que hoje é a segunda cantora que mais vende singles e álbuns, perdendo apenas para a rainha da casa, Ayumi Hamasaki.

             E as verdadeiras anime songs, morreram? Não, estão por aí, em algumas produções, como Rica Matsumoto em Pokemon, o grupo Jam Project (reunião de antigos cantores dos anos 80, como Kageyama e Ichiro Mizuki) em diversos animes de robôs, como Jeeg e Mazinkaizer, entre tantas outras produções. Infelizmente, o mercado de anime songs mudou, gerando esse mercado atual no qual se usa como ponte de lançamento para diversos artistas.

            Se por um lado, o gênero tradicional como Kamen Rider, deixou de lado as anime songs, adotando músicas da Avex Trax, trazendo um j-pop eletrônico para suas trilhas sonoras em 2003. Temos o tradicional gênero Super Sentai há mais de 30 anos no ar no Japão, que mantêm o anime songs vivo, na voz de cantores como Akira Kushida, Hironobu Kageyama, como também apresentando artistas que cresceram ouvindo anime songs, como Psychic Lover.

            Podemos concluir, que séries tradicionais ou para público infantil, a velha anime songs permanece ativa, como o gênero Super Sentai e séries como Pokemon. Quando o público é mais velho, o mercado toma mais cuidado na trilha sonora, selecionando artistas que estão em moda, ou que irão fazer moda, inserindo esses em animes para publico infanto juvenil.

            É curioso que muitos cantores de sucesso dos anos 80, como Kageyama, Mojo, Akira Kushida, Takayuki Miyauchi entre outros, fazem bastante sucesso no Brasil, quando fazem seus shows no Brasil, por o público ser muito nostálgico. Independente disso, o público brasileiro está evoluindo o desenvolvimento mundial, desejando artistas atuais da música japonesa, como L’Arc~en~Ciel. Tanto que o público brasileiro já teve show da banda de j-rock Charlotte e ficou curiosa, quando o Centenário da Imigração Japonesa, anunciou que a cantora Namie Amuro viria ao Brasil, fato que acabou não ocorrendo infelizmente para o público brasileiro fã do gênero j-pop.

            Muitos artistas alcançaram a fama, graças a terem seus trabalhos atrelados a certos animes de sucesso, como UVERworld em Bleach e AAA na trilha sonora japonesa do live action chinês de Initial D, sendo hoje campeões de vendas de singles e álbuns no Oricon.

            Não podemos saber o que vai acontecer depois dessa década, mas a verdade é que não podemos ver mais as músicas de animes, apenas como meras trilhas sonoras. Tratadas como grandes negócios entre empresas, a trilha sonora que você ouve em seu anime favorito hoje, com certeza foi pensada se funcionaria naquele público, sendo parte da identidade traçada pelas grandes empresas japonesas.


       

Categorias
Artigos

Big Bang




Todo mundo que dá uma mexida no meu ipod, ou dá uma olhada no last.fm, sabe que eu sempre ouço Bg Bang.Falando de Hip hop coreano, sabemos que a maioria dos artistas da Ásia, são pré fabricados, aonde anos de treinamento e ensaios são fundamentais pra o lançamento daquele artista. Isso aconteceu com a BoA, com Rain e até mesmo casos no Japão como grupo AAA e porque não falar de grupos como Morning Musume, e AKB48. Você pode até passar da audição, mas não significa que você terá folego pro treinamento pra ser um artista pop.


Voltando sobre Big Bang, eles foram escolhidos aos 12 anos de idade, em um documentário exibido em 13 

de agosto de 2006.


No dia 16 de agosto, duas faixas do seu primeiro single, foram disponibilizadas na internet. We belong Together (cover da Mariah Carey) e Nunmulbburin Babo, foi um sucesso instantâneo em seu lançamento.


Tivemos o primeiro single do grupo em 29 de agosto, com as canções: canções foram: Put Your Hands Up, We Belong Together,  A Fool With Only Tears e This Love.


No mês seguinte ao do primeiro single, o grupo emendou com o single “Bigbang is V.I.P”.


Lançado no dia 22 de dezembro de 2006, o primeiro álbum do grupo, veio no mesmo período que o grupo comemorava seus 6 meses de mercado. Reunindo alguns sucessos dos trabalhos anteriores, como: Ma Girl, La-La-La e This Love, o álbum também trouxe algumas canções inéditas como: She Can’t Get Enough, Dirty Cash e Big Boy. 

Em janeiro desse ano, Big Bang seguiu os passos de  outros cantores coreanos, como BoA, TohoShinki, Se7en, Rain, que foi lançar seus trabalhos no mercado nipônico.  Não precisa dizer que o mercado musical japones só perde pros EUA, assim a coisa mais normal do mundo, são artistas da Ásia estrear no Japão e depois tentar um espaço nos EUA. 

Lançado no dia 04 de janeiro de 2008, o grupo regravou seus sucessos em inglês, no primeiro álbum do grupo no Japão. Entre os sucessos que ganharam uma nova versão foram: VIP, LA LA LA, Lies, So Beautiful, BigBang, Together Forever e Always.

Em abril, o grupo lançou seu segundo trabalho, o With U. O álbum é extremamente viciante, sendo que algumas canções colam na cabeça como fosse chiclete, em especial:  Baby Baby, Shake it, This Love e a With U. 

O sucesso do grupo também é o seu marketing, para você ter uma ideia, eles fazem propaganda até de uniforme escolar na Coreia. Big Bang com certeza é um grupo que mesmo com membros tão novos, espanta pela qualidade sonora e surpreeende pelo seu sucesso tão rápido.


Categorias
Artigos

Crystal Kay – Black Music à moda japonesa


É bem verdade que Crystal Kay anda bem sumida, mesmo tendo participado ativamente em produções de grande divulgação como os filmes de Pokemon, mas com certeza as pessoas se apaixonaram pela voz dela na música Motherland, da série Full Metal Alchemist exibido por aqui pelo Animax e Rede Tv!.


O próprio Animax, ainda deu uma divulgação com seu bloco de clipes, ao exibir o clipe, Koi ni ochitara.


Perfil da cantora


Seu nome verdadeiro é Crystal Kay Williams e nasceu em 26 de fevereiro de 1986. Sendo japonesa de nascimento, seu pai é de origem americana e sua mãe de origem coreana.


A carreira musical veio em 1999 com o single Eternal Memories, mas o grande sucesso de Crystal Kay foi seu primeiro dueto com a dupla M-flo no qual geral dois singles em 2003. Os dois singles foram I LIKE IT (as Crystal Kay loves m-flo) e REEEWIND! (as m-flo loves Crystal Kay) 

(2003) que contém até músicas ao vivo de um show que o trio fez no Japão.


Na minha opinião, as melhores musicas da cantora nem são tanto as suas canções originais, mas as covers de classicos como Time after time (da Cindy Lauper) e Over to the rainbow (Mágico de Oz). Sua voz, trouxe um estilo totalmente soul a  música jpop, sendo essa mistura é muito bem vinda.



Categorias
Artigos

Aya Kamiki, a rainha do rock

Um dos meus grandes vícios do momento são as músicas da Aya Kamiki. Viciado principalmente por Secret Code, Pierrot e Communication Break. Conheci ela por acaso, já que ela fez um dueto postumo com a cantora Izumi Sakai, do Zard.


Ela nasceu em10 de setembro de 1985, em Sapporo, Hokkaido, no Japão. Cantora do selo Giza Studio, ela é reconhecida na região principalmente por sua voz.


Aya é conhecida no Japão como a Avril Lavigne japonesa, mas convenhamos, ela até que tem o

mesmo timbre da Avril e faz a cover até que muito bem.


Quando criança, as principais inspirações de Aya foram Diana Ross, Whitney Houston e Mariah Carey, e inspirou ela subir aos palcos, quando criança em shows na escola.


O grande debut da cantora veio em 2006, quando ela estrelou pela gravadora Ginza, que é conhecida no mercado por ser “anti avex”.


A minha musica favorita dela, Pierrot é uma cover do grupo B´z e foi lançada em abril de 2006. O single figurou o nono lugar da Oricon em vendas na sua semana de

estréia.


Secret Code ficou na quinta posição de mais vendidos na Oricon. Tendo uma música bem grudenta na cabeça, Secret Code conseguiu alguns marcos como ter uma musica usada em março como abertura do programa de tv Count Down TV, outra em Detetive Conan, com a canção “Mou Kimi Dake wo Hanashitari wa Shinai” e o encerramento do programa JAPAN COUNTDOWN.




Pra mim o melhor trabalho de Aya, foi realmente o dueto com Zard, com o single Tsubasa o Hirogete/Ai wa Kurayami no Naka de. A faixa Ai wa Kurayami no Naka de, utilizada na vigésima segunda abertura de Detetive Conan, veio o dueto póstumo, entre Aya Kamiki e Izumi Sakai.


O próximo lançamento da Aya sai dia 3 de dezembro com seu décimo single, Sekai-wa Soredemo Kawari-wa Shinai, que é o tema do jogo da produtora Sega, chamado 428 ~Fuusa Sareta Shibuya de.